26/9/20
 
 
Hidrogénio. O Governo já escolheu a sua galinha dos ovos de ouro

Hidrogénio. O Governo já escolheu a sua galinha dos ovos de ouro

Dreamstime João Amaral Santos 11/08/2020 09:24

O Governo está convencido de que o hidrogénio verde será o combustível do futuro e pretende colocar Portugal na vanguarda da produção e exportação. Falta, porém, cumprir vários passos, como a aprovação do Parlamento e fechar o acordo com os Países Baixos.

O projeto do hidrogénio verde tem vindo a ser apresentado ao país como a nova galinha dos ovos de ouro. A tecnologia escolhida pelo Governo para a transição para uma economia descarbonizada é encarada sobretudo como um negócio milionário para Portugal. 

A denominada Estratégia Nacional para o Hidrogénio (EN-H2), já aprovada em Conselho de Ministros, prevê que o país possa beneficiar da sua localização geográfica (e das suas horas de sol) para se tornar uma referência na produção, consumo e exportação de hidrogénio verde. O objetivo passa por alimentar o país, mas também o Norte industrializado da Europa (os Países Baixos e a região do Vale do Ruhr, na Alemanha), por via marítima.
Mas, para tal, o Governo vai adiantando que é necessário “criar as bases para estimular a procura, e não simplesmente aguardar que esta ocorra”. Ou seja, é preciso investir nas infraestruturas para produzir e, depois, vender. E é precisamente neste ponto que as opiniões divergem, pois esta tecnologia – dependente de fontes de energia renováveis (a energia solar fotovoltaica e a eólica) – tem custos de produção ainda muito elevados. E ainda ninguém percebeu, até ao momento, que fatia caberá a Bruxelas, ao Estado português e aos privados. Nem quem ganhará mais com tudo isto.

Leia o artigo completo na edição impressa do jornal i. Agora também pode receber o jornal em casa ou subscrever a nossa assinatura digital.

 

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×