08/12/2022
 
 
OE 2023. As conquistas e os insucessos da oposição

OE 2023. As conquistas e os insucessos da oposição

Bruno Gonçalves Jornal i 22/11/2022 08:47

PAN, Livre e PSD com propostas de alteração ao OE aprovadas pela maioria socialista.

A votação do Orçamento do Estado para 2023 na especialidade na comissão parlamentar de Orçamento e Finanças arrancou na segunda-feira, tendo a oposição visto algumas das suas propostas de alteração aprovadas e outras chumbadas. 

Do guião de acompanhamento das votações que tem mais de 2100 páginas, foi aprovada sem votos contra e com a abstenção do PSD, PCP, Chega e IL, a proposta do PAN para um projeto-piloto tendo em vista a distribuição gratuita de produtos menstruais.

“Durante o ano de 2023, o Governo desenvolve, em articulação com as autarquias locais e organizações não governamentais, um projeto-piloto com vista à distribuição gratuita de bens de higiene pessoal feminina, bem como de divulgação e esclarecimento sobre tipologias, indicações, contraindicações e condições de utilização”, lê-se na proposta. 
Já o PSD conseguiu ver aprovada por unanimidade a proposta que prevê o “reforço da prevenção e combate à violência contra as pessoas idosas”.

Segundo a proposta, em 2023, o Governo deve desenvolver “estratégias de prevenção e combate à violência contra pessoas idosas, de forma a intervir junto dos destinatários, o mais precocemente possível”.

O Parlamento fez passar, com o voto contra do Chega e a abstenção do PSD, também uma uma proposta do Livre que determina que, no próximo ano, o Governo crie um “plano de formação profissional certificado em matéria de Direitos Humanos” destinado aos funcionários públicos, da administração central, regional e local que desempenhem funções de atendimento ao público. 

Foram chumbadas as propostas do BE para a exclusividade no Serviço Nacional de Saúde e que aumentavam o salário mínimo para 850 euros. Foi igualmente rejeitada a proposta do PCP que previa a recuperação do poder de compra na função pública, bem como a proposta do Chega que atualizava o valor do subsídio de refeição na administração pública para 7,50 euros.

Ler Mais

Os comentários estão desactivados.


Especiais em Destaque

iOnline

iOnline
×

Pesquise no i

×
 


Ver capa em alta resolução

iOnline