09/08/2022
 
 
Ex-assessor de Trump intimado em investigação sobre invasão do Capitólio

Ex-assessor de Trump intimado em investigação sobre invasão do Capitólio

Jornal i 01/06/2022 15:07

consultor comercial do ex-presidente norte-americano Donald Trump explicou, durante um processo judicial, que recebeu o FBI em sua casa, em Washington, na semana passada.

Peter Navarro, ex-assessor comercial de Donald Trump, revelou esta terça-feira que foi intimado a comparecer esta semana perante um grande júri, como parte da extensa investigação do Departamento de Justiça sobre a invasão do Capitólio dos Estados Unidos.

O consultor comercial do ex-presidente norte-americano Donald Trump explicou, durante um processo judicial, que recebeu o FBI em sua casa, em Washington, na semana passada.

Esta intimação é a primeira conhecida por parte de procuradores que recolhem depoimentos de elementos que trabalharam na Casa Branca durante a administração Trump, enquanto investigam o ataque ao Capitólio, que ocorreu em 06 de janeiro de 2021.

Navarro defende que a comissão de investigação da Câmara dos Representantes sobre a invasão do Capitólio é ilegal e que, portanto, a intimação emitida por esta para prestar depoimentos é inexequível sob a lei.

O ex-conselheiro, de 72 anos, avançou esta terça-feira com uma ação contra membros do painel, contra a líder democrata da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, e o procurador dos EUA em Washington, Matthew M. Graves.

Em entrevista à Associated Press (AP) esta terça-feira, Navarro explicou que o objetivo da sua ação judicial é muito mais amplo do que as próprias intimações e faz parte de um esforço para que o “Supremo Tribunal aborde uma série de questões que surgiram com o ‘armamento’ dos poderes de investigação do Congresso” desde que Trump assumiu o poder.

Peter Navarro assegurou ainda que irá responder formalmente à intimação federal na quarta-feira.

Embora o pormenor da investigação do Departamento de Justiça continue incerto, a intimação a Navarro pode significar que a justiça norte-americana está a ampliar a sua investigação para examinar as atividades e os registos de pessoas que trabalharam diretamente para o Presidente republicano.

O Departamento de Justiça já havia emitido intimações a pessoas ligadas ao ataque de 06 de janeiro e aos comícios em Washington que precederam a violência, quando uma multidão incentivada por Donald Trump invadiu o Capitólio com o objetivo de impedir a certificação da vitória eleitoral do democrata Joe Biden.

Esta intimação surge também numa fase em que aumentou a pressão sobre o Departamento de Justiça e o procurador-geral, Merrick Garland, para considerar um processo contra Trump, após o painel da Câmara dos Representantes ter apresentando argumentos onde defende que existe um caso criminal viável contra o magnata republicano.

Navarro, ex-professor de economia, foi intimado por este comité de investigação em fevereiro, com os membros a pretenderem perceber os seus esforços públicos para ajudar Trump a impedir a certificação eleitoral de Biden.

Este ex-assessor comercial foi um dos elementos da Casa Branca que promoveu as alegações infundadas de Trump de fraude eleitoral em massa, divulgando inclusive, em dezembro de 2020, um relatório onde alegava conter evidências da má conduta.

O economista recusou-se a cooperar com o painel da Câmara dos Representantes e, juntamente com o conselheiro de Trump, Dan Scavino, foram indiciados de desacato ao Congresso em abril.

A comissão de investigação entrevistou mais de 1.000 testemunhas sobre a insurreição e prepara uma série de audiências que arrancam na próxima semana.

Até agora, o painel examinou membros da família e aliados de Trump, membros do Congresso e até grupos dos ‘media’ acusados de disseminarem desinformação eleitoral.

Ler Mais

Os comentários estão desactivados.


×

Pesquise no i

×
 


Ver capa em alta resolução

iOnline