29/11/2022
 
 
Operação secreta de tráfico de seres humanos leva à detenção de quatro funcionários da Disney e um juiz reformado

Operação secreta de tráfico de seres humanos leva à detenção de quatro funcionários da Disney e um juiz reformado

Dreamstime Jornal i 17/03/2022 16:42

No estado da Florida, nos Estados Unidos, foi levada a cabo uma operação para identificar e entrar em contacto com pessoas que procuravam prostitutas e ainda adultos que poderiam falar de forma inadequada com crianças. Foram detidas 108 pessoas, entre os quais quatro trabalhavam para a Walt Disney e um juiz de 66 anos. 

A polícia norte-americana no condado de Polk, no estado da Florida, encetou uma operação secreta de seis dias para investigar tráfico de seres humanos, acabando por deter 108 pessoas, entre as quais quatro são funcionários da Disney e um juiz reformado. 

Na operação, a qual intitularam de "Operação Tristeza de Março 2 (Operation March Sadness 2)", os detetives utilizaram vários anúncios online de prostitutas através de sites e redes sociais para identificar e entrar em contacto com pessoas que procuravam este tipo de serviço, e ainda adultos que poderiam falar de forma inadequada com crianças. 

Depois de estabelecerem contacto com os suspeitos, a polícia preparava um encontro com os mesmos num local para procederem à detenção. 

A investigação resultou na detenção de 108 pessoas, entre as quais quatro funcionários da Disney. Xavier Jackson, de 27 anos, era nadador-salvador no Disney's Polynesian Village Resort, na Florida. Segundo o xerife Grady Judd explicou à comunicação social norte-americana, Xavier enviou fotografias e mensagens inapropriadas ao detetive que fingia ser uma rapariga de 14 anos. O jovem foi acusado de três crimes por transmitir material prejudicial a um menor e outro por comunicação ilegal. 

Já os outros três, que estavam alegadamente a tentar solicitar uma prostituta, são Wilkason Fidele, de 24 anos, que trabalhou num restaurante no Walt Disney World's Tomorrowland durante quatro anos, Shubham Malave, de 27 anos, que tem visto de cidadania indiana e trabalhou como programador de software para a Disney, e ainda Ralph Leese, de 45 anos, que esteve ligado à área da tecnologia de informação da Disney quase quatro anos. 

Para o xerife, estas detenções fizeram com que toda a operação valesse a pena. "Onde há prostituição, há exploração, doenças, disfunções e famílias desfeitas", apontou Grady Judd, citado pela CBS News, ao notar que estas pessoas "são perigosas". 

A Disney confirmou, num comunicado enviado à CBS, que Xavier Jackson, Wilkason Fidele e Ralph Leese estão sob licença sem vencimento, ao passo que Shubham Malave não é empregado da empresa. 

Além disso, as autoridades também detiveram um antigo juiz de Florida, de 66 anos, que estava à procura alegadamente de prostitutas, tendo sido acusado por ter solicitado uma. 

O xerife garantiu que vai continuar a prender este tipo de criminosos, ao notar que se fizesse outra operação na próxima semana, iria voltar a deter um grande número de pessoas. 

"E tenham a certeza de uma coisa: estes chefes e eu vamos fazer exactamente isso. Voltaremos e, se violarem a lei, vamos levá-los para a prisão. Isso é uma garantia", assinalou. 

Ler Mais

Os comentários estão desactivados.


Especiais em Destaque

iOnline

iOnline
×

Pesquise no i

×
 


Ver capa em alta resolução

iOnline