26/09/2018
 

IOGA

BENEFÍCIOS PARA O CORPO E PARA A MENTE

Sabia que o ioga pode ajudar a regular as doenças mentais ou até mesmo a reduzir as dores menstruais? O i dá a conhecer alguns dos benefícios desta prática e algumas curiosidades associadas a esta modalidade ancestral
TEXTO | Carmen Guilherme
Um desses benefícios surge precisamente numa investigação realizada por uma especialista portuguesa. A médica Sara Ponte realizou um estudo experimental sobre o ioga em Portugal e concluiu que esta prática melhora a saúde e a qualidade de vida.

Em entrevista à TSF, a médica revelou que, com a ajuda de 86 utentes, foi desen-volvido um estudo que colocava o ioga como terapia de uma medicina integrativa. Assim, a especialista avança que ao fim de seis meses de prática regular de ioga há uma melhoria de qualidade de vida a nível geral, social, físico, psicológico e até ambiental, havendo inclusive utentes a abandonar a medicação.

Outro benefício foi comprovado através de um estudo, publicado em maio pelo “International Journal of Yoga” e citado pela “Psychology Today”, que diz que esta prática pode ser uma forma de reduzir os sintomas de transtorno alimentar. Para se chegar a esta conclusão foram avaliadas mulheres com diagnóstico de bulimia nervosa ou distúrbio alimentar não especificado, após um programa de ioga que durou 11 semanas.

Os especialistas perceberam que os níveis de preocupação com a alimentação, que eram medidos antes e depois de cada sessão de ioga, decaíam significativamente após todas as sessões. Os grupos mantiveram os mesmos níveis de índice de massa corporal, mas a ansiedade e a depressão diminuíam com o passar do tempo.

IOGA AJUDA A MELHORAR O SONO, QUESTÕES RELACIONADAS COM ALIMENTAÇÃO E VÁRIOS PROBLEMAS DE SAÚDE

UM CORPO FIT

Em 2010, um grupo de investigadores norte-americanos quis mostrar o impacto de dez semanas de ioga no equilíbrio e na flexibilidade dos atletas universitários, e não só acabaram por detetar esse impacto como também concluíram que os corpos ficavam mais tonificados após as sessões de ioga, uma característica que os poderia ajudar no desenvolvimento dos desportos que praticavam, como se pode ler no estudo publicado pelo “International Journal of Yoga”.

A melhoria da força muscular e o aumento da resistência também não ficam de fora do ioga: é isso que diz o estudo publicado pelo “Asian Journal of Sports Medicine” e que se baseou apenas na “saudação do sol”, um conjunto de posturas de ioga.

O estudo mostra que estas posições podem ajudar a mantermo-nos em forma, já que ocorre aumento da força e resistência na parte superior do corpo. Estas posturas ajudam também as mulheres a perder peso.

Também as dores menstruais podem ser tratadas através do ioga. Segundo o estudo publicado no “Journal of Alternative and Complementary Medicine”, um grupo de mulheres que fizeram uma sessão de uma hora, uma vez por semana, durante três meses, tiveram dores menstruais menos intensas, comparativamente com o grupo que não fez ioga.

UMA MENTE SÃ

Mas se o seu problema não é nenhum destes e está relacionado com o sono, fique a saber que a solução também pode estar no ioga. Um estudo publicado pelo PubMed refere que os praticantes de ioga adormecem mais rapidamente, dormem mais e sentem- -se mais descansados quando acordam.

O mesmo site publicou ainda uma outra investigação que indica que o ioga é mais eficaz do que outros exercícios e pode mesmo ser usado no tratamento da dor lombar crónica.

Em 2014 foi feita uma análise a mulheres com cancro da mama ou sobreviventes que concluiu que o ioga reduz os marcadores tumorais encontrados no sangue, resultantes de inflamações crónicas.

A Universidade de Harvard também realizou um estudo dedicado ao ioga no qual conclui que doenças mentais podem ser controladas com o ioga, já que há uma redução de stresse, ansiedade, stresse pós-traumático e depressão.

Ainda assim, além de todos estes benefícios, o mais recente estudo sobre o ioga, publicado pela Universidade de Southampton e citado pelo “Guardian”, concluiu que os praticantes de ioga tendem a avaliar-se muito e a comparar-se com os outros – há uma necessidade de “autoaperfeiçoamento” e de “autocentralização”, o que pode mesmo levar a que se use a palavra “presunçosos” para os definir.

