18/10/21
 
 
Vítor Rainho 26/05/2021
Vítor Rainho

vitor.rainho@ionline.pt

Será que Costa gosta de nos tratar como imbecis?

A mensagem que se está a passar é completamente idiota. Veja-se, por exemplo, a questão dos restaurantes. Segundo a lei em vigor, quase nenhuns estabelecimentos cumprem as regras, pois na mesma mesa não podem estar pessoas que não sejam do mesmo agregado familiar ou que vivam na mesma casa. 

António Costa, quando fala da pandemia, começa a parecer um verdadeiro vendedor da banha da cobra. Há um aumento significativo de casos de covid em Lisboa? “É óbvio que isso nada tem a ver com os festejos onde estiveram largos milhares de pessoas agarradas umas às outras e sem máscara. É uma estupidez completa associar-se uma coisa à outra”, é a resposta do primeiro-ministro. Que acrescenta ainda a pérola de que são as reuniões familiares que estão a complicar os números em Lisboa. Percebe-se perfeitamente que António Costa queira defender o turismo e a economia nacional, mas não nos tome a todos por estúpidos. Ou será que só na capital é que há reuniões familiares?

A mensagem que se está a passar é completamente idiota. Veja-se, por exemplo, a questão dos restaurantes. Segundo a lei em vigor, quase nenhuns estabelecimentos cumprem as regras, pois na mesma mesa não podem estar pessoas que não sejam do mesmo agregado familiar ou que vivam na mesma casa. Alguém acredita que isto está a ser cumprido? Não. Nem eu, nem ninguém que conheça cumpre tal imposição. Para se cumprir a lei teríamos, os amigos, de estar a dois metros uns dos outros. Isto faz algum sentido quando se permitem reuniões de milhares de pessoas para festejar triunfos futebolísticos?

No último fim de semana recebi várias fotos de uma festa na Margem Sul onde DJ internacionais e nacionais faziam as delícias dos presentes. Não faço ideia se a festa foi autorizada ou não, mas sei que há empresários que estão fechados há muito tempo para assistirem a dualidades de critérios destes. E é isso que chateia, o Governo não consegue ser coerente e trata-nos como se fossemos imbecis.

P. S. E o que dizer de alguns empresários que estão a aproveitar as ajudas governamentais para manterem os seus hotéis fechados, em vez de abrirem portas para porem a economia a rolar mais depressa? No Algarve faz impressão ver alguns hotéis icónicos fechados só porque estão a receber ajudas do Estado. A sua pequenez é lamentável e esperemos que outros possam ocupar o lugar desses parasitas.


Especiais em Destaque

×

Pesquise no i

×