15/5/21
 
 
Casamentos. Prejuízos avultados e empresas fechadas. 2020 é um ano para esquecer

Casamentos. Prejuízos avultados e empresas fechadas. 2020 é um ano para esquecer

Daniela Soares Ferreira 21/12/2020 08:24

Em 2019, Portugal contou com quase 40 mil casamentos. Em 2020, até meio de dezembro, foram 21 mil. Além de o número ter caído para quase metade, é preciso ter em conta que a maioria dos casais não fez a festa e as empresas do setor contam com perdas avultadas. Para 2021, a agenda já está preenchida devido aos muitos adiamentos desde ano. Agora é ver se a pandemia o permite.

2020 foi atípico para todos os setores. Apesar de praticamente todos se tentarem adaptar à nova realidade pandémica, as medidas de restrição tiveram impacto e não há como negar: as perdas foram incalculáveis. O setor dos casamentos – e todas as áreas a ele ligadas – não foi exceção. A comprovar esta realidade está o número de casamentos que não chegaram a acontecer, não só pelas restrições impostas mas também pelo medo dos noivos ou pela vontade de que tudo fosse perfeito, ou pelo menos como tinham imaginado.

Vamos aos números: segundo dados do Ministério da Justiça enviados ao i, o mês que contou com mais casamentos este ano foi setembro com 3248. O número não é pequeno mas, mesmo assim, é muito inferior ao mesmo mês do ano passado em que foram contabilizados 5128 casamentos.

Leia o artigo completo na edição impressa do jornal i. Agora também pode receber o jornal em casa ou subscrever a nossa assinatura digital.

 

 

Ler Mais


Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×