20/11/18
 
 
Pedro Nuno ganha batalha e António Costa não gostou

Pedro Nuno ganha batalha e António Costa não gostou

Bruno Gonçalves Ana Sá Lopes 02/06/2018 11:12

Pela primeira vez num congresso do PS o potencial futuro líder roubou protagonismo ao atual líder. Costa não gostou do feito inédito. Quanto pagará Pedro Nuno Santos por ter afrontado a estratégia de Costa? 

Há um novo PS no partido liderado por António Costa e Costa não está a gostar. Esse PS é mais à esquerda do sítio onde o líder quer agora colocar o partido para as eleições legislativas e, miraculosamente, conseguiu empolgar mais o congresso do que o próprio  secretário-geral. Inédito.

Ao assumir-se como desafiador ideológico, e tendo os congressistas a seus pés e o apoio explícito de Manuel Alegre, Pedro Nuno Santos marcou espaço para o futuro mas também correu um grande risco: Costa, o líder, odeia que o desafiem. Se Pedro Nuno e seus apoiantes deram jeito a Costa para a formação da ‘geringonça’, a demarcação da estratégia centrista do secretário-geral – e o seu sucesso na Batalha – não encantou Costa.  O primeiro sinal da incomodidade viria logo no discurso de encerramento em que Costa sentiu necessidade de anunciar que «não meteu os papéis para a reforma», uma declaração inusitada num primeiro-ministro que ambiciona agora conquistar a maioria absoluta. O alvo era evidentemente Pedro Nuno Santos, que, ao definir uma linha distinta da do secretário-geral, tinha conquistado o Congresso.

Leia o artigo completo na edição do SOL deste fim de semana

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×