18/2/19
 
 
José António Saraiva 04/02/2019
José António Saraiva
Opinião

jose.a.saraiva@newsplex.pt

Para onde irá Jesus?

A ida de Jorge Jesus para a Arábia Saudita tinha tudo para correr bem. O treinador podia ganhar um título fora do seu país, fazer um brilharete nas competições internacionais e introduzir uma nova dinâmica no futebol saudita. Além de que viria de lá com os bolsos cheios.

Mas Jesus fez tudo mal. Começou por dizer que dentro de um ano estaria de regresso a Portugal, deu várias entrevistas a recusar a hipótese de estar mais tempo na Arábia Saudita, chegou a referir-se ao Al-Hilal em termos depreciativos.

Perante isto, a nova direção fez-lhe um ultimato: ou renovava ou ia-se embora. Jesus preferiu a segunda hipótese. Assim, regressa das Arábias sem honra nem glória, nunca mais será convidado a treinar no estrangeiro e paga um balúrdio de impostos. 

Condenado a treinar um clube português, Jesus tem - teoricamente - abertas as portas dos três grandes.

Já se percebeu que Luís Filipe Vieira gostaria de o ter de regresso à Luz. É o treinador que - dos possíveis - lhe dá mais garantias da conquista de títulos. Mourinho já disse que os seus planos não passam por Portugal e Leonardo Jardim, Paulo Fonseca e Marco Silva são cartas fechadas. Jardim e Marco passaram pelo Sporting, fizeram coisas simpáticas mas não se aproximaram do título, Fonseca esteve no FC Porto e falhou. Esta é a verdade. 

Mas não é menos verdade que os sócios do Benfica não querem Jesus nem com molho de tomate. Nunca gostaram muito dele, mesmo quando lhes dava títulos, e passaram a gostar menos quando ele se mudou para o rival da Segunda Circular. 

No Porto, a situação é diferente. Pinto da Costa sempre viu com agrado a ida de Jesus para o Dragão mas, por uma razão ou por outra, ela nunca se concretizou. E, agora, o Porto tem um treinador ganhador e não vai trocá-lo por ninguém. A menos que…

A menos que Sérgio Conceição saia no fim da época - eventualmente para Itália - e o Porto precise de um substituto. Aí, Jesus é uma carta forte, até porque não tem tantos anticorpos no Dragão como na Luz. 

Finalmente, o Sporting Tudo depende da época que Keizer fizer. Caso faça uma boa época (o que já é difícil), com certeza continuará. Mas, caso desiluda e não ganhe nenhuma competição para lá da Taça da Liga, é muito difícil Varandas segurá-lo. Aí, o lugar ficará vago - e Jorge Jesus pode ser a melhor hipótese.

Até porque, tanto quanto se sabe, dá--se bem com o presidente, com quem já trabalhou. E, tendo rompido abruptamente o contrato em Alvalade por causa de Bruno de Carvalho, faria todo o sentido voltar para terminar o trabalho deixado a meio. E concretizar o sonho de ser campeão pelo Sporting.

Como se vê, as três hipóteses são possíveis. E o resultado do dérbi de ontem, com a clara vitória do Benfica sobre o Sporting, fragilizou a posição de Marcel Keizer - aproximando mais Jorge Jesus de Alvalade.

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×