O DIA INTERNACIONAL DO IOGA FOI SUGERIDO POR UM PORTUGUÊS E IMPLEMENTADO PELAS NAÇÕES UNIDAS EM 2014

DIA COM SABOR A PORTUGUÊS

O Dia Internacional do Ioga foi proposto pela primeira vez em 2001 por um português. Segundo a Confederação Portuguesa do Yoga, o seu presidente HH Jagat Guru Amrta Súryánanda Mahá Rája, que foi registado como Jorge Veiga e Castro, orientou, a 21 de junho de 2002, a primeira comemoração do Dia do Ioga em Portugal, na cidade de Setúbal. Mas foi em 2014, após vários anos e com o apoio do governo da Índia, que as Nações Unidas oficializaram um dia internacional para o ioga, mantendo-se a mesma data.

Em 2016, esta prática ancestral com mais de 9 mil anos, e proveniente da Índia, foi declarada Património Imaterial e Cultural da Humanidade.

Segundo a Confederação Portuguesa de Yoga, as celebrações neste dia acontecem para que exista “um dia sem derramamento de sangue em todo o Planeta, e [para] promover a sustentabilidade, a diversidade étnica e cultural e a tolerância inter-religiosa, entre outros, num total de 30 princípios”.

Este ano, numa iniciativa organizada pela embaixada da Índia em Portugal e com o apoio da Confederação Portuguesa de Yoga e da Câmara Municipal de Lisboa, no Dia Internacional do Ioga irá haver, a partir das 18h00, nos Jardins da Torre de Belém, uma aula gratuita e de participação livre.

No Porto, as celebrações ocorrem a 24 de junho, pelas 10h00, no Parque Desportivo de Ramalde, e serão as celebrações oficiais com o lema “Aumento da Consciência – Sustentabilidade e PAZ”.

UMA HISTÓRIA COM MILHARES (E MILHARES) DE ANOS

Pouco se sabe sobre a origem do ioga. Não existe consenso quanto à data em que surgiu, sabendo-se apenas que foi desenvolvido na Índia entre 3300 e 1900 a.C. No entanto, os primeiros textos que fazem referência à filosofia associada a esta atividade datam do período entre 500 e 200 a.C.

Mais tarde, entre 200 a.C. e 500 d.C., o hinduísmo, o budismo e o jainismo começam a ganhar forma e poder enquanto correntes filosóficas importantes no mundo oriental - com este crescimento, o ioga, que é “adotado” por estas correntes de pensamento, começa também a ter maior expressão.

Na Idade Média surgem vários satélites do ioga - ou seja, começam a aparecer diferentes tradições ligadas a esta atividade, como o movimento Bhakti, Tantra e Hatha.

Tudo isto se passava a oriente. A este lado do mundo, o ioga só chega no séc. xix. Em 1851, o cientista indiano residente em Londres N. C. Paul publica “Treatise on Yoga Philosophy”, um dos primeiros livros sobre o assunto a ser divulgado no Ocidente. Em 1890, o mestre de ioga Swami Vivekananda tentou captar a atenção de todos e fez uma digressão pela Europa e Estados Unidos da América, com o objetivo de promover os ensinamentos relacionados com esta prática, uma viagem que chamou a atenção de milhares de pessoas de todas as camadas sociais, económicas e intelectuais.

No entanto, a parte “física” do ioga só começou a chegar em força à Europa e aos Estados Unidos da América a meio do séc. xx. O grande boom do ioga dá-se já no início do séc. xxi, quando milhões de pessoas aderiram a esta atividade - de acordo com estatísticas do site Yoga Journal, em 2016, 36,7 milhões de pessoas praticavam ioga. Não são conhecidos dados quanto ao número de praticantes na União Europeia. Os vários benefícios para a saúde (ver texto principal) e o relaxamento são dois dos motivos que levam milhões a aderir a esta prática.

