23/01/2022
 
 
A presciência do cinema. 10 filmes que previram o futuro

A presciência do cinema. 10 filmes que previram o futuro

Sara Porto 01/12/2021 15:45

No dia 4 de dezembro, a série da Netflix, Black Mirror, completará uma década. Tendo ficado conhecida pela desconcertante habilidade de contar histórias que posteriormente se tornaram realidade, a produção britânica também veio provar que a ficção científica tem provado ser uma janela para o futuro e a verdade é que já são muitos os filmes e séries que têm corroborado essa premissa. Os “profetas” do universo cinematográfico, por vezes, acertam nas coisas. Se alguns filmes nos falaram antecipadamente de gadgets inovadores, inteligência artificial, décadas antes de se tornarem parte das nossas vidas, outros previram grandes tendências e mudanças culturais, políticas e sociais, incluindo a pandemia da covid-19. 

007 - Dr. No - 1962 - Smartwatches

Os filmes do 007, um agente secreto fictício do serviço de espionagem britânico MI-6, criado pelo escritor Ian Fleming em 1953, são conhecidos pelas suas tecnologias inovadoras, principalmente pelos seus smartwatches, sincronizados pela agente secreta Q. A ideia acabou por não passar despercebida pelos vários “gigantes tecnológicos”, que a adaptaram da ficção para a realidade. Os relógios inteligentes, conhecidos por atualmente mandarem e receberem mensagens e executarem tarefas através da fala, chegaram em 1977, quando a Hewlett-Packard apresentou o HP-01 - um combinado entre um visor de LED com sete dígitos e um teclado com 28 botões que ofereciam uma gama variada de funções que incluía relógio, alarme, calculadora, cronómetro e até mesmo um calendário para 200 anos.

Soylent Green - 1973 - A Superpopulação e o Aquecimento Global

O filme americano realizado por Richard Fleischer, conta a história do ano de 2022, onde a cidade de Nova Iorque conta 40 milhões de habitantes – um futuro em que a superlotação e a superpopulação criaram uma escassez de recursos, incluindo alimentos. O filme mostra o mundo catastrófico que lida com uma ameaça global que é uma preocupação muito atual, já que os responsáveis pela escassez de alimentos são o aquecimento global e a mudança climática.

Blade Runner - 1982 -Os grandes Outdoors

O filme de ficção científica realizado por Ridley Scott levava-nos a Los Angeles no ano de 2019, decaído com a poluição, o consumismo exacerbado. Ai, já era possível fazermos uma chamada de vídeo numa cabine telefónica e a publicidade foi um dos centros do filme que mostravam outdoors digitais de quase 60 metros. Hoje em dia vemos outdoors gigantes nas maiores cidades do mundo. O conceito das cabines parece ter captado a atenção da gigante Google, que recriou o projeto e o disponibilizou nalgumas ruas nova-iorquinas, em 2016.

The Terminator - 1984 - Os veículos voadores de filmagens

O filme realizado por James Cameron e que levou Schwarzenegger à fama, faz-nos viajar até ao ano de 2029, com a criação de um ciborgue, desenvolvido para melhorar as capacidades do ser humano a partir da inteligência artificial. Um ciborgue que tinha um trunfo: veículos voadores para fins militares, os agora conhecidos como drones. Os militares dos EUA começaram a utilizá-los em meados da década de 90, mas já os podemos comprar em qualquer loja tecnológica.

The Simpsons - 1989 - O presságio de Trump

Os mais atentos saberão que a criação de  Matt Groening, The Simpsons, tem fama de adivinhar as coisas. Em maio de 2020, um usuário do Twitter apontou que a série poderia ter previsto a covid-19 num episódio de 1993. No enredo, a fictícia ‘gripe de Osaka’ domina Springfield depois de moradores encomendarem espremedores do Japão. Nessa mesma história, é derrubada uma caixa de vespas assassinas. Num outro episódio a série anteviu que Donald Trump se tornaria o Presidente dos Estados Unidos.

Demolition Man - 1993 - Relações Sexuais Virtuais

Quando o filme realizado por Marco Brambilla foi lançado, nem sequer existia a internet. Contudo, em português O Demolidor, foi um dos primeiros filmes e o mais famoso a apresentar o conceito do sexo virtual. No filme ele surge devido à proibição do sexo real e carnal. As personagens saltam vários anos e param em 2032 onde o sexo é feito através de óculos. Nos dias de hoje, uma das coisas mais procuradas na internet é, precisamente, a pornografia. A prática de sexo virtual por videochamada entre casais, também se foi tornando cada vez mais atual.

Minority Report - 2002 - Os ecrãs táteis

O filme de ficção científica, protagonizado por Tom Cruise e realizado por Steven Spielberg, dá-se em abril de 2054, quando a polícia PreCrime de Washington, DC, pára os assassinos antes de agir, reduzindo a taxa de assassinatos a zero, com a ajuda de informações disponibilizadas num grande ecrã tátil. São muitos aqueles que  acreditam que foi precisamente ai que as empresas tiraram a ideia que levou ao desenvolvimento dos ecrãs táteis. Em 2010, John Underkoffler apresentou a TED, uma tela com funções semelhantes à do filme.

Contagion - 2011 - Pandemia da Covid-19

Em português, O Contágio, é o filme mais associado à pandemia da covid-19 que afetou todo o mundo há dois anos. A história apresenta Gwyneth Paltrow como a primeira paciente de um vírus proveniente de um morcego infetado. A pandemia começa na China, antes de matar pessoas em todo o mundo com sintomas de gripe. No meio de todo o caos, políticos e a comunidade científica articulam-se para definir estratégias de controlo da doença, enquanto a sociedade luta para sobreviver ao momento de pânico.

Her - 2013 - A Siri do “amor”

Her, Ela, em português , tem como centro do enredo a relação que existe entre um ser humano Theodore Twombly (Joaquin Phoenix) e um sistema operativo Samantha , elevando-a a um patamar superior: eles têm uma relação afetiva/amorosa. O realizador, Spike Jonze, quis abordar a dependência que alguém pode ter de um sistema operativo. Hoje em dia, a Siri, sistema operativo da Apple que se materializa numa voz feminina responde a quase tudo.

Black Mirror - Nosedive -2016 - O perigo do poder digital

O primeiro episódio da terceira temporada da série antológica de ficção científica britânica,  mostra um futuro onde a vida em sociedade depende do bom status nas redes sociais - as pessoas avaliam-se de zero a cinco estrelas, tal como acontece na Uber. Em 2018, o Governo chinês começou a testar um sistema de “crédito social” que pune os cidadãos que cometem infrações de etiqueta, como tocar música em metros, copiar em exames, não comparecer a reservas em restaurantes ou recusar visitar  parentes idosos.

 

Ler Mais

Os comentários estão desactivados.


×

Pesquise no i

×
 


Ver capa em alta resolução

iOnline