17/04/2024
 
 
Basta!

Basta!

Joaquim Jorge 05/03/2024 15:03

Basta de politiquices, ser de direita ou de esquerda o importante é tentarmos todos resolver os nossos problemas.

A justiça tem que dar um sinal, em que  os investigados por casos graves de corrupção do passado, como o banqueiro Ricardo Salgado ou o antigo primeiro-ministro José Sócrates, tenham um desfecho.

Temos de deixar de ser politicamente correctos, dizer as coisas que devem ser ditas e resolvidas no nosso país.

O nosso sistema político não está a dar a resposta adequada aos problemas dos portugueses. Uma democracia sem ter uma justiça funcional é um enorme problema de credibilidade do sistema.

Infelizmente os partidos políticos não inspiram confiança. É fundamental haver um desígnio nacional para eliminar a corrupção e o clientelismo; que deixemos de viver num país pobre, onde as pessoas se cansam de pagar impostos. Há pessoas que têm uma pensão muito baixa e há na política portuguesa muita corrupção. Esse fenómeno cria um sentimento de revolta no nosso país.

Temos que aceitar os imigrantes com algumas regras, para serem uma mais-valia, e não, um problema.

Os portugueses têm que se sentir representados e devem votar com convicção, e não, como um mal menor. Infelizmente os políticos não inspiram confiança, salvo raras excepções.

Em Portugal há muita pouca gente recomendável e séria. Infelizmente Portugal é muito mal frequentado. As pessoas não têm a quem se agarrar. Eu fazendo um exercício de memória considero algumas pessoas sérias em Portugal que estiveram na vida pública: Teodora Cardoso, missionária das contas públicas; Ramalho Eanes que recusou 1,3 milhões de euros de retroactivos correspondente à aposentação militar; Medina Carreira, um alarmista consciente; Paula Teixeira da Cruz que não há nada a apontar-lhe; Pedro Passos Coelho que herdou um país falido.

Muitos portugueses com os quais me identifico, não estão insatisfeitos com a democracia, mas com o seu funcionamento.

Estudo da FEP conclui que o peso da economia não registada em 2022 corresponde a mais de 82 mil milhões de euros, o equivalente a seis orçamentos da saúde em Portugal. Como é possível num país democrático? Quem paga impostos como se sente?

A vida das pessoas tem que mudar e ser melhor.

Esperemos que os nossos políticos façam alguma coisa decente com os votos e com os "não votos"! Como diz Christian Laval (sociólogo francês), "a democracia representativa já não representa nada".

O 25 de Abril foi um arranjo conjuntural, que deixou muitas coisas por terminar. Portugal parece um país cansado, também fruto de muitas misérias anteriores.

Como diz Michel Maffesoli (sociólogo francês), "o político é o contrário da democracia". A política é difícil de explicar: o voto é uma maneira muito pobre de saber-se o que as pessoas querem e desejam.

Eu estou cansado de tudo isto.

Basta de fazer dos outros parvos. Basta de sermos enganados. Basta de só se pensar no poder. Basta de dar maus exemplos. Basta de mentir. Basta de não querer mudar. Basta de só falar. Basta de faltas de respeito. Basta de tantos erros.

Basta de não se ter memória. Basta de não se assumir responsabilidades. Basta de não haver culpados. Basta de não haver consequências. Basta deste tipo de política.

 

Fundador do Clube dos Pensadores

Ler Mais

Os comentários estão desactivados.


×

Pesquise no i

×
 


Ver capa em alta resolução

iOnline