29/02/2024
 
 
Ryanair acena mais de 150 empregos em risco em Lisboa

Ryanair acena mais de 150 empregos em risco em Lisboa

Dreamstime Sónia Peres Pinto 17/02/2022 20:31

Esse cenário está em cima da mesa caso a TAP não liberte os slots em Lisboa este verão e diz que levará a deslocar três aviões.

 

O presidente executivo da Ryanair garantiu que estão em risco mais de 150 postos de trabalho se a TAP não libertar slots –  direito de pousar ou descolar – em Lisboa este verão, levando a companhia irlandesa a deslocar três aviões. Já esta quinta-feira, Michael O’Leary tinha garantido que não fazia sentido que a TAP decidisse quem irá ficar com as 18 slots, em caso de empate das propostas a concurso. “Isso certamente não é concorrência. É mais uma decisão errada da Comissão Europeia, que não é do interesse nem dos consumidores em Portugal, nem dos visitantes”. 

Esta preocupação foi novamente transmitida numa carta enviada ao primeiro-ministro. “Escrevo-lhe para pedir-lhe pessoalmente que exija à TAP que liberte os 18 slots diários [imposição da Comissão Europeia para aprovação do plano de reestruturação] -- que a TAP não consegue nem vai usar no verão de 2022 -- para que a Ryanair possa continuar a manter a frota de sete aviões em Lisboa, este verão, evitando o encerramento de 22 rotas e a perda de mais de 150 postos de trabalho para pilotos e tripulantes de cabine”, diz o documento. 

O presidente executivo da low-cost afirmou ainda que, se o primeiro-ministro apoiar este pedido, a companhia irlandesa não deslocará três dos seus sete aviões em Lisboa para outros países da União Europeia, contribuindo para trazer “mais um milhão de passageiros a Lisboa e a Portugal durante a época de verão”. E acrescenta: “Se falhar/recusar-se a agir e a TAP puder continuar a bloquear estes ‘slots’, que eles não conseguem nem vão usar, a Ryanair será forçada a remover três aviões de Lisboa este verão e movê-los para outros países da União Europeia, bem como será forçada a fechar 20 rotas de Lisboa, temporariamente, este verão, com a perda de 150 postos de trabalho”, ameaçou Michael O’Leary. 

O responsável pediu ainda que António Costa atue no sentido de defender os interesses económicos de Portugal e da região de Lisboa, que poderão beneficiar de “um adicional de 250 milhões de euros de receitas turísticas”, este ano, se a TAP libertar slots para a Ryanair.

A Ryanair reiterou que 18 slots “não são suficientes”, dado que a TAP está a reduzir a sua frota em 20% e apenas em 2% o número de slots, no aeroporto de Lisboa. Lembrando ainda que essa libertação só irá acontecer em novembro.

 

 

Ler Mais

Os comentários estão desactivados.


×

Pesquise no i

×
 


Ver capa em alta resolução

iOnline