20/05/2022
 
 
Pussy Riot, grupo opositor de Vladimir Putin, atua em Portugal em junho

Pussy Riot, grupo opositor de Vladimir Putin, atua em Portugal em junho

AFP Jornal i 21/04/2022 17:56

A primeira “paragem” será feira no Porto, na Casa da Música, a 8 de junho. No dia seguinte as cantoras seguirão para o Capitólio, em Lisboa.

As Pussy Riot - coletivo artístico russo conhecido por criticar o presidente do seu país, Vladimir Putin, e que já chegou a sofrer as represálias dessa “posição” - atuam em Portugal no próximo mês de junho. 

A primeira “paragem” será feira no Porto, na Casa da Música, a 8 de junho. No dia seguinte as cantoras seguirão para o Capitólio, em Lisboa. Os concertos são organizados pela promotora Sounds Good.

O coletivo foi fundado em Moscovo, na Rússia, em 2011. De seu nome Pussy Riot, foi formado pela ativista Maria Alyokhina e têm mudado a sua composição ao longo do tempo: já chegou a integrar 11 mulheres. 

Defendendo o feminismo e os direitos LGBT e criticando de forma aberta o Presidente russo Vladimir Putin, as Pussy Riot tornaram-se conhecidas internacionalmente depois de terem atuado numa catedral de Moscovo, em 2012. Três delas - Nadezhda Tolokonnikova, Maria Alyokhina e Yekaterina Samutsevich - foram detidas e as duas primeiras chegaram mesmo a cumprir 21 meses de prisão cada.

Numa entrevista ao jornal britânico The Guardian, já depois da invasão da Ucrânia pela Rússia, Nadya Tolokonnikova (uma das integrantes da banda) afirmou que a situação na Rússia só mudará "se milhões de pessoas forem para a rua e se recusarem a ir embora até Putin sair do poder”. “Mas isso é incrivelmente perigoso. Putin é louco, pelo que poderá abrir fogo sobre o seu próprio povo", acredita a ativista. 

Ler Mais

Os comentários estão desactivados.


×

Pesquise no i

×
 


Ver capa em alta resolução

iOnline