08/12/2022
 
 
Turismo. Governo avança com 50 milhões para ajudar setor

Turismo. Governo avança com 50 milhões para ajudar setor

Sónia Peres Pinto 17/11/2022 14:07

Mesmo com a recuperação do setor, o presidente da AHP não se quer comprometer com valores finais em termos de receita face à incerteza.  

O Governo vai lançar um programa no valor de 50 milhões de euros para ajudar as empresas do turismo a reabilitarem ativos imobiliários. O valor foi avançado por António Costa Silva, no 33.º Congresso Nacional da Hotelaria e Turismo, promovido pela Associação da Hotelaria de Portuga (AHP).

Esta medida, de acordo com o governante, ajuda as empresas de turismo “a modernizarem e desenvolverem” os seus imóveis, possibilitando o sale and leaseback, ou seja, trata-se de modalidade de operação imobiliária em que o proprietário vende um imóvel e depois torna-se arrendatário do mesmo imóvel. 

O anúncio de Costa Silva foi feito depois do presidente da Associação da ter garantido que este ano “tem sido excecional” na retoma da confiança, mas que “realisticamente” o turismo, chave da recuperação económica, ainda tem de ser ajudado.

Bernardo Trindade disse ainda que, apesar do setor estar a bater recordes em termos de receita,  reconhece que a guerra na Ucrânia trouxe “um grau de incerteza tal na construção da cadeia de valor do turismo”, daí garantir que não é possível dizer “qual o nível de resultados” com que fechará este ano, lembrando que há uma série de custos que subiram, desde a mão-de-obra, à eletricidade e ao gás. 

E face a este cenário apelo ao Governo para que sejam alargadas as maturidades das linhas de crédito de apoio à covid-19, que estão em muitos casos a chegar agora ao fim. Já em relação ao o pacote de três mil milhões de euros de apoio às empresas para fazer face ao aumento da fatura da eletricidade, o presidente da Associação garantiu que a expectativa é que sejam “incluídos nesse pacote de ajudas”.

Ainda esta quinta-feira foram revelados os dados do Banco de Portugal e revelam que os indicadores coincidentes para a atividade económica e para o consumo privado voltaram em outubro a abrandar face ao mês anterior. No mês de outubro, a taxa de variação homóloga do indicador para a atividade económica foi de 5,4% (6,3% em outubro de 2021), abrandando face aos 5,7% de setembro. Já a variação homóloga do indicador para o consumo privado diminuiu de 2,9% em setembro para 2,4% em outubro. Em outubro de 2021 tinha sido de 7,7%.

Setor contra semana de quatro dias

Também a medida do Governo em avançar com o projeto-piloto de semana de quatro dias para o setor privado não é vista com bons olhos pelo presidente da Confederação do Turismo de Portugal (CTP). 

“Sei que vão dizer que é facultativo, que é uma experiência piloto, mas já sabemos como é que estas experiências normalmente acabam. Temos todos de estar contra este projeto nesta altura”, disse Francisco Calheiros, acrescentando ainda que, “a falta de oportunidade da semana dos quatros dias é total”.

De acordo com o responsável, este tipo de medidas poderia ter sido aplicado na altura da crise de subprime, em que a taxa desemprego rondava os 17%, não numa altura em que se vive “em pleno emprego” e em que foi assinado o acordo de rendimentos.

Ler Mais

Os comentários estão desactivados.


Especiais em Destaque

iOnline

iOnline
×

Pesquise no i

×
 


Ver capa em alta resolução

iOnline