29/02/2024
 
 

Trânsito. Uma cidade com poucos carros e milhares de peões

Vítor Rainho 01/08/2023 08:04

Chegou a temer-se que a capital iria ficar cercada durante uma semana, mas não é bem assim. Os dias 1, 3 e 4 são os piores, mas há zonas verdes por onde se poderá circular livremente... Saiba onde.

Os planos de mobilidade já foram divulgados mas é preciso contar com alguns imprevistos. Se é natural que as zonas circundantes dos palcos principais - onde irão ocorrer as maiores manifestação católicas, algumas com a presença do Papa - , sejam encerradas por questões de segurança, não é ainda certo que estradas vão ser interditadas, mesmo que temporariamente, para que se faça o transbordo dos peregrinos para outras viaturas mais pequenas ou para continuarem o caminho a pé para o Parque Eduardo VII ou para o Parque Tejo. Isto porque ainda não se sabe o número exato de peregrinos não inscritos que chegarão de autocarro, sendo necessário, por vezes, fechar, entre outros, o eixo Norte-Sul, para que se faça o transbordo de passageiros.

Clique na imagem para ver melhor

E não são só questões de segurança relacionadas com a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) que trarão condicionamentos à vida dos lisboetas, pois há eventos que serão cancelados para não se desviarem efetivos policiais para essas zonas, como é o caso da Feira do Relógio, que fica longe do Parque Tejo, e que deixou os comerciantes descontentes, embora compreendam a situação.

Rodopio entre Lisboa, Setúbal e Santarém Os peregrinos andaram pelo país e agora chegam às zonas onde ficarão concentrados nas dioceses de Lisboa, Setúbal e Santarém, provocando alterações no trânsito, que implicarão a proibição de andar de automóvel nalgumas zonas que serão fechadas temporariamente. Todos os dias, até sábado, os jovens são levados de um lado para o outro nos autocarros, provocando da parte da manhã e à noite constrangimentos rodoviários. Mas não são só as ruas que estarão encerradas ao trânsito e, em alguns casos, a peões, havendo restrições ao comércio, mesmo que pontuais. Para ir de um extremo ao outro, no que ao consumo e diversão diz respeito, diga-se que dois dos espaços mais badalados de Lisboa estarão encerrados ao público, entre dia 1 e 4, inclusive: o restaurante Eleven e o Praia no Parque, ambos na zona do Parque Eduardo VII. Como já foi referido, os consumidores menos abonados e mais dados a legumes e frutas não poderão ir fazer as suas compras dominicais à Feira do Relógio, que estará encerrada no dia 6.

Dísticos e faturas no carro Os moradores das zonas ‘afetadas’ deverão andar com recibos de eletricidade ou de água, ou qualquer outro, que comprovem que vivem naquela zona. Sem isso, poderão ter que fazer marcha-atrás e procurar outro local. E se na sua zona for, de todo, impossível estacionar, o dístico da EMEL servirá para arrumar o carro noutra zona da cidade, pois os serviços camarários têm instruções para não dificultarem a vida ainda mais a quem vive nas artérias que estarão condicionadas.

O cenário traçado pela Câmara de Lisboa, juntamente com as forças policiais, divide a cidade em três zonas: vermelha, amarela e verde.

Assim, no que diz respeito às cerimónias no Parque Eduardo VII, nos dias 1, 3 e 4 a circulação automóvel - além das estações do Metro da Avenida, Marquês de Pombal, Parque e Picoas - está completamente vedada às seguintes artérias: Rua Castilho | Rua Joaquim António de Aguiar | Rua Marquês da Fronteira | Av. António Augusto de Aguiar | Av. Fontes Pereira de Melo | Praça Marquês Pombal (rotunda interna) - Av. Liberdade (vias centrais) | Praça dos Restauradores | Praça D. Pedro IV (Rossio) | Rua da Betesga | Rua da Prata | Rua da Alfandega | Campo das Cebolas | Av. Infante D. Henrique | Praça do Comércio | Av. Ribeira das Naus | Largo do Corpo Santo | Rua do Arsenal | Praça do Município | Largo de S. Julião | Rua Nova do Almada | Rua do Carmo | Rua 1º de Dezembro - (Rossio).