TESTEMUNHOS

MAIS DO QUE EXERCÍCIO, UM ESTILO DE VIDA

Cláudia ficou sem emprego e virou-se para o ioga como forma de sustento. Pedro não precisou de mudar de profissão, mas usou esta atividade como forma de complementar a que já tinha. Rui vê esta prática quase como um full-time. O ioga mudou a vida destas pessoas, cada uma à sua maneira 

PEDRO VIEIRA

AJUDA A "DESCOBRIR A ESSÊNCIA"


Pedro Vieira tem 34 anos e a sua primeira experiência com o ioga foi em 2010. Bastou um panfleto num restaurante vegetariano e a vontade “de levar mais longe o seu caminho no autoconhecimento” para levar este ator de profissão a um workshop. 

Depois desse primeiro contacto, de “iniciação em algumas posturas de ioga”, Pedro percebeu que cada uma delas tinha uma função específica. Mais do que os efeitos físicos, “havia um aperfeiçoamento das qualidades humanas através do uso da lei da ressonância e do controlo da atenção”.

Com o tempo foi sentindo “uma melhoria da capacidade de foco, um aumento da capacidade de amar e ser amado”, adquirindo também “a capacidade de parar as flutuações da mente e viver o aqui e agora”, disse ao i.

Para o artista, atualmente a viver em Budapeste, a abordagem puramente física do ioga “é como explorar apenas a ponta do iceberg. Há melhorias a nível da saúde e do tónus do corpo, mas o propósito fundamental do ioga é a expansão contínua da consciência e da revelação do nosso self”.

Depois das perguntas frequentes dos amigos, o seu testemunho levou alguns a começar a praticar ioga, mas surgiu também “um desejo de partilha mais profundo, de querer ensinar”. Assim, Pedro começou a formação e tirou o curso de professor de tantra-ioga.

Esta prática trouxe também benefícios para a sua profissão: considera que o ioga o tornou mais focado e motivado. Reflete mais sobre cada dia de trabalho e sente os efeitos desta atividade quando interage com o público.

Pedro diz que inicialmente é difícil “abandonar o ego”, mas vale a pena descobrir a “nossa própria essência” através do ioga.

CLÁUDIA PRAÇA

TROCOU AS SALAS DE AULA PELO TAPETE


Se, para muitos, o ioga é um escape, para Cláudia Pinto Praça significa mudança de vida.

Durante 12 anos foi professora no ensino público. Já praticava ioga nessa altura e sentia que acabava por beneficiar muito com isso, uma vez que “sendo uma profissão com um considerável nível de stresse, sentia que o ioga ajudava a equilibrar as emoções e a recuperar a calma depois de momentos mais exigentes”. Tudo isto porque ter “maior consciência das nossas emoções permite-nos agir de forma menos reativa e evitar muitos conflitos”.

Depois de ter ficado sem emprego, Cláudia, que começou a levar a filha para as aulas de ioga, decidiu aceitar o desafio de uma das professoras e começou uma formação para se tornar instrutora para crianças.

“Fiz a formação numa época em que fiquei sem colocação e quando comecei a dar as primeiras aulas experimentais de ioga para crianças gostei imenso da associação entre o ioga e as histórias para crianças”, explicou ao i.

Depois de perceber que não havia nenhum livro original em português sobre o ioga e as crianças, decidiu lançar-se nessa aventura e, em 2014, nasceu o projeto “Ioga entre Histórias” com a edição de “O Leão que Perdeu a Juba”.

“A ideia é chegar até ao universo das crianças para que elas tenham naturalmente gosto pela prática do ioga. E isso faz-se através de jogos, canções, brincadeiras e histórias, tendo cada livro uma série de posturas de ioga associadas aos animais da história”, acrescentou.

Enquanto mãe e professora, Cláudia, de 39 anos, defende que “os benefícios prendem-se com o crescimento equilibrado, com a forma como libertam as tensões e emoções através do corpo e aprendem a reconhecer o que sentem”, mas também é importante na medida em que “é uma prática virada para a cooperação e entreajuda, e não para a competição”.

RUI BARRETO

IOGA É "UMA REVOLUÇÃO"


Estudou gestão e foi no ensino secundário que Rui Barreto experimentou fazer ioga pela primeira vez.

“Quando andava na escola, em Educação Física, a minha professora fazia exercícios de ioga e a saudação ao sol é um conjunto de posturas que ainda hoje faço”, explicou ao i. 

Contudo, admite que “nessa altura sentia mais benefícios a nível físico, nomeadamente em relação à postura e à força física. Mas hoje é uma técnica que vai além do físico, é um apoio espiritual no dia-a-dia”. 

