01/10/2023
 
 
Atletas naturalizados. Há menos ou mais anos com Portugal nas veias

Atletas naturalizados. Há menos ou mais anos com Portugal nas veias

Jornal i 13/09/2023 21:44

Não nasceram em Portugal mas é Portugal que lhes corre nas veias e no corpo e só dão motivos para sorrir ao país que representam. Em várias modalidades, há cada vez mais atletas que nasceram fora e se naturalizaram em Portugal para competir pela nossa seleção. Nélson Évora, Francis Obikwelo e Pedro Pichardo são três referências bem conhecidas, mas há mais.

Auriol Dongmo

Lançamento do peso

Naturalizou-se portuguesa em outubro de 2019 e, poucos meses depois, em janeiro do ano seguinte, bateu o recorde de Portugal do lançamento do peso durante os distritais de Leiria em pista coberta, com a marca de 18,02m. Nos Campeonatos de Portugal em Pista Coberta conseguiu um arremesso a 18,37m. Além de outros recordes, em março de 2022, sagrou-se campeã do mundo do lançamento do peso em pista coberta. Mas o seu percurso nem sempre passou pelo nosso país. Nascida nos Camarões, representou o país nos Jogos Olímpicos de Verão de 2016 e no Campeonato Mundial de Atletismo de 2015. Foi Campeã de África em 2014 e 2016 e conquistou a Medalha de Ouro nos Jogos Africanos de 2011 e 2015. Em 2019 passou a representar o Sporting Clube de Portugal. Dongmo tem um máximo de 20,43 metros no peso, tanto no interior como ao ar livre, marca obtida nos Mundiais Indoor de Atletismo de Belgrado no ano de 2022, que é o recorde português. No disco o seu recorde é 47,00 metros. Na sua carreira conta com vários ouros, não só em competições europeias como em Jogos Pan-Africanos.

Arialis Martinez

Atletismo - 100 m

Arialis Martinez é uma velocista portuguesa nascida em Cuba. Representa o Benfica e competiu nos 200 metros no Campeonato Mundial de 2015 em Pequim sem avançar na primeira fase. Em março deste ano tornou-se a primeira portuguesa a chegar a uma final dos 60 metros em Europeus de atletismo indoor, tendo assegurado um lugar entre as oito mulheres mais rápidas em Istambul’2023 ao correr os 60 metros em 7,24 segundos, com a quarta melhor marca entre as semifinalistas, após ser quarta colocada na sua série, a terceira. Ainda assim, a atleta pensa ir mais longe.  “Ainda posso aperfeiçoar a partida, mas foi a minha corrida ideal, sim”, disse quando alcançou este feito. Tendo sido uma das vítimas do desinvestimento da Escola Nacional de Atletismo, em Cuba, chegou a Portugal com 22 carregada de sonhos e com grande vontade de fazer nome com o seu percurso profissional. A mudança na sua vida aconteceu em março deste ano, quado se estreou pela seleção portuguesa nos Europeus de pista coberta.

Evelise Veiga

Salto em comprimento

Nasceu em Cabo Verde em 1996 mas é por Portugal que se destaca. Foi em 2012 que adquiriu a nacionalidade portuguesa e logo no ano seguinte foi Campeã Nacional Juvenil do Salto em Comprimento, tendo também estado presente no Campeonato do Mundo daquele escalão. Três anos depois, em 2015, foi Campeã Nacional Júnior do Triplo Salto e do Salto em Comprimento e marcou presença no Campeonato da Europa dessa categoria. Aqui, ficou em 9º lugar no Salto em Comprimento e em 10º no Triplo Salto. Em 2016 e 2017 foi campeã de Portugal do Salto em Comprimento e conquistou todos os títulos do Salto em Comprimento e do Triplo Salto no escalão de sub-23. Nesse último ano ainda foi campeã de Portugal do Salto em Comprimento em pista coberta e esteve presente no Europeu de sub-23, onde foi 5ª classificada no Salto em Comprimento e 12ª no Triplo Salto. É no final desse ano que chega ao Sporting Clube de Portugal e faz parte da equipa que ganhou a Taça dos Campeões Europeus de Atletismo em 2018. Em 2018, 2019, 2020, 2021 e 2022 foi Campeã de Portugal no Salto em Comprimento em pista coberta e ao ar livre. Entre os vários feitos,

nos Jogos Olímpicos de Tóquio disputados em 2021, foi 19ª classificada entre 33 atletas no Triplo Salto com a marca de 13,93m.

Bárbara Timo

Judo -63kg

Bárbara Timo é uma judoca portuguesa nascida no Brasil. Quando fala em vir para Portugal não tem dúvidas: “Foi a melhor decisão da minha vida”. Com passagem pela Seleção Brasileira de Judo, Pinheiros e Flamengo, a agora atleta portuguesa decidiu em novembro de 2018 rumar a Portugal. De lá para cá, ganhou a medalha de Prata no Campeonato Mundial de Judo de 2019. Depois, em 2021, competiu na prova feminina até 70 kg nos Jogos Olímpicos de Verão de 2020 em Tóquio, no Japão. E ganhou ainda uma medalha de ouro no Grande Prémio de Portugal de 2023. Em 2020, competiu na prova feminina até 70 kg no Campeonato Europeu de Judo, realizado em Praga, na República Checa. A judoca está agora de olho em Paris 2024, onde espera brilhar e conseguir bons resultados. Foi contratada pelo Benfica no verão de 2018.

