24/09/2018
 

As polémicas de Bruno Carvalho em 16 frases

Bruno de Carvalho é o protagonista de uma novela que já tem mais de cinco anos. Entre eleições, assembleias-gerais, desabafos no Facebook e castigos, os sportinguistas não têm tido descanso. Dentro do Sporting já todos serviram de alvo: ex-presidentes, dirigentes, adeptos, treinadores e jogadores

TEXTO | André Vinagre

A relação entre Bruno de Carvalho e os adeptos leoninos começa bem. Em março de 2011, candidatou-se à presidência do Sporting e perdeu contra Godinho Lopes. Face aos resultados, muitos adeptos sportinguistas reagiram com indignação e foi Bruno de Carvalho a acalmar os ânimos.

Dois anos depois foi eleito presidente do Sporting. A partir daqui, seguiram-se uma série de eventos que iriam dividir o seio leonino. Os “soundbites” provocatórios contra os clubes rivais são constantes, mas os recados para dentro começaram em 2014, depois das derrotas pesadas da equipa principal e da equipa B. “Quer a equipa principal quer a equipa B brindaram os sportinguistas com péssimas exibições que não dignificaram o nosso clube e a nossa camisola”, dizia Bruno de Carvalho na altura.

A relação entre Bruno de Carvalho e Marco Silva foi-se deteriorando e, mesmo depois de vencer a Taça de Portugal, em junho de 2015, o treinador português foi despedido pela direção. Um dos pontos mais polémicos da nota de culpa entregue por Bruno de Carvalho a Marco Silva tinha a ver com a indumentária: Marco Silva não terá usado o fato oficial do Sporting numa das eliminatórias da Taça.

Os ex-dirigentes Godinho Lopes, Luís Duque, Nobre Guedes e Carlos Freitas, por exemplo, foram visados várias vezes nas críticas de Bruno de Carvalho, levando-os mesmo a responder perante a Justiça.

As críticas dos sportinguistas começavam, então, a ouvir-se. “Nem Champions, nem Taça, nem cérebro, nem liderança, nem poupança. As mentiras já Doyen. O Sporting está em risco. Acordem!”, lia-se num cartaz colocado junto ao estádio de Alvalade.

No início de 2017, Bruno de Carvalho voltou à carga contra os jogadores. Desta vez, depois de um empate em Chaves, o presidente leonino terá acusado os jogadores de serem “uns chulos”. O Correio da Manhã escrevia na altura que a tensão foi grande no balneário e que os jogadores se terão insurgido contra Bruno de Carvalho.

Em março, Bruno de Carvalho foi reeleito com 86% dos votos dos sportinguistas. Um mês depois, o líder leonino prometeu que sairia do Facebook, promessa que viria a quebrar dois meses depois, regressando em força às redes sociais.

Em janeiro de 2018, os adeptos foram os alvos. “Sinceramente nem tenho palavras... Somos os primeiros a deitar-nos abaixo...”, escrevia Bruno de Carvalho depois de algumas críticas dos adeptos visando a equipa.

A partir de fevereiro deste ano, a novela adensa-se. Durante uma assembleia-geral acalorada e perante alguns insultos dos sócios, Bruno de Carvalho deixa no ar a possibilidade de se demitir e abandona a reunião. Dois dias depois, numa conferência de imprensa polémica, anunciava uma nova assembleia-geral e fez um ultimato: ou os novos estatutos eram aprovados com mais de 75% dos votos, ou demitia-se. Acabou por ser aprovado com quase 90% dos votos.

Entretanto, no Facebook, Bruno de Carvalho chamou “lacraus” a alguns sportingistas (ou “sportingados”, termo que cunhou para designar os sportinguistas aziados). Antes, numa outra publicação, Bruno de Carvalho desabafou: “Triste, sozinho, cada vez mais infeliz, sem perceber o que se passou para eu sentir, dentro de mim, tanta ingratidão que me faz querer ir embora”.

O episódio mais recente aconteceu este fim de semana. Na véspera de um importante jogo frente ao Marítimo, Bruno de Carvalho dá uma entrevista ao jornal Expresso ao seu estilo. Numa das frases-chave da entrevista, Bruno de Carvalho diz que “para ter sucesso, a primeira coisa a fazer é criar fama de maluco”.

O Sporting acabaria por perder o jogo e, consequentemente, o segundo lugar, que daria lugar à Liga dos Campeões. Bruno de Carvalho chama os jogadores e a equipa técnica para uma reunião em Alvalade. As notícias davam conta que Jorge Jesus seria suspenso pela administração, notícias, essas, que Bruno de Carvalho viria a desmentir. Tudo isto na semana que antecede a final da Taça de Portugal. Já esta terça-feira, num comunicado, o Sporting garantiu que seria JJ a orientar a equipa no Jamor.
Mobirise