Depois de começar a familiarizar-se com esta prática, Rui passou a encarar o ioga como “uma revolução”: “A componente do ioga que atua sobre a mente leva-nos a um silenciamento da mesma e toda a vertente oriental traz um desafio e um conhecimento revolucionário para o conhecimento ocidental. É estranho falar na nossa sociedade sobre isto, mas [os benefícios] já começam a ser confirmados pela ciência.”

Para o jovem de 23 anos, esta prática, “tão abrangente” que pode tornar-se “uma crença e um estilo de vida”. Tem de ser ensinada pelas pessoas certas devido à sua complexidade - é por isso que “a formação demora muitos anos e as escolas não passam a maioria dos alunos”.

“Os efeitos a longo prazo são transformadores. Se analisarmos, os professores de ioga são pessoas muito conhecedoras (….) com graus de felicidade, autoaceitação e autoconhecimento muito elevados”, acrescentou.

Rui, que foi inspirado pelo ioga a criar o “rdopeito”, um projeto de ecologia através da imagem e das palavras, acredita que “quem não pratica ioga vai começar a praticar”, mas defende que deve existir um “cuidado” para que “não se percam a integridade e as raízes, que é o problema da expansão”.

ANA SOARES

DEVIA SER COMO LAVAR OS DENTES


Ana Soares tem 40 anos e pratica ioga há quase 20. Tudo começou numa altura em que trabalhava em jornais diários, como o i - no ioga encontrava “uma forma de exercitar o corpo ao mesmo tempo que tranquilizava a mente e reduzia o stresse”.

“Apaixonada” desde o primeiro dia pela prática, Ana admite que aprendeu a “usar o corpo, a respiração e a mente” a seu favor e que “tudo o que aprende na prática [do ioga] é para ser usado na vida lá fora”.

Mas o verdadeiro desafio chegou quando já estava a fazer formação para ser instrutora: um diagnóstico de esclerose múltipla mudou para sempre a sua vida. 

“Aquando do único surto que tive até agora fiquei com dificuldades em andar, escrever, estar de pé, por não ter equilíbrio. Assim que cheguei a casa e fui capaz, sentei-me no tapete e fiz alguma prática de ioga (…) Lembro-me que cheguei a cair e a bater no móvel da sala”, afirmou, acrescentando que depois desse dia começou a dedicar-se mais à meditação e a fazer algumas das posições mais simples.

Um mês depois deste episódio, Ana marcou uma aula e conseguiu “fazer quase toda sem problema”, o que lhe deu “confiança” para avançar para a prática regular.

Ana considera que toda a recuperação se deu graças ao ioga, uma vez que os médicos não “receitaram fisioterapia”. Hoje, a já instrutora de ioga assume que foi a prática que a ajudou no equilíbrio, que era um dos seus piores sintomas, mas também na parte emocional, dando-lhe “bom humor e coragem” para não se deixar “ir abaixo”.

Sendo ela mesma a prova dos benefícios do ioga, Ana defende que esta prática devia tornar-se algo automático: “É uma pena que [o ioga] não faça parte da rotina de todos nós, tal como escovar os dentes.”

Para partilhar a sua história e também o seu trabalho dentro do ioga, Ana Soares criou o blogue Inspira Yoga Integral. 

DO NETO AO AVÓ

HÁ PARA TODOS OS GOSTOS

Existem várias modalidades de ioga – umas dedicadas aos mais novos, outras aos mais velhos. Há até novas tendências que envolvem animais, álcool e... nudez. Há ioga para todos os gostos e todas as modalidades têm o mesmo fim: trazer benefícios para a saúde de quem o pratica

IOGA PARA CRIANÇAS 

Se acha que o ioga é exclusivo da idade adulta, está muito enganado. Hoje em dia são várias as ofertas disponíveis para as crianças e, segundo a Confederação Portuguesa de Yoga, é na infância que devemos começar a dedicar-nos a esta atividade, uma vez que é nesta altura da vida que se podem aproveitar todas as potencialidades “inerentes à própria criança”.

As ofertas são o pré-ioga - dos três aos cinco anos - e o ioga para crianças - a partir dos seis anos.

O Yoga Journal destaca a sociedade moderna em que vivemos, uma sociedade de pais ocupados onde existe muita competitividade e também uma excessiva pressão escolar - fatores negativos que acabam muitas vezes por passar despercebidos no dia-a-dia.

