23/1/20
 
 
José António Saraiva 30/09/2019
José António Saraiva
Opinião

jose.a.saraiva@newsplex.pt

O pior central do mundo

Fazer pior do que Varandas tem feito era impossível. Depois do terramoto de Alcochete, e da loucura total em que o clube mergulhou na fase final de Bruno de Carvalho, do que precisava o Sporting? De estabilidade.

SEBASTIÁN COATES Cinco golos oferecidos ao adversário, três derrotas por sua culpa, deve ser um palmarés único no mundo para um central. Nunca vi uma coisa assim. Ora, Coates era tido até há pouco como um excelente jogador. Lembro-me de exibições suas de grande nível contra grandes equipas: o Real Madrid, a Juventus, o Atlético de Madrid. O que se passou?

JULGO QUE COATES não mudou – o que mudou foi o mundo à sua volta. O que mudou foi o Sporting e a própria equipa leonina. Coates é o espelho da desorientação que tomou conta do clube. E cujo responsável tem outro nome: Frederico Varandas.

Fazer pior do que Varandas tem feito era impossível. Depois do terramoto de Alcochete, e da loucura total em que o clube mergulhou na fase final de Bruno de Carvalho, do que precisava o Sporting? De estabilidade. O Sporting precisava de estabilidade como de pão para a boca. Precisava de acalmar, de serenar, de assentar as águas.

ORA O QUE FEZ Varandas? A primeira coisa foi despedir Peseiro (sem ter dito nada, note-se, na campanha eleitoral). Logo aí, foi um erro de palmatória. Ainda por cima, despediu Peseiro para ir buscar um desconhecido, sem currículo, e que não conhecia o futebol português.

Mesmo assim, o homem não se saiu mal. Ganhou dois troféus. Pode dizer-se que foi com sorte; mas ganhou e outros perderam. E, num ano que era para estabilizar, ganhar dois troféus e ficar destacado em 3.º lugar não era nada mau.

Naturalmente, Keizer ficou. Fez a pré-época. Mas inesperadamente, ao fim de 5 jogos, foi despedido. Ora, um treinador avaliado durante o ano passado em dezenas de jogos deixava de prestar de repente por causa de 5 jogos? Fazia algum sentido?

LEONEL PONTES tomou conta do leme. O mais inteligente seria conservá-lo até ao fim da época – porque conhecia o clube, conhecia o campeonato português e parecia um homem ponderado. Mas não: Varandas tinha de demitir mais um treinador. Substituiu-o por um jovem com potencial, mas que está no início da carreira e precisaria de um ambiente calmo para se afirmar. O oposto do que existe em Alvalade…

E não contente com isso, Varandas disse aos 4 ventos que tentou contratar outros treinadores que recusaram. Ou seja, disse claramente que Silas é uma solução de recurso, diminuindo-o aos olhos de todos e até dos jogadores.

ENFIM, UM TREINADOR pouco experiente entra em posição fraca num clube em crise. Tem tudo para ser a próxima vítima.

Mas se Silas falhar, Varandas tem de se demitir. É verdade que será mais um pontapé na estabilidade. Mas quem semeia a instabilidade acaba sempre por ser vítima dela.

 

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×