13/08/2022
 
 

Uma manobra mais popular por visar uma empresa espanhola

Fosse sempre o Governo tão lesto a agir e a defender realmente os interesses dos portugueses e o país estaria certamente numa situação bem mais favorável.

Não há maneira de fazer a contraprova, mas fica a impressão clara de que, se o presidente da Endesa, Nuno Ribeiro da Silva, tivesse ficado em silêncio acerca dos aumentos nos preços da energia, tudo estaria calmo, sem exaltações nem polémicas. Muitos produtos e serviços essenciais ficaram 40% ou 50% mais caros e o Governo não disse uma palavra.

Com Ribeiro da Silva passou-se algo semelhante ao que já tinha acontecido com Berardo. Só depois da ida à Comissão de Inquérito no Parlamento, onde soltou uma famosa gargalhada, o empresário madeirense ficou debaixo de fogo. Tivesse ele permanecido calado e provavelmente ainda hoje teria a Fundação com o seu nome.

Há vários problemas no despacho assinado pelo primeiro-ministro relativo à Endesa. Primeiro: é, evidentemente, discriminatório. Segundo: dá a ideia de que, se o primeiro-ministro não quiser, o Estado pode não pagar a uma empresa pelos serviços prestados. Terceiro: introduz um clima de desconfiança absolutamente desnecessário. Ao dar instruções para não pagar qualquer fatura sem estar validada, o Governo está a dar a entender que se trata não de uma empresa idónea, inserida num mercado concorrencial, mas de uma associação de malfeitores ou aldrabões.

Não sei se, como afirmou o primeiro-ministro, o despacho se destina a proteger os interesses do Estado e, em última análise, dos cidadãos que pagam os seus impostos. Parece mais uma manobra de show-off para português ver - e que se calhar se torna mais popular ainda por visar uma empresa espanhola.

Por fim, foi tudo demasiado rápido. Ora, o Governo não pode agir por impulso - exigia-se outra ponderação e uma avaliação séria dos motivos apresentados para estes aumentos. 

Fosse sempre o Governo tão lesto a agir e a defender realmente os interesses dos portugueses e o país estaria certamente numa situação bem mais favorável.

Os comentários estão desactivados.


×

Pesquise no i

×
 


Ver capa em alta resolução

iOnline