Rodrigo Lopes

Judo -60kg

Tinha o sonho de participar nos Jogos Olímpicos ainda estava no Brasil mas uma lesão no pescoço viu o sonho adiado. Rodrigo Lopes, brasileiro, ruma então a Portugal onde tentou tudo para relançar a sua carreira. “Na última competição do ano [2015], bati de cabeça e parti o pescoço. Foi um dos momentos mais difíceis da minha carreira. Os médicos disseram-me que nunca mais ia poder praticar judo, nem sabiam dizer como é que eu estava vivo e sem sequelas, porque nunca tinham visto nada assim”, chegou a dizer na altura. Mas a verdade é que conseguiu dar a volta e continuar a sua paixão que começou desde cedo, por volta dos sete anos. Em 2013 venceu o International Masters Bremen U18. Venceu também o Campeonato Pan-Americano Sub-18 em Buenos Aires em 2011. Anos mais tarde, Rodrigo Lopes conquistou a medalha de bronze no Grand Slam de Budapeste em 2020. E conquistou ainda a medalha de bronze no Aberto da Europa em Praga em 2022.

Camila Holub

Natação

amila Holub é uma nadadora portuguesa nascida na Ucrânia. Apesar de ter apenas 24 anos, tem já muitos feitos a juntar ao seu percurso. É atleta do S.C. de Braga e conta já com mais de 40 internacionalizações em representação da seleção de natação de Portugal. E, ao longo do seu percurso na modalidade, alcançou mais de meia centena de novos recordes nacionais, em diferentes distâncias no estilo livre. Começou a representar Portugal logo em 2013 e, de todas as competições em que participou, destaque para a época de 2015/2016 em que se tornou campeã de Europa Júnior aos 1500 e vice campeã aos 800 livres. Além disso, foi múltiplas vezes finalista e top 10 em campeonatos de Europa e Mundo. Durante as épocas desportivas 2017/2018 e 2018/2019 estudou e treinou nos Estados Unidos, representando a North Carolina State University. Mas, na época passada, garantiu os mínimos para os seus segundos Jogos Olímpicos aos 1500m livres, primeira vez que essa distância será nadada pelas atletas femininas nos JO.

Fu Yu

Ténis de mesa

Naturalizou-se portuguesa em agosto de 2013, mas vive no nosso país desde 2001. Fu Yu nasceu em Hebei, na China, e começou a jogar ténis de mesa aos sete anos. Em 1998 deixou a China, mas antes de chegar a Portugal, começou a competir por Espanha. Quando chegou a Portugal, foi contratada pelo GD Estreito, da Madeira. Tornou-se na primeira mesa-tenista portuguesa a conquistar uma medalha numa prova internacional, nos Europeus realizados em Scwechat, na Áustria, e representou Portugal nos Jogos Olímpicos de 2020 em Tóquio. Os feitos são muitos. Em 2013 conseguiu a Medalha de bronze nos Europeus realizados em Schwechat, na Áustria. Dois anos mais tarde representou Portugal na primeira edição dos Jogos Europeus, disputados em Baku, Azerbaijão, e no Campeonato da Europa, onde conquistou a medalha de bronze. A mesma medalha que conseguiu nos nos europeus realizados em Yekaterinburg, na Rússia. Em 2016 foi vice-campeã europeia , nos Europeus de Budapeste e. nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, foi 33.ª classificada. Em 2019, na segunda edição dos Jogos Europeus de 2019 (Minsk, Bielorrússia) conquistou a medalha de ouro após ter derrotado na final a alemã Han Ying.

Tsanko Arnaudov

Lançamento de peso

É filho de imigrantes búlgaros mas vive em Portugal desde os doze anos. Obteve nacionalidade portuguesa em julho de 2010. Logo no ano seguinte, Tsanko Arnaudov representou Portugal pela primeira vez nos Campeonatos da Europa de Atletismo em 2011. E depois nos Campeonatos da Europa de Atletismo Sub-23, em 2013, na modalidade lançamento do peso. Foi eliminado nas duas vezes na ronda de qualificação mas em 2014 conseguiu alcançar o recorde português sub-23 com um lançamento de 18,80 metros. O atleta representou ainda o nosso país no Campeonato Mundial de Atletismo de 2015 em Pequim e, no ano seguinte, em julho, ganhou a medalha de bronze com 20,59 metros nos Campeonatos da Europa de Atletismo, que decorreram em Amesterdão. Foi a primeira medalha de Portugal no lançamento do peso. O atleta competiu também na prova do lançamento do peso, tendo representado Portugal nos Jogos Olímpicos de Verão de 2016, realizados no Rio de Janeiro.

Ler Mais

Os comentários estão desactivados.


×

Pesquise no i

×
 


Ver capa em alta resolução

iOnline