14/10/19
 
 
Vítor Rainho 16/10/2018
Vítor Rainho

vitor.rainho@newsplex.pt

Portugal não é um país para catástrofes

Com a passagem da tempestade Leslie, mais de 100 mil portugueses vivem sem luz e têm de fazer a sua vida sem essa coisa tão simples que é a eletricidade

Quando acordamos, é natural que acendamos a luz antes dos cuidados básicos de higiene, antes de tomarmos o pequeno-almoço. Chegados à cozinha, abrimos o frigorífico, escolhemos o que existe e o que nos apetece. Depois é hora de apanhar o elevador, antes de entrar no carro ou nos transportes públicos. Tudo isto é tão natural que raramente nos questionamos que para haver água na torneira e luz em casa é preciso que as empresas responsáveis pela sua distribuição a consigam fazer. 

Com a passagem da tempestade Leslie, mais de 100 mil portugueses vivem sem luz e têm de fazer a sua vida sem essa coisa tão simples que é a eletricidade. Muitos vão perder os alimentos que tinham nas arcas, não vão poder ver televisão, não vão conseguir ligar os seus computadores à rede e até as baterias dos telemóveis vão acabar, ficando dessa forma sem poderem contactar com o mundo. Há uns bons anos era este o retrato do país. Um Portugal profundamente rural em que os habitantes não tinham acesso a coisas tão simples como a eletricidade e a água canalizada.

Em pouco mais de 40 anos, muita coisa mudou para melhor, é certo, mas há fenómenos que nos fazem perceber que temos ainda um longo caminho a percorrer. O país não está minimamente preparado para catástrofes naturais, quer a nível das autoridades que deviam zelar pela nossa segurança quer de nós próprios. Não falando das tragédias provocadas pelos incêndios do ano passado, em que morreram mais de 100 pessoas, o que dizer de uma tempestade que causou tantos desencontros entre os responsáveis pela prevenção e assistência a calamidades? Como é possível a Proteção Civil não ter autorização para avisar as populações da iminência de tempestades e furacões, podendo exclusivamente alertar para o perigo de incêndios? E como é também possível que uma tempestade média tenha deixado mais de 100 mil pessoas sem eletricidade?

Portugal tem sido um país poupado a grandes catástrofes, mas as mudanças climáticas no planeta não auguram nada de bom para um país muito pouco preparado para as enfrentar.

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×