02/10/2022
 
 
Paredes de Coura. Um encontro geracional liderado por Pixies e Slowthai

Paredes de Coura. Um encontro geracional liderado por Pixies e Slowthai

Tom Oxley Hugo Geada 21/08/2022 08:33

O último dia do Vodafone Paredes de Coura foi marcado por artistas de diferentes gerações, como as lendas do rock alternativo, Pixies, e o rapper britânico, Slowthai.

O derradeiro dia do festival Vodafone Paredes de Coura foi marcado por um autêntico encontro de gerações onde pais conheceram os novos interesses dos seus filhos e das gerações mais jovens, em artistas como Slowthai ou Princess Nokia, e os mais jovens a terem oportunidade de experienciar em primeira mão as velhas paixões dos seus progenitores.

A liderar o dia mais concorrido do certame estavam os Pixies, uma das mais influentes bandas de rock alternativo dos anos 1980, que oferecerem um pragmático, mas eficaz concerto repleto de êxitos, que foram respondidas pela audiência com mosh e a acompanhar as letras das músicas, mas também faixas mais recentes ou tiradas de recantos mais obscuros da sua discografia.

Apesar de não se terem dirigido uma única vez à audiência durante as mais de 1h30 de concerto, a banda dos Estados Unidos preferiu interagir com a sua música, tocando êxito atrás de êxito sem praticamente nenhuma interrupção.

O último concerto do festival foi uma celebração com membros da audiência, de todos os tipos de idades, a entregarem-se a músicas como This Monkey Gone to Heaven, Hey ou o climax do concerto, Where Is My Mind (ainda que o vocalista tenha optado por uma interpretação algo desleixado desta que é uma das suas maiores músicas).

Antes da influente banda subir ao palco Vodafone, o rapper britânico, Slowthai, apesar do pouco tempo em cima de palco (pouco mais de meia hora), com a sua atitude confrontativa e provocadora, fez questão de instalar o caos e levar todos aqueles que se encontravam à frente do palco a um intenso e suado mosh.

Ainda que nem todos celebram esta diversidade geracional no cartaz do festival (como a pessoa atrás de nós que gritou durante Pixies: “isto é que é boa música, não é como a porcaria do Slowthai), o último dia do Paredes de Coura ofereceu também a oportunidade de ver outro interessante nome da atual geração de hip-hop: Princess Nokia.

Depois de um DJ Set com diversas músicas de eurodance do início dos anos 2000, como a Barbie Girl dos Aqua (que Slowthai também usou no final do seu concerto) ou músicas dos Venga Boys, a rapper norte-americana ofereceu um energético e intenso concerto, que também teve tempo para celebrar a sua raça e género.

Entre os dois rappers, Yves Tumor esteve no palco Vodafone.FM e ofereceu a festival um dos melhores concertos de música rock da presente edição.

Apesar da sua origem estar mais ligada à música experimental e eletrónica, o artista de Miami entregou-se a sonoridades mais viradas para o rock, com uma forte vertente de glam, Yves Tumor tornou-se um excelente escritor e criador de canções que foram recebidas com forte entusiasmo pelos seus fãs.

As linhas da frente do concerto estavam carregadas com os seus fãs mais fiéis que ora cantavam os refrões das canções ora entregavam-se ao mosh. No final, foram brindados com o cantor a interpretar músicas junto das grades que o separavam do público e com o seu guitarrista a lançar-se para o crowdsurf enquanto “rasgava” um solo selvagem.

Durante o dia, os La Femme, apesar de não terem estado com um dos horários mais privilegiados do dia, oferecem um dos mais dançáveis e energéticos concertos da edição, com a sua música que recupera diferentes elementos de músicas francesas, como a eletrónica do french touch ou o yé-yé, misturado num sedutor cocktail que inclui ainda os ritmos mecânicos do krautrock e umas texturas psicadélicas.

Mesmo tendo atuado enquanto a luz do dia brilhava bem alto, os franceses arrancaram diversos passos de dança da audiência e, no fim, foram brindados com uma generosa atuação.

No festival atuaram ainda Far Caspian no Palco Vodafone e Manel Cruz, Xenia Rubinos e Perfume Genius no Vodafone.FM. O after ficou ao cargo de Tommy Cash e de Nuno Lopes.

O Paredes de Coura regressa no próximo ano entre os dias 16 e 19 de agosto.

Ler Mais

Os comentários estão desactivados.


Especiais em Destaque

iOnline
×

Pesquise no i

×
 


Ver capa em alta resolução

iOnline