17/05/2022
 
 
Nova Zelândia. Fronteiras vão reabrir dois meses antes da data planeada

Nova Zelândia. Fronteiras vão reabrir dois meses antes da data planeada

Jornal i 12/05/2022 12:34

Primeira-ministra anunciou que turistas poderão entrar na Nova Zelândia depois de 31 de julho.

A Nova Zelândia vai abrir totalmente as suas fronteiras ao mundo dois meses mais cedo do que estava originalmente planeado, anunciou a primeira-ministra.

As fronteiras neozelandesas foram encerradas em março de 2020 de forma a evitar a chegada de pessoas infetadas com covid-19. Depois das 23h59 do dia 31 de julho, estas medidas serão completamente levantadas e turistas e portadores de visto do resto do mundo poderão voltar pela primeira vez em mais de dois anos à Nova Zelândia.

A data original tinha sido marcada para outubro, mas o governo já tinha afirmado que a abertura poderia ser antecipada se fosse considerado seguro fazê-lo.

“Esta será uma boa notícia para todas as famílias, empresas e as nossas comunidades migrantes”, disse Jacinda Ardern na quarta-feira. “Também oferece uma certeza às companhias aéreas e empresas de navios de cruzeiro assim como bastante tempo para planearam um regresso à Nova Zelândia durante o pico da primavera e do verão”.

O anúncio da reabertura total das fronteiras coincide com um novo conjunto de reformas nas configurações de imigração, que incluem a simplificação das vias de imigração para atrair trabalhadores qualificados de zonas à volta do país, estendendo vistos para migrantes que já estão no país, permitindo que navios de cruzeiro e estudantes internacionais retornem. As novas medidas têm o objetivo de ajudar a Nova Zelândia a afastar-se “da sua dependência de mão de obra emigrante de baixos salários e baixa qualificação”, escreve o Guardian.

Recentemente, as autoridades neozelandesas começaram a permitir a entrada de alguns cidadãos e residentes estrangeiros, começando por deixar entrar australianos e, mais tarde, viajantes de 60 países isentos de visto.

Atualmente, os turistas podem circular livremente no país, sem quarentena, embora devam submeter-se a dois testes rápidos à covid-19, no primeiro e quinto dias, de acordo com a nova política estabelecida pelas autoridades.

Ler Mais

Os comentários estão desactivados.


×

Pesquise no i

×
 


Ver capa em alta resolução

iOnline