20/05/2022
 
 
Caso EDP. Supremo rejeita pedido de habeas corpus de Manuel Pinho

Caso EDP. Supremo rejeita pedido de habeas corpus de Manuel Pinho

Bruno Gonçalves Jornal i 11/05/2022 17:03

Antigo ministro vai continuar em prisão domiciliária.

O Supremo Tribunal de Justiça (STJ) recusou, esta quarta-feira, o pedido de habeas corpus para libertar o antigo ministro Manuel Pinho, que assim permanecerá em prisão domiciliária, no âmbito do caso EDP.

O indeferimento foi justificado com “falta de fundamento”, segundo o documento da decisão, assinada pela juíza conselheira Ana Maria Barata de Brito.

Sublinhe-se que Manuel Pinho continuará, assim, em prisão domiciliária, medida de coação que lhe foi aplicada em dezembro do ano passado pelo juiz Carlos Alexandre, que, na altura, impôs o pagamento de uma caução de seis milhões de euros, caso contrário o arguido ficava com pulseira eletrónica.

O antigo ministro é arguido no caso EDP, desde 2017, por suspeitas de corrupção e branqueamento de capitais.

Ler Mais

Os comentários estão desactivados.


×

Pesquise no i

×
 


Ver capa em alta resolução

iOnline