Já na zona amarela, que implica fortes restrições à circulação automóvel, estão as seguintes ruas: Cais do Sodré | Rua do Alecrim | Rua da Misericórdia | Rua São Pedro de Alcântara | Rua D. Pedro V | Praça Príncipe Real | Rua da Escola Politécnica | Largo do Rato | Rua D. João V | Rua Joshua Benoliel | Rua Carlos Alberto da Mota Pinto | Rua Conselheiro Fernando de Sousa | Rua Marquês da Fronteira | Av. Miguel Torga | Rua de Campolide | Av. Calouste Gulbenkian | Praça de Espanha | Av. de Berna | Av. da República | Rua Casal Ribeiro | Largo Dona Estefânia | Rua Dona Estefânia | Rua Gomes Freire | Rua Conselheiro Arantes Pedroso | Rua de São Lázaro | Martim Moniz | Rua dos Cavaleiros | Calçada de Santo André | Calçada da Graça | Jardim da Graça | Largo da Graça | Rua Voz do Operário | Arco da Grande de Cima | Campo de Santa Clara | Santa Apolónia. Se não é residente nestas zonas, poderá apanhar os transportes públicos, incluindo os TDVE e os Tuk Tuks.

Os felizardos da zona verde Os ‘felizardos’ que estão no corredor verde, não poderão rir antes do tempo, pois alguns eventos da JMJ poderão, temporariamente, provocar algumas restrições. Mesmo assim, estas são as zonas menos ‘castigadas’: Avenida D. Carlos I | Calçada da Estrela | Praça da Estrela | Rua Domingos Sequeira | Rua Ferreira Borges | Rua José Gomes Ferreira | Avenida Eng.º Duarte Pacheco | Viaduto Duarte Pacheco | Estrada da Pimenteira | Avenida de Ceuta | Itinerário Principal n.º 7 (IP7)/ Eixo Norte-Sul | Avenida das Forças Armadas | Entrecampos | Avenida Estados Unidos da América | Avenida Gago Coutinho | Rotunda do Areeiro | Avenida Almirante Reis | Rua Morais Soares | Praça Paiva Couceiro | Avenida Mouzinho de Albuquerque até à Avenida Infante Dom Henrique.

É preciso referir que é muito provável que a deslocação a pé de milhares de peregrinos imponha restrições em algumas ruas e avenidas por onde passarão. 

Na zona do Parque Tejo, especialmente afetada nos dias 5 e 6, já se sabe que os comboios não vão parar, nessas datas, nas estações de Sacavém, Bobadela e Santa Iria de Azóia. A estação de Metro de Moscavide será encerrada a partir das 12 horas do dia 6, altura em que o Papa se desloca para Algés, onde terá um encontro com os voluntários.

A zona vermelha inclui a seguintes artérias: Passeio do Tejo (para norte) | Rua Príncipe do Mónaco (para norte) | Passeio dos Heróis do Mar, a partir das anteriores (para norte) | Via do Oriente | Rua do Prof. Picard | Rua Chen He | Rua do Reno | Rua do Sena | Rua do Tamisa | Rua do Tibre | Rua do Volga | Rua do Danúbio | Rua do Oder | Rua do Ebro | Rua Capitão Cook | Rua Roald Amundsen | Praça Gago Coutinho | Rua da Cotovia/ Passeio do Trancão | Itinerário Complementar n.º2 (IC2).

A zona amarela, com grandes restrições, inclui a Avenida de Berlim | Rua Contra-Almirante Armando Ferraz | Avenida Dr. Francisco Luís Gomes | Praça José Queiroz | Avenida Dr. Alfredo Bensaúde | Rua Padre Joaquim Aguiar | Estrada da Circunvalação.

A zona verde abarca a Avenida Marechal Gomes da Costa | Avenida Marechal Craveiro Lopes (2ª Circular de Lisboa) | Avenida Santos e Castro | Nó Norte do Alto do Lumiar/ Avenida Santos e Castro do Eixo Norte-Sul | Itinerário Principal n.º7 (IP7)/ Eixo Norte-Sul.

Diga-se também que a praga de trotinetes e bicicletas vão estar proibidas nas zonas vermelhas... e não só.

Falta acrescentar que nas deslocações do Papa em Lisboa, Oeiras e Cascais o trânsito sofrerá grandes restrições, até porque há sempre três percursos alternativos. Por norma, o escolhido é aquele onde os homens do Grupo de Operações Especiais da PSP estão nos telhados a vigiar todas as movimentações de hipotéticos terroristas.

Ler Mais

Os comentários estão desactivados.


×

Pesquise no i

×
 


Ver capa em alta resolução

iOnline