20/04/2024
 
 
Greve de mulheres na Islândia

Greve de mulheres na Islândia

Jornal i 24/10/2023 14:38

A paralisação de 24 horas (termina à meia-noite) já foi considerada a maior desde o primeiro evento desse tipo na Islândia.

Mulheres de toda a Islândia estão esta terça-feira em greve de protesto contra a desigualdade salarial e a violência baseada no género. A primeira-ministra do país juntou-se ao movimento. 

Os sindicatos da Islândia – quase 90% dos trabalhadores da Islândia são sindicalizados –  , os principais organizadores da greve, apelaram às mulheres para que recusem qualquer trabalho remunerado e não remunerado, incluindo tarefas domésticas, durante o dia.

A chefe do governo, Katrin Jakobsdóttir, avisou que iria ficar em casa no âmbito da greve das mulheres — “kvennaverkfal” em islandês — e disse esperar que outras mulheres no seu Governo façam o mesmo. 

As escolas e o sistema de saúde, que têm uma força de trabalho dominada por mulheres, disseram estar a ser fortemente afetados pela paralisação, enquanto a RUV (estatal)  reduziu as transmissões de televisão e rádio.

A paralisação de 24 horas (termina à meia-noite) já foi considerada a maior desde o primeiro evento desse tipo na Islândia. Há quase  50 anos, a 24 de outubro de 1975 – 90% das mulheres recusaram-se a trabalhar, limpar ou cuidar dos filhos em protesto contra discriminação laboral no país. 

A Islândia, uma ilha com cerca de 380 mil habitantes foi classificada durante 14 anos consecutivos como o país com maior igualdade de género no mundo pelo Fórum Económico Mundial, que mede salários, educação, cuidados de saúde e outros fatores.

Nenhum país alcançou a igualdade total e continuam a existir disparidades salariais entre homens e mulheres na Islândia. “Ainda não atingimos os nossos objetivos de plena igualdade de género e ainda estamos a combater a disparidade salarial baseada no género, que é inaceitável em 2023”, afirmou a primeira-ministra. “Ainda estamos a combater a violência baseada no género, [medida] que tem sido uma prioridade do meu Governo”, acrescentou Katrin Jakobsdóttir

Ler Mais

Os comentários estão desactivados.


×

Pesquise no i

×
 


Ver capa em alta resolução

iOnline