01/03/2024
 
 
Acessos à ponte Vasco da Gama e Vila Franca de Xira condicionados pelos agricultores

Acessos à ponte Vasco da Gama e Vila Franca de Xira condicionados pelos agricultores

José Sérgio Jornal i 02/02/2024 12:40

Os acessos à Ponte Vasco da gama no sentido Sul/Norte estão condicionados.

Os acessos à Ponte Vasco da Gama estão a ser condicionados, por cerca de 80 tratores e outras viaturas de apoio a atividades agrícolas. Também a circulação rodoviária na Ponte Marechal Carmona, em Vila Franca de Xira, e a Reta do Cabo, estão, esta sexta-feira, com constrangimentos.

André Miranda, agricultor de Palmela, citado pela agência Lusa, explica que, neste protesto, que limita o acesso à Ponte Vasco da Gama, estão agricultores da Península de Setúbal, mas também dos concelhos de Alcácer do Sal, Grândola e Vendas Novas.

“Formámos várias equipas, uma vai até à Moita e depois volta para Alcochete, através do IC33, outra equipa está a sair na rotunda do Montijo e volta a entrar no IC33, rumo a Alcochete, tudo dentro da legalidade e acompanhado pelas autoridades”, explicou o agricultor.

André Miranda, que se dedica à exploração de produtos hortícolas no concelho de Palmela, no distrito de Setúbal, explica que outro grupo de agricultores está também a bloquear a reta do cabo “com pessoal do Alentejo numa marcha lenta que está a ser acompanhada pela GNR”.

Fontes da Guarda Nacional Republicana (GNR) e da Polícia de Segurança Pública (PSP), citadas pela Lusa, indicam que, em Vila Franca de Xira, a Ponte Marechal Carmona e a Reta do Cabo, encontram-se “condicionadas”, estando as “forças de segurança a coordenar uma marcha lenta de tratores”.

A ponte de Vila Franca de Xira faz ligação entre o concelho do distrito de Lisboa e o concelho de Benavente no distrito de Santarém.

O agricultor de Palmela explica que o que os profissionais do seu setor pretendem é a “valorização do setor primário” sendo que, “muitas vezes, a diferença entre o preço pago ao produtor e o preço pago pelo consumidor final, pela cebola, pela cenoura ou pela batata, é de mais de 300% do que o preço pago à produção”.

“Exigimos que haja um controle maior porque não somos nós que ganhamos o dinheiro. Se houvesse maior regulação, era bom para o agricultor e para o consumidor” diz André Miranda.

O profissional da agricultura sublinha que os agricultores da região de Setúbal, tal como diversos outros produtores europeus, lutam também contra a “concorrência desleal” entre outros países, que utilizam produtos químicos e adubos na produção, mas que exportam os seus produtos para a Europa sem estarem obrigados a cumprir as regras impostas aos agricultores dos países da União Europeia.

“Não existe uma legislação, não existe um controlo sobre a origem desses produtos e para verificar se têm resíduos ou não. Nós cá, na Europa, temos que produzir quase tudo com `resíduo zero´. Tudo o que vem de fora, nada é controlado, vale tudo e podem trabalhar de qualquer maneira”, disse.

“A Europa está sozinha no mundo. Não vale a pena remar contra a maré porque a Europa está sozinha no mundo. É o mundo contra a Europa”, rematou André Miranda.

Fonte da GNR, citada pela Lusa, indica também que na A33, na zona de Alcochete, no distrito de Setúbal, está a registrar constrangimentos na circulação devido à marcha lenta dos agricultores, que começou pelas 06h00  .

Ler Mais

Os comentários estão desactivados.


×

Pesquise no i

×
 


Ver capa em alta resolução

iOnline