31/01/2023
 
 
Ligações entre Península Ibérica e França vão a cimeira

Ligações entre Península Ibérica e França vão a cimeira

Jornal i 08/12/2022 21:29

Candidaturas a fundos europeus dos projetos para transporte de energia termina no dia 15. Verbas podem atingir até 50% do valor total. 

Portugal, Espanha e França vão apresentar hoje os detalhes dos projetos para transporte de energia acordados em outubro. Em causa está a solução avançada pelos três países para criar um “Corredor de Energia Verde”, com uma ligação por mar entre Barcelona e Marselha (BarMar) e outra, terrestre, entre Celorico da Beira e Zamora (CelZa). E apesar de estas ligações terem como destino o transporte de hidrogénio verde, no imediato poderão servir para transportar gás.  no futuro, mas teriam a possibilidade de, no imediato, transportarem também gás.

No entanto, fontes do Governo espanhol já vieram garantir que, pelo menos na ligação Barcelona-Marselha, se limitará ao hidrogénio. A explicação é simples: as candidaturas a financiamento europeus só contemplam a possibilidade do hidrogénio na ligação conhecida como BarMar. Já em relação ao CelZa, segundo as mesmas fontes, o projeto deverá manter a possibilidade de transportar gás, até uma percentagem limitada, por poder ser considerado um projeto de modernização ou upgrade de outro já existente.

Recorde-se que as candidaturas terão de apresentadas até ao próximo dia 15 de dezembro e os fundos europeus podem chegar a financiar até 50% do projeto.

Em outubro, o ministro do Ambiente, afirmou que Portugal tem de esgotar todas as possibilidades de financiar a nível europeu o reforço das interligações energéticas, no âmbito do acordo alcançado entre Lisboa, Madrid e Paris. E garantiu que o objetivo é que o projeto não “se transforme num ónus” para os consumidores portugueses, refletido nas faturas da energia.

Duarte Cordeiro disse ainda explicou que a estimativa de custos para a terceira interligação de gás entre Portugal e Espanha (o CelZa), feita pela REN – Redes Energéticas Nacionais, é de 300 milhões de euros, e que o tempo estimado para execução é de cerca de 30 meses, após Declaração de Impacto Ambiental positiva. Já em relação ao traçado da terceira interligação de gás, entre Celorico da Beira e Zamora – que foi chumbado pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA) por entender que um troço não cumpria os requisitos ambientais – disse apenas que o desenho de um novo traçado, que evite aquele troço, “não traz custos adicionais” e que é preciso “ir procurando traçados até encontrar um que tenha Declaração de Impacto Ambiental favorável”.

Ler Mais

Os comentários estão desactivados.


×

Pesquise no i

×
 


Ver capa em alta resolução

iOnline