23/02/2024
 
 
Submarino Arpão irá realizar uma missão de 120 dias ao abrigo da iniciativa 'Mar aberto'

Submarino Arpão irá realizar uma missão de 120 dias ao abrigo da iniciativa 'Mar aberto'

Marinha Portuguesa Jornal i 04/04/2023 11:50

Irá percorrer 13 mil milhas náuticas, cruzando pela primeira vez a linha do Equador.

O submarino 'Arpão' irá, esta terça-feira, começar uma missão de 120 dias ao abrigo da iniciativa 'Mar Aberto' que irá decorrer até agosto.

A embarcação vai contribuir para “a segurança marítima numa área de operações situada no Oceano Atlântico Sul”, lê-se num comunicado da Marinha.

Será a estreia para um submarino português numa missão deste tipo e também “a primeira vez que um submarino nacional cruza a linha do Equador”, colocando à prova “a capacidade logística operacional da Marinha”.

O submarino estará durante 120 dias em missão e durante este período irá contribuir para a “segurança marítima numa área de operações situada no Oceano Atlântico Sul, compreendida entre a costa do Brasil e a Costa ocidental Africana”. A embarcação vai visitar dois continentes e cinco países: Cabo Verde, Brasil, África do Sul, Angola e Marrocos, "percorrendo mais de 13.000 milhas, totalizando cerca de 2.500 horas de navegação".

O “Arpão” estará enquadrado na iniciativa “Mar aberto 23.2” que visa “desenvolver cooperação bilateral e multilateral, e de presença e diplomacia naval, nomeadamente no âmbito da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, Presenças Marítimas Coordenadas no Golfo da Guiné e Iniciativa '5+5 Defesa', com Marrocos”. Lê-se ainda no comunicado que a "A missão do 'Arpão' contribuirá para o estreitamento das relações de cooperação militar e diplomáticas entre Portugal e cada um dos países visitados, com especial enfoque nas comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, que este ano decorre na África do Sul e contará com a presença de Sua Excelência o Presidente da República".

A Marinha reforça que as “características operacionais do submarino conferem-lhe a capacidade de efetuar patrulhas discretas em qualquer altura do ano e qualquer lugar, garantindo assim que as águas sob soberania ou jurisdição nacional, ou quaisquer outras onde seja requerida a sua presença, possam ter uma garantia extra de segurança da navegação".

Ler Mais

Os comentários estão desactivados.


×

Pesquise no i

×
 


Ver capa em alta resolução

iOnline