28/01/2022
 
 
DECO encontra "discrepâncias acentuadas" na fatura da água em diferentes municípios

DECO encontra "discrepâncias acentuadas" na fatura da água em diferentes municípios

Dreamstime Sónia Peres Pinto 12/01/2022 12:50

As diferenças encontradas chegam a superar os 400 euros por ano, sublinha a DECO Proteste. 

A Deco Proteste alertou, ontem, para a falta de equidade dos preços na fatura da água entre concelhos. De acordo com uma análise da associação, as diferenças encontradas chegam a superar os 400 euros por ano, depois de ter analisado as tarifas dos serviços de abastecimento de água, saneamento e resíduos sólidos urbanos incluídas nas faturas de água cobradas aos cidadãos nos 308 municípios do país.

“Os cerca de 200 quilómetros que separam a Trofa, no distrito do Porto, de Vila Nova de Foz Côa, no da Guarda, ficam aquém, simbolicamente, da distância que os afasta na conta que os seus habitantes pagaram, em 2021, pela água que saiu das torneiras das suas casas, e ainda pelo seu tratamento e pelo serviço de resíduos sólidos. Se os primeiros desembolsaram 503 euros por 120 m3, os segundos ficaram-se por 88,20 euros – menos 414,80 euros”, referiu a associação.

Esta diferença pode levar a que uma família de três ou quatro pessoas, em diferentes zonas do país, e com um gasto idêntico, receba faturas bastante desiguais. E dá exemplos: “O cidadão de Vila do Conde pagou 250 euros por ano pelo abastecimento, mas, não muito longe, o de Terras de Bouro, somente 46,50. Ou, mais a sul, o de Penedono, 53,80 euros, ou ainda, nas planícies alentejanas, o almodovarense, 56,68 euros. 

Face a esse cenário defende que é necessário o reforço do quadro regulatório no que diz respeito a regras e princípios de faturação.

Ler Mais

Os comentários estão desactivados.


×

Pesquise no i

×
 


Ver capa em alta resolução

iOnline