26/01/2022
 
 
Natal. Corrida às lojas já começou mas há sempre truques para poupar

Natal. Corrida às lojas já começou mas há sempre truques para poupar

Dreamstime Sónia Peres Pinto 06/12/2021 19:17

Apesar da pandemia, os portugueses continuam a manter a tradição de fazer as compras de Natal. Se há quem admita que pretende gastar em média 249 euros, outros vão mais longe e estão a pensar em gastar uma média de 624 euros.

Faltam cerca de três semanas para o Natal e, apesar de este ano ser atípico – tal como o anterior – por causa da pandemia, a maioria dos portugueses quer manter as suas tradições desta época. E isso é sinónimo de prendas. E se muitos já começaram a fazer as suas compras de Natal – e há mesmo quem já possa estar despachado dessa tarefa –, há sempre quem prefira deixar as escolhas para a última hora.

Para estes últimos, há sempre que ter em conta um risco: quanto mais o tempo passa, menores opções de compra tem e, em muitos casos, ficam sujeitos a preços mais altos. No entanto, não tem necessariamente de ser esse o cenário. 

Quer continuar a oferecer os mesmos presentes gastando menos do que no ano anterior? É possível, e a solução pode passar por menos quantidade ou mais atenção na escolha. Há regras básicas que deverá seguir para evitar desequilíbrios orçamentais e desagradáveis surpresas. 

Há estudos para todos os gastos e as intenções de compras variam. De acordo com um trabalho feito pela Deco, quase metade dos inquiridos afirma que comprar presentes de Natal para a família e os amigos é uma grande preocupação e 54% consideram que oferecer uma boa prenda é sinal da estima pela pessoa que a vai receber. Talvez por isso, 90% dos portugueses planeiam gastar, em média, 249 euros, com a maioria a indicar valores entre 100 e 500 euros.

“Cerca de um quarto dos inquiridos que querem ir às compras, em particular homens, está a pensar num orçamento natalício superior ao do ano passado e igual proporção. De qualquer modo, no geral, seis em cada dez acabam sempre por gastar mais do que o previsto. Para poupar, quase um quarto dos inquiridos deixa algumas prendas para janeiro, de forma a aproveitar os saldos”, refere o estudo feito a 835 consumidores. 

Já de acordo com o estudo da Accenture “15º Holiday Shopping Survey”, a maior parte dos consumidores pretende gastar mais este ano nas compras de Natal. E é a faixa entre os 32 e 39 anos que pretende gastar mais este ano.

Segundo o estudo da consultora, 73% dos inquiridos quer gastar o mesmo ou mais do que gastou no ano passado. Em média, os consumidores pretendem gastar 529 euros em 2021, face a 477 euros em 2020. No entanto, a faixa etária entre os 32 e os 39 anos pretende gastar em média 624 euros, o valor mais alto entre os inquiridos. “Embora o aumento previsto nos gastos do consumidor seja uma boa notícia para os retalhistas, o nosso relatório indica que os eventos do ano passado, provavelmente, afetarão os hábitos de consumo de diferentes gerações neste período festivo”, revela Manuela Vaz, vice-presidente da Accenture Portugal, responsável pelas áreas de retalho e bens de consumo.

E acrescenta: “Os eventos do ano passado comprimiram, em algumas semanas, as mudanças que provavelmente teriam levado anos. Por exemplo, a pandemia forçou as gerações mais velhas a superar a sua hesitação em fazer compras online, uma tendência continuamente identificada pelos nossos estudos. Por outro lado, os consumidores mais jovens – que já se sentem confortáveis ​online – parecem procurar serviços e experiências que vão além da compra”.

O estudo que incluiu mais de 1500 consumidores, indica que 76% mostra-se ansioso para, nesta época festiva, passar tempo com a família, 75% planeia comprar presentes para familiares próximos e 41% tenciona comprar presentes para vizinhos, colegas e amigos. Esta ‘generosidade de espírito’ vai, provavelmente, estender-se a outros níveis, já que 70% pretende fazer contribuições para associações de apoio social e 21% fala em doar mais do que no ano passado.

Dicas para poupar no Natal 

1. Fazer orçamento 

O ideal teria sido começado a fazer as compras antecipadamente ou reservar parte dos seus rendimentos – por exemplo, três meses antes – para esta quadra. Mas se prefere deixar tudo para a última hora então comece por fazer uma lista das pessoas a quem quer oferecer prendas e, principalmente, quanto pretende gastar. A partir daí, é tentar cumprir à risca essa listagem.

2. Antecipar compras

O tempo pode ser o seu melhor aliado, pois quanto mais cedo começar as suas compras, maior será a probabilidade de comprar a prenda mais adequada e ao melhor preço. Não se esqueça que, muitas vezes, o presente perfeito não é o mais caro, mas sim o mais difícil de encontrar. Quanto mais espaço temporal tiver para as compras, menos dinheiro irá gastar, pois tem tempo de sobra para escolher o melhor e mais em conta. Aproveite, por exemplo, os saldos. 

3. Trocar presentes 

Conhecido como o “amigo secreto”, esta é uma das melhores formas de conseguir reduzir o número de prendas a oferecer. Cada participante tira um papel com o nome de outro e depois compra um presente para essa pessoa. A prenda pode ainda ter um limite de valor. Esta técnica funciona muito bem com os colegas de trabalho, da escola ou até mesmo em família, caso o orçamento seja apertado.

4. Aproveitar campanhas

Muitas lojas apostam em campanhas com descontos durante esta época. Aproveite-as. Quer sejam descontos em lojas de roupa, telecomunicações ou beleza, vale a pena perder algum tempo a procurar o negócio adequado para comprar os presentes certos ao melhor preço (ver coluna ao lado).

5. Usar cupões

Recorrer aos famosos cupões de descontos poderá ser uma boa aposta. Há vários com este tipo de ofertas, e se quer oferecer um presente de luxo, como um fim de semana num hotel de cinco estrelas, um jantar romântico num restaurante gourmet ou um dia inteiro num spa, é aí que deve ir.

6. Pagar em dinheiro

Deixe o cartão em casa e pague sempre em dinheiro. Assim será mais difícil gastar acima das suas possibilidades. E se tem o hábito de enviar postais de boas-festas para familiares e amigos, pode passar a fazê-lo por email ou através de cartões eletrónicos. É mais rápido e económico.

7. Comparar preços

Se pretende poupar na compra de prendas, então a internet poderá ser o seu maior aliado. Além de lhe permitir pesquisar todos os presentes possíveis e imaginários, há sites que só fazem comparações de preços: é o caso do Kuanto Kusta. Ou seja, se já sabe que pretende comprar um telemóvel de determinada marca e modelo, pesquise nestes sites e conseguirá identificar a loja online que pratica os preços mais baixos para um mesmo produto.

8. Personalizar presentes

Porque não oferecer um presente feito à mão? Pode ter a certeza de que uma prenda feita por si terá muito mais impacto do que uma escolhida à pressa e que pode ser bem mais cara. Arranjos florais, compotas gourmet, agendas ou molduras são algumas ideias. Outra hipótese passa por oferecer vouchers com o seu tempo. Os jovens podem oferecer um pacote de explicações ou de aulas de música para os mais novos, ou o seu apoio à família para tomar conta das crianças.

Tipo de ofertas 

Brinquedos

Um dos produtos com muita procura neste período são os brinquedos. A maior parte das lojas lançaram campanhas de descontos até 50% e as grandes superfícies não ficaram alheias a estes preços de saldo. 

Cabazes de Natal

Comprar cabazes com produtos tradicionais também é possível a