29/06/2022
 
 
Liga Europa. Eintracht e Rangers em busca da glória

Liga Europa. Eintracht e Rangers em busca da glória

DR José Miguel Pires 18/05/2022 21:10

Chegou o dia decisivo da Liga Europa: Eintracht Frankfurt e Rangers enfrentam-se, em Sevilha, para decidir quem será o campeão desta edição.

Como que num abrir e fechar de olhos, chegou o dia 18 de maio e todas as atenções estão viradas para o Estádio Ramón Sánchez Pizjuán, na solarenga cidade de Sevilha, onde o Eintracht de Frankfurt e o Rangers de Glasgow vão lutar pelo título de campeão na Liga Europa.

As previsões indicam temperaturas entre os 18ºC e os 35ºC naquela que é uma das cidades mais icónicas a Sul de Espanha, mas com certeza o calor no Sánchez Pizjuán vai rebentar as escalas dos termómetros, não fosse este um dos momentos mais decisivos do futebol europeu. De um lado estará o Eintracht de Gonçalo Paciência, que aterra assim na terceira final europeia da sua história, após a derrota na final da Taça dos Campeões Europeus, em 1960, frente ao Real Madrid, e a vitória na Taça UEFA, em 1980, frente aos rivais nacionais do Borussia Mönchengladbach.
O mesmo Eintracht que segue invicto nesta edição da Liga Europa, vencendo sete dos 12 jogos disputados, e empatando os restantes cinco. 

À frente dos alemães de Frankfurt estará, no entanto, um motivadíssimo Rangers, comandado pelo neerlandês Giovanni van Bronckhorst, que falhou a revalidação do título de campeão nacional conquistado em 2021, mas que segue a todo o gás na Liga Europa, onde deixou para trás os portugueses do Sporting de Braga, nos quartos-de-final, após uma reviravolta no marcador. Isto quando – e é importante relembrar este facto – a temporada nesta competição europeia começou com duas derrotas, frente ao Lyon e ao Sparta de Praga, ainda na fase de grupos. O emblema de Ibrox Park – que falhou a vitória na final da Liga Europa em 2008, frente ao Zenit São Petersburgo – é, aliás, a primeira equipa na história da Liga Europa a chegar à final apesar de ter sido derrotada nos dois primeiros confrontos da temporada.

E que emoções se esperam para os adeptos dos Rangers nos próximos dias: se hoje o derradeiro teste é na Liga Europa, a final da Taça escocesa está marcada para dia 21, quando o emblema de van Bronckhorst enfrentar o Hearts.
Duelo histórico Um confronto entre o Eintracht Frankfurt e o Rangers é, no mínimo, pouco comum... mas não inédito. Corria o ano de 1960 e tanto escoceses como alemães seguiam no bom caminho na então denominada Taça dos Campeões Europeus. Chegadas as meias-finais da competição, o duelo entre ambos foi intenso, resultando num total global de 16 golos marcados (12-4 a favor do Eintracht no resultado final). Diga-se de passagem, no entanto, que o clube de Frankfurt dominou sem dificuldade os escoceses, vencendo por 6-1 na primeira mão, e por 6-3 na segunda, envergonhando a equipa da casa no Ibrox Park, em Glasgow.

E a história foi de verdadeira ‘vergonha’ para os escoceses: a final da competição europeia desse ano estava marcada para o Estádio de Hampden Park, casa do Queen’s Park... em Glasgow. Tudo apontava para um lugar certeiro dos Rangers, que jogariam em casa (ainda que não no seu estádio), no jogo decisivo... mas os próprios esqueceram-se que, primeiro, tinham de vencer a meia-final. O Eintracht Frankfurt chegou ‘pela calada’ às meias-finais, sem levantar grandes ondas, tanto que quando o emblema escocês pisou solo alemão para jogar a primeira mão, o técnico Scot Symon terá respondido a um jornalista, ironizando: “Eintracht? Quem são?”. Pois ao fim dos 180 minutos de meias-finais, um frustrado Rangers ficou a saber muito bem quem eram os jogadores do Eintracht Frankfurt.

Os ‘merengues’, no entanto, viriam depois a estragar os sonhos europeus dos alemães, derrotando o emblema então treinado por Paul Oßwald numa das mais memoráveis finais do futebol europeu de clubes, por 7-3, com três golos de Di Stéfano, e mais quatro de Puskás... fazendo valer o título de ‘Galácticos’ à frente de cerca de 130 mil adeptos em Glasgow – ironia das ironias.

Agora, mais de 60 anos depois, os escoceses treinados por van Bronckhorst têm assim a oportunidade de se ‘redimir’ dos falhanços do passado, procurando a vingança contra aqueles que já uma vez os deixaram fora das competições europeias. Mas a rivalidade é, na realidade, mais uma amizade. Contam os relatos dos idos anos 60 que o encontro entre Eintracht e Rangers nas meias-finais da Taça dos Campeões Europeus foi de amizade e de fair-play. Tanto que, na segunda mão, em Glasgow, já depois de os alemães terem batido os escoceses por 6-1 na primeira mão, cerca de 70 mil adeptos marcaram presença no Ibrox Park, quando a equipa da casa, na realidade, precisava de um milagre para dar a volta à eliminatória.

Tal foi o clima de amizade que se criou entre os dois clubes, aliás, que, em 1961, quando o Queen’s Park instalou um sistema de luzes avaliado em 60 mil libras (cerca de 1 milhão de euros, convertido à taxa de inflação para 2021) em Hampden Park, o jogo inaugural – que deveria ser um duelo épico para marcar a pomposa novidade do campo – teve como protagonistas Rangers e Eintracht, levando cerca de 105 mil adeptos ao estádio escocês e permitindo nova vitória aos alemães. Depois, em 1967, realizou-se novo jogo entre estas duas equipas, num confronto amigável de pré-temporada que deu, finalmente, a vitória ao Rangers frente ao Eintracht.

Hoje, a partir das 20 horas e com transmissão na SIC, o assunto é mais sério que um simples jogo amigável, e em campo estarão mais de 60 anos de história e amizade. Isso sim, no final, só um dos emblemas poderá sagrar-se campeão na Liga Europa.

Ler Mais

Os comentários estão desactivados.


×

Pesquise no i

×
 


Ver capa em alta resolução

iOnline