30/01/2023
 
 
Brincar com o fogo nas redes sociais pode queimar

Brincar com o fogo nas redes sociais pode queimar

José Miguel Pires 16/10/2022 17:45

Os casos de Iker Casillas e Kanye West marcam a atualidade no que toca às polémicas em torno do uso das redes sociais por parte de celebridades. A lista, no entanto, é interminável, passando da política ao desporto, das artes ao mundo da televisão.

Donald Trump

É impossível falar de polémicas que envolvem celebridades e redes sociais sem mencionar o nome de Donald Trump, o antigo presidente dos Estados Unidos, que fez uso extensivo da rede social Twitter para fazer chegar ao mundo as suas opiniões sobre o mesmo... até que a rede social bloqueou a sua conta. «Crazy Joe Biden está a tentar agir como um tipo durão. Na verdade, ele está fraco, tanto mental quanto fisicamente, e ainda assim me ameaça, pela segunda vez, com agressão física», acusou uma vez, em 2018, levantando forte polémica.

Jair Bolsonaro

O atual presidente brasileiro, que enfrenta no fim deste mês a segunda volta das eleições presidenciais frente a Lula da Silva, é um ávido utilizador do Twitter, por vezes cruzando a linha entre o sério e o humor, sem se perceber muito bem quando está a brincar e quando está a falar a sério. Como esquecer o polémico tweet de Bolsonaro, datado de 2019, em que questionou «O que é golden shower?», referindo-se ao nome popular (em inglês) para o fetiche de urinar sobre um parceiro sexual. Isto um dia depois de publicar um vídeo repleto de nudez e conteúdo sexual.

O grande ataque de 2012

Iker Casillas argumentou ter sido vítima de um ataque informático, e a realidade é que não seria a primeira vez que um futebolista é alvo desta arma digital. Em 2012, minutos antes do clássico Real Madrid – Barcelona da Supertaça espanhola, várias contas de jogadores das duas equipas foram hackeadas, publicando mensagens de teor insultuoso. Sergio Agüero, por exemplo, viu a mensagem «Vou jogar no Real Madrid para poder tomar banho com o Cristiano» ser publicada na sua conta oficial.

O passado duro de Iggy Azalea

A artista australiana Iggy Azalea foi uma das muitas que viu a sua carreira sofrer um duro golpe devido a publicações do passado gravadas na pedra das redes sociais. «Quando os gajos sussurram nos ouvidos uns dos outros eu acho que isso é um bocado ‘homo’», pode-se ler num tweet de 2010, que acabou por levar ao cancelamento, por exemplo, da sua presença no desfile de orgulho gay de Pittsburgh em 2015. O seu segundo disco de álbum, de 2019, ficou perdido, ocupando o lugar 52 nas tabelas australianas de vendas.

Azealia Banks e o polémico caril

Por vezes, as polémicas das celebridades nas redes sociais prendem-se com ataques informáticos... mas por vezes são as próprias figuras que, com boas intenções ou não, acabam por criar tormentas mediáticas com as suas mensagens. Foi o caso de Azealia Banks, a artista que, em 2016, disparou em direção a Zayn Malik, numa publicação onde o chamou de «paneleiro» e de «nigga com cheiro a caril». A mensagem culminou no bloqueio da sua conta do Twitter, mas não por isso Banks deixou de ser uma figura polémica nas redes sociais.

Cee Lo e os tweets sobre violação

Cee Lo Green é o artista mundialmente conhecido pelo tema ‘Fuck You’, mas o norte-americano fez manchetes por outras razões. Depois de um caso em tribunal em que foi acusado de alegadamente drogar uma mulher com quem acabou por passar a noite, Cee Lo partiu para o Twitter, onde disparou: «Se alguém está desmaiado, não está sequer contigo conscientemente, então ao estar CONTIGO isso implica consentimento. Pessoas que realmente foram violadas lembram-se». Acabou por apagar a conta depois de muita retaliação.

Vanessa Hudgens e a pandemia

A pandemia da covid-19 gerou opiniões controversas por todo o mundo, e uma das celebridades que mais ‘sofreu’ retaliação foi a atriz Vanessa Hudgens. No Instagram, a estrela do franchise High School Musical disse «mesmo que todo o mundo o apanhe [o vírus]... tipo, sim, as pessoas vão morrer, o que é terrível, mas, tipo, inevitável?». Hudgens foi rotulada de negacionista, e acabou por pedir desculpa publicamente: «Percebi que alguns dos meus comentários estão a ser  tirados do contexto. É um tempo louco».

Bryan Adams aponta armas à China

Frustrado por não poder atuar em Londres como resultado da pandemia da covid-19, em 2020, Bryan Adams desabafou no Instagram, onde acusou os chineses de serem os culpados: «Graças a uma porra de uns comedores de morcegos, vendedores de animais em mercados molhados e produtores de vírus gananciosos, o mundo inteiro está agora em espera, para não mencionar os milhares que sofreram ou morreram com esse vírus». Mais tarde viria a pedir desculpa, sem, no entanto, retirar as acusações.

Ler Mais

Os comentários estão desactivados.


×

Pesquise no i

×
 


Ver capa em alta resolução

iOnline