24/05/2022
 
 
Vítor Rainho 26/01/2022
Vítor Rainho

vitor.rainho@ionline.pt

A covid-19 não afeta manifestantes políticos

Que exemplo é que todos os políticos dão, andando nas ruas aos beijinhos e abraços sem máscara, na maioria das vezes? Ninguém se lembrou que era um péssimo exemplo para os milhares de pessoas que estão confinadas?

Deve ser o milagre da campanha, pois até hoje só o candidato do PCP/CDU, João Ferreira, acusou positivo à covid-19, quando se diz que são vários os militantes dos diversos partidos, e respetivos jornalistas que acompanham as arruadas, que também não conseguiram fugir ao vírus.

É indiscutível que os partidos entraram numa lógica completamente estúpida de se acharem acima do coronavírus e mantiveram a sua agenda como se o país não estivesse praticamente todo contaminado. Ou será que os políticos acham que estão imunes à covid-19?

Que exemplo é que todos os políticos dão, andando nas ruas aos beijinhos e abraços sem máscara, na maioria das vezes? Ninguém se lembrou que era um péssimo exemplo para os milhares de pessoas que estão confinadas? Com tantos debates televisivos e radiofónicos era preciso este disparate de andarem a contribuir para o espalhar do vírus?

Como os especialistas já explicaram, as manifestações não acabam e começam nas arruadas, pois todos aqueles que andam em caravana acabam por contactar pessoas que não são tidas nem achadas para o efeito e que vão acabar contaminadas. Já ouvi mesmo especialistas explicarem que o país vai ficar todo pintado de “contaminados” à conta das campanhas – além das escolas –, comparando as ações políticas com o regresso dos emigrantes durante as épocas festivas, quando contaminaram aldeias atrás de aldeias.

Mas é o que temos, e como a Omicron é menos letal do que as outras variantes, vale tudo. Qual então a razão para não se assumir que devemos todos continuar a nossa vida, independentemente de alguém estar infetado? Qual a razão para se fecharem escolas ou mandarem turmas inteiras para casa? Não é melhor assumir que todos vamos apanhar o vírus e que a vida económica não pode parar? E que se deve acabar com os teletrabalhos e afins? Ou o vírus só é imune às campanhas partidárias?

Com esta brincadeira toda, veremos os níveis de abstenção no próximo domingo. Não auguro nada de bom, pois as pessoas começam a ficar cansadas desta hipocrisia.

Os comentários estão desactivados.


Especiais em Destaque

iOnline
×

Pesquise no i

×
 


Ver capa em alta resolução

iOnline