16/08/2022
 
 
Casal que assaltou duas vezes casa em Aveiro e sequestrou três crianças com pena suspensa

Casal que assaltou duas vezes casa em Aveiro e sequestrou três crianças com pena suspensa

Dreamstime Jornal i 30/06/2022 17:28

Arguida era empregada doméstica naquela habitação. 

O Tribunal de Aveiro condenou esta quinta-feira a cinco anos de prisão, com pena suspensa, um casal que assaltou duas vezes uma casa em Aradas, tendo, numa das situações, sequestrado três crianças que se encontravam no interior daquela habitação. 

Durante a leitura do acórdão, a juíz presidente considerou que o casal formulou um plano para se apropriarem de dinheiro e bens da residência, onde a arguida trabalhava como empregada doméstica.

Os arguidos foram condenados nas penas parcelares de dois anos e nove meses, por furto qualificado, e de quatro anos e três meses, pelo crime de roubo, tendo-lhe sido aplicada a pena única, em cúmulo jurídico, de cinco anos de cadeia para cada um dos arguidos. A pena ficou, contudo, suspensa desde que os arguidos paguem pouco mais de quatro mil euros de indemização aos assistentes, num prazo de três anos. 

Depois da leitura do acórdão, a juíza alertou a arguida para corresponder à oportunidade dada pelo tribunal: “Estes factos assumem muita gravidade na expectativa da confiança que lhe foi depositada e que não foi merecedora”.

Já o arguido, que não esteve presente na sessão por se encontrar no estrangeiro, confessou ter assaltado a casa mas negou ter sequestardo as crianças. 

Os assaltos aconteceram nos dias 27 de maio e 2 de julho de 2020, sendo que, apenas na segunda vez, o arguido se deparou com as crianças, tendo a mais velha quatro anos. 

A acusação do Ministério Público (MP) refere que, no primeiro assalto, o arguido aguardou que a cúmplice saísse da residência para ir despejar o lixo e retirou alguns envelopes contendo documentos e mealheiros com 120 euros.

Insatisfeitos com os resultdos do primeiro assalto, a arguida disse ao homem onde procurar os objetos de valor, tendo prosseguido para uma segunda tentativa. 

Desta vez, o arguido entrou na residência com uma faca através de uma porta que a empregada tinha deixado aberta, tal como tinha sido combinado pelos dois, e disse à sua cúmplice para se trancar na casa de banho com as crianças, enquanto procurava objetos de valor pela casa. O homem abandonou depois a habitação levando consigo objetos de ouro e prata no valor de quase 3.500 euros. 

 

Ler Mais

Os comentários estão desactivados.


×

Pesquise no i

×
 


Ver capa em alta resolução

iOnline