18/10/21
 
 
As maiores cheias

As maiores cheias

Luís Forra/Lusa Rosa Ramos 03/11/2015 15:25

Janeiro de 1962   
As segundas maiores cheias do século XX atingiram o Norte e Centro, sobretudo as populações em redor do rios Mondego e Douro. 

Novembro de 1967  

A subida das águas do Tejo matou 500 pessoas e destruiu casas numa área de muitos quilómetros. 

Fevereiro de 1979  
As maiores cheias do século XX duraram nove dias e fizeram dois mortos e 115 feridos. Quase 1200 pessoas tiveram de ser retiradas de casa. O distrito de Santarém foi o mais afectado.  

Novembro de 1983  
A subida das águas do Tejo matou 10 pessoas e 610 habitações ficaram destruídas. As cheias causaram prejuízos de 90 milhões euros.

Dezembro de 1989  
Mais de 1500 pessoas ficaram desalojadas na Régua e 61 em Santarém. O aumento dos rios Tejo e Douro fez pelo menos um morto. 

Novembro de 1997 
Onze pessoas morreram em inundações em Ourique, Aljustrel, Moura e Serpa.  

Inverno de 2000  
Os distritos de Vila Real, Porto e Santarém foram fustigados por várias cheias, que causaram a morte a pelo menos dez pessoas – a maioria atravessava zonas ribeirinhas. 

Fevereiro de 2008  
Quase 150 pessoas ficaram desalojadas em Loures em inundações que causaram 20 milhões de euros de prejuízo.  

Fevereiro de 2010  
Morreram 47 pessoas, 250 ficaram feridas e 600 perderam a casa na Madeira. Um forte temporal originou enxurradas, derrocadas e inundações. 

Março de 2013  
Três pessoas morreram em Faial da Terra, nos Açores. Houve deslizamentos de terras e inundações. 

Ler Mais


Especiais em Destaque

×

Pesquise no i

×