14/10/19
 
 

Guarda. O distrito que encolheu o número de deputados

19/09/2019 12:27

Nos últimos quatro anos, o distrito da Guarda perdeu quase 12 mil eleitores, o que levou à redução de um lugar no Parlamento, passando de quatro para três deputados eleitos. Em 1975 a Guarda elegia seis deputados e só em 1991 passou para quatro lugares. Quase 30 anos depois, o distrito perde representatividade na Assembleia da República. 

 

PS. Ana Mendes Godinho

A escolha de Ana Mendes Godinho, atual secretária de Estado do Turismo, para cabeça-de-lista pela Guarda não foi pacífica. Apesar de a Federação da Guarda ter chumbado o nome de Ana Mendes Godinho para ocupar o 1.º lugar da lista, o nome da secretária de Estado foi imposto pela direção do PS. Este episódio levou à demissão do presidente da Federação da Guarda, Pedro Fonseca. Esta é a primeira vez que Ana Mendes Godinho é cabeça-de-lista pelo PS. Nas últimas legislativas, aliás, a governante não integrou qualquer lista de candidatos a deputados. Ana Mendes Godinho é um dos membros do Secretariado Nacional do PS e tem vasta experiência ao Turismo. Entre 2005 e 2009, no primeiro Governo de Sócrates, foi adjunta e chefe de gabinete do secretário de Estado do Turismo. Foi ainda vice-presidente do Turismo de Portugal. É licenciada em Direito pela Universidade de Lisboa, com uma Pós-graduação em Direito do Trabalho e Logística e Ciência da Legislação.

 

PSD. Carlos Peixoto

O PSD voltou a escolher o presidente da distrital da Guarda, Carlos Peixoto, como cabeça-de-lista pelo distrito. É a terceira vez que lidera a lista de candidatos pela Guarda, tendo sido eleito como deputado desde 2009. Nasceu em Gouveia, tem 51 anos e é advogado. Foi membro da Assembleia Municipal de Gouveia entre 1989 e 1990 e entre 2001 e 2005, vereador da Câmara de Gouveia. No ano passado, o deputado foi analisado pela subcomissão de Ética depois de a Associação de Transparência e Integridade ter acusado Carlos Peixoto de conflito de interesses por redigir um parecer sobre os vistos gold. Isto porque, em 2013 Carlos Peixoto foi contratado como consultor jurídico da sociedade de advogados Caiado Guerreiro, que tem os vistos gold como uma das suas principais áreas de interesse. 

 

CDS. Henrique Monteiro

Também o CDS apostou no presidente da Comissão Política Distrital da Guarda para encabeçar a lista de candidatos pelo distrito. Henrique Monteiro nunca foi eleito deputado no Parlamento mas, nas últimas autárquicas, foi eleito deputado municipal na Guarda. Este ano voltou a ser eleito presidente da distrital, sendo este o seu terceiro mandato. Nas últimas legislativas, Henrique Monteiro foi um dos suplentes da lista de candidatos pela Guarda. Tem 58 anos e nasceu em Cerdeira do Côa e viveu na freguesia de Rochoso até aos 10 anos. Nessa altura a família mudou-se para a Guarda onde reside. É professor do 1.º ciclo do básico e pai de três filhos. Caso seja eleito deputado, Henrique Monteiro tem como prioridades atrair empresas para a região de forma a que sejam criados mais postos de trabalho. Quer ainda discutir medidas que travem o despovoamento no distrito.

 

BE. Jorge Mendes

O Bloco de Esquerda volta a apostar em Jorge Mendes como candidato pela Guarda. Em 2017, nas últimas autárquicas, Jorge Mendes foi a escolha do partido como candidato independente à Câmara da Guarda. E também nas últimas legislativas, em 2015, os bloquistas aprovaram Jorge Mendes para encabeçar a lista de candidatos pelo distrito. É ex-militante do PS em Gouveia, onde nasceu, mas vive na Guarda há cerca de 25 anos. É licenciado em Matemática mestre em Administração Escolar e tem pós-graduação em Gestão de Instituições do Ensino Superior e em Ciências da Administração pela Universidade do Minho. É ainda doutorando em Políticas Públicas, na Universidade de Aveiro. Desde 1990 que dá aulas como professor adjunto no Politécnico da Guarda tendo sido presidente da instituição entre 2001 e 2010 e Provedor do Estudante entre 2010 e 2017. 

 

CDU. André Santos

André Santos foi o candidato da CDU à Câmara da Guarda em 2017, nas últimas autárquicas. Volta agora a ser a escolha do PCP e de Os Verdes como cabeça-de-lista pelo distrito, substituindo Luís Luís. Nasceu em Aveiras de Cima e vive, desde 2004, em Foz Côa onde é arqueólogo no Parque Arqueológico do Vale do Côa sendo um dos responsáveis pelo guião da exposição permanente do Museu do Côa. Colabora no estudo da arte paleolítica da região tendo sido este o tema da sua tese de doutoramento na Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Participou em trabalhos de arqueologia por todo o país e é autor e co-autor de mais de meia centena de textos sobre a Pré-História na região da Beira Alta. Tem 42 anos e exerce ainda funções como delegado do Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais do Centro, afeto à CGTP, na Fundação Côa Parque. No PCP é membro da direção da Organização Regional da Guarda.    

 

PAN. Tânia Duarte

Tânia Duarte é outra estreia do Pessoas-Animais-Natureza nestas eleições legislativas. A cabeça-de-lista do partido pela Guarda tem 32 anos e tem formação em Gestão Hoteleira pela Escola Superior de Turismo e Hotelaria de Seia. Entrou para o PAN em 2017 porque sentiu afinidades com as causas sociais e ambientais. Nasceu na Guarda mas vive atualmente em Mafra. Trabalha numa empresa especializada no fabrico de caixilharias, na Venda do Pinheiro, onde assume funções de administrativa e responsável de qualidade. Nos tempos livres gosta de ler e de apanhar lixo enquanto faz caminhadas. Em 2018 publicou o livro A mulher que apanhava lixo.. 

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×