Segundo o site norte-americano, o ioga pode ajudar a combater essas pressões, já que as crianças aprendem técnicas de saúde, relaxamento e satisfação interior, e isto ajuda a aumentar a autoestima, mas também promove a cooperação e a entreajuda. Além disto, aumenta a flexibilidade, a coordenação e a força das crianças. 

IOGA PARA GRÁVIDAS

O ioga também pode ser exercitado durante a gravidez, já que pode ser benéfico para as alterações que ocorrem ao longo dos nove meses.

De acordo com a instituição Centro do Bebé, além de ajudar a preparar o parto física e emocionalmente, o ioga também prepara a mulher para o novo ciclo da sua vida, uma vez que é desenvolvida uma maior consciência do corpo.

As aulas, que têm também o objetivo de ajudar na criação dos primeiros laços entre a mãe e o bebé, permitem aumentar a flexibilidade e a resistência, atenuar alguns dos desconfortos da gravidez - como as dores nas costas -, aliviar o stresse e a ansiedade, aumentar a capacidade de relaxamento e instruir as futuras mães acerca de alguns exercícios que possam ser úteis durante o trabalho de parto.

Algumas das escolas que oferecem ioga durante a gestação afirmam que este pode ser feito tanto por mulheres com ou sem experiência nesta prática. No entanto, a Confederação Portuguesa de Yoga defende que a gestante deverá praticar ioga “há pelo menos um ano, de forma regular”.

IOGA PARA IDOSOS

Se acha que o ioga é exclusivo da idade adulta, está muito enganado. Hoje em dia são várias as ofertas disponíveis para as crianças e, segundo a Confederação Portuguesa de Yoga, é na infância que devemos começar a dedicar-nos a esta atividade, uma vez que é nesta altura da vida que se podem aproveitar todas as potencialidades “inerentes à própria criança”.

As ofertas são o pré-ioga - dos três aos cinco anos - e o ioga para crianças - a partir dos seis anos.

O Yoga Journal destaca a sociedade moderna em que vivemos, uma sociedade de pais ocupados onde existe muita competitividade e também uma excessiva pressão escolar - fatores negativos que acabam muitas vezes por passar despercebidos no dia-a-dia.

Segundo o site norte-americano, o ioga pode ajudar a combater essas pressões, já que as crianças aprendem técnicas de saúde, relaxamento e satisfação interior, e isto ajuda a aumentar a autoestima, mas também promove a cooperação e a entreajuda. Além disto, aumenta a flexibilidade, a coordenação e a força das crianças. 

IOGA...PARA TODOS

E se agora pudesse incluir o seu animal de estimação nas sessões de ioga? Já é possível e está na moda nos Estados Unidos da América. Chama-se Doga e tem como objetivo colocar os animais a fazer ioga com os seus donos.

Mas há mais modalidades... Bizarras: Sabia que pode beber cerveja enquanto pratica ioga? Esta ideia surgiu na Alemanha e, apesar de grande parte das suas sessões acontecerem em Berlim, o conceito tem chegado a vários países.

Outra tendência chama-se Hot Yoga e não é nada mais nada menos, do que uma aula de ioga praticada numa sala aquecida a 40 ºC, com o objetivo de replicar o ambiente da Índia. Esta tendência já chegou a Portugal.

Mas se gostar de arriscar ainda mais pode fazer ioga a esta temperatura... completamente nu. Chama-se Hot Nude Yoga e já começa a dar que falar nalguns países.

Muitas mais são as opções que hoje existem no que diz respeito a praticar ioga. Com um leque de escolhas variado, pode ainda encontrar, por exemplo, o Weed Yoga, em países onde a canábis medicinal é legal, o SUP Yoga, que é feito em cima de uma prancha, ou o Salt Yoga, praticado sobre o sal dos Himalaias.

FIQUE A SABER ONDE COMEÇAR

LISBOA

Em Lisboa, o difícil será escolher, já que as opções de espaços onde pode praticar ioga são inúmeras. O Centro Português de Yoga, o Lisboa Yoga Fit e a Casa Vinyasa são algumas das opções

PORTO

Também no Porto há espaços de ioga para todas as idades e gostos. Deixamos-lhe a sugestão do Centro de Yoga do Porto, o Centro Budista do Porto ou até mesmo o Lotus Studio, que tem um horário diversificado para aqueles que têm uma vida mais ocupada.

COIMBRA

O ioga também já chegou ao centro de Portugal. Alguns dos espaços onde pode praticar ioga são o Centro de Yoga de Coimbra e o Áshrama Yoga Coimbra. Além disso, também a Associação Académica de Coimbra tem um espaço dedicado à prática do ioga.

ÉVORA

Na cidade do Alto Alentejo pode começar as suas aulas de ioga no centro Áshrama Évora Dhyána ou usufruir das aulas de ioga no ginásio everybody health & fitness club.

ALGARVE

Em solo algarvio, Faro é uma das cidades que mais oferecem sessões de ioga. A Confederação Portuguesa de Yoga tem um estúdio naquela capital de distrito, mas também pode optar pelo Raja Yoga Meditation ou pelo Yogalgarve. 

VISEU

Se está por perto e quer incluir o ioga na sua rotina, em Viseu, o leque de opções é variado. Espaços como o FIT&SANE, Yogar ou o Primum – Studio de Pilates são alguns dos sítios que pode escolher.

SETÚBAL

Na cidade sadina, o Centro do Yoga Áshrama Setúbal, o Chintámani – Centro do Yoga de Setúbal ou o Yoga Bliss Studio são algumas das opções.

AÇORES

Nos Açores, na ilha de S.Miguel, pode encontrar a escola Açores Yoga – Casa Vinyasa. Apesar de existirem menos escolas pelas ilhas açorianas, não é uma desculpa para não praticar ioga, já que vários centros desportivos promovem estas sessões.

MADEIRA

No Funchal comece as suas aulas de ioga nos estúdios Ananda Marga Yoga. Tem também o Emilie Mangoni – Yoga Madeira Island, no Machico.

24 CURIOSIDADES SOBRE IOGA

1

SUÁSTICA

Um dos símbolos do ioga chama-se suástica. Deriva do sânscrito “svastika” e significa felicidade e bem-estar. Os nazis adotaram também este símbolo, que está presente em várias culturas e religiões, como os celtas e os astecas.

2

MELHOR ORGASMO

O ioga ajuda a melhorar os orgasmos. Um artigo publicado em 2015 no site Bustle diz até que foi criado o termo “yogasms” – orgasmos induzidos pelo ioga. No texto é descrito que este fenómeno acontece a cerca de 20% das mulheres que praticam esta atividade.

3

EJACULAÇÃO PRECOCE

Um estudo realizado por especialistas indianos e divulgado no site dedicado a publicações académicas NCBI revela que o ioga pode ajudar a travar as ejaculações prematuras. A investigação chegou à conclusão de que este pode ser um método eficaz para (sem recorrer a medicação) tratar o problema.

4

FLOR DE LÓTUS

A principal posição usada no ioga – pernas cruzadas e mãos apoiadas nos joelhos, viradas para cima – tem como objetivo imitar a beleza e a simetria da flor de lótus. É daí que vem o seu nome: posição de lótus.

5

IOGI E IOGINI

Um praticante de ioga do sexo masculino chama-se iogi, enquanto as praticantes do sexo feminino são conhecidas como iogini – na escola tântrica, este termo também é usado para as parceiras sexuais.

6

VIDA SEXUAL

Para além de melhorar os orgasmos e prevenir a ejaculação precoce, vários estudos divulgados na internet mostram que o ioga ajuda a melhorar a vida sexual como um todo, pois tem um impacto muito positivo no sistema circulatório, o que poderá influenciar o desempenho sexual.

7

MENSTRUAÇÃO

Alguns instrutores de ioga defendem que, durante o período de menstruação, as mulheres devem evitar posições invertidas. No entanto, esta não é uma posição defendida por todos os especialistas.

8

FRAQUEZA DE ESPÍRITO

Nem todos são fãs desta prática. No livro “The Culture of Narcissism”, publicado em 1979 pelo crítico social Christopher Lasch, é defendido que o sexo oral e o ioga eram, na altura, dois sintomas da “fraqueza de espírito da América”.

9

IOGA E JUNG

Carl Gustav Jung, discípulo de Sigmund Freud, foi um dos primeiros pensadores a dedicarem-se ao estudo do ioga. O psiquiatra suíço viu nesta prática uma forma de desenvolver um maior autoconhecimento, o que influenciou a implementação do ioga no Ocidente.

10

MAIOR AULA DO MUNDO

O Guinness World Records registou a maior aula do mundo de ioga. Ocorreu há precisamente um ano, no distrito de Mysuru, na Índia, e envolveu 55 506 participantes. Esta iniciativa serviu para assinalar o Dia Internacional do Ioga naquele país.

11

MARATONA DE IOGA

A maior maratona de ioga com participantes masculinos durou 69 horas. Sim, quase três dias seguidos a fazer ioga... Segundo o Guinness World Records, esta aula decorreu em Tamil Nadu, na Índia, entre os dias 18 e 21 de junho de 2016.

12

A INSTRUTORA MAIS VELHA DO MUNDO

Em 2012, o Guinness World Records atribuiu o título de instrutora de ioga mais velha do mundo no ativo a Ida Herbert. Na altura, a canadiana tinha 95 anos. Em 2016 completou 100 anos e continuava a dar aulas de ioga em Orillia, Ontário.

13

IOGA EM CIMA DE UMA MOTA

O indiano Hav Ramesh conseguiu a proeza de realizar 50 posições de ioga em cima de uma mota em movimento. De acordo com o Guinness World Records, o recorde foi atingido a 21 de dezembro de 2013 em Jabalpur, na Índia.

14

MARATONA FEMININA

A canadiana Yasmin Fudakowska-Gow conseguiu bater um recorde do Guinness ao realizar, em 2010, a maior maratona de horas de ioga no feminino. Ao todo, Yasmin esteve 32 horas a fazer ioga.

15

INTIMIDADE

O futebolista inglês David Beckham é um praticante assíduo de ioga. O atleta chegou mesmo a dizer que fazia esta atividade com a mulher, a ex-Spice Girls e estilista Victoria Beckham, para fortalecer a relação e a intimidade entre o casal.

16

INSTAGRAM

Gisele Bündchen também não dispensa o ioga. A brasileira, considerada uma das modelos mais bonitas do mundo, costuma partilhar várias fotografias na sua conta oficial no Instagram onde aparece a fazer várias posições.

17

SALA PARA IOGA

Numa entrevista à publicação “Details”, em 2011, Adam Levine, vocalista dos Maroon 5, revelou que é um grande adepto de ioga. “Em muitos dos nossos concertos existe uma sala que tem um sinal à porta a dizer ‘Ioga’”, revelou o cantor.

18

NOVAS DESCOBERTAS

Tom Hanks aderiu ao ioga recentemente. No programa britânico “Lorraine” disse que esta era uma das suas mais recentes (e melhores) descobertas: “Comecei a fazer ioga. É uma das melhores coisas que qualquer pessoa pode fazer.”

19

IOGA EM VIAGEM

“Mesmo quando estou a viajar, tento arranjar dez minutos logo pela manhã para fazer um pouco de ioga. É o que me ajuda a relaxar, a alongar e a ‘abrir’ o meu corpo”, disse a modelo brasileira Alessandra Ambrosio à revista “Shape”.

20

APARÊNCIA JOVEM

Sting diz que o ioga o ajuda a manter uma aparência e um espírito jovem. “Ajuda a reverter o processo de envelhecimento. Consigo fazer coisas com o meu corpo que era incapaz de fazer quando era adolescente”, revelou o músico inglês.

21

PORTUGUESAS

Existem várias mulheres portuguesas que dedicam as suas contas no Instagram ao ioga. Susana Vie, Lita Cabral, Inês Roseta e Sofia Mano são algumas delas.

22

YOGATERAPIA

Atenção: não confunda yogaterapia com ioga. O primeiro termo – rejeitado por alguns e muito aceite por outros – implica o uso de técnicas do ioga naquilo que é conhecido como “terapia espiritual”.

23

CHAKRAS

Já ouviu falar neste termo? Várias pessoas acreditam que os seres humanos têm oito centros de energia no seu corpo, conhecidos como chakras. É através deles que são absorvidas as energias cósmicas. Muitos encaram o ioga como forma de purificar estes oito pontos.

24

IOGA DO RISO

Um médico indiano criou uma nova modalidade: ioga do riso. Madan Kataria defende que o riso ajuda a nos processos de recuperação de várias doenças e a tratar desequilíbrios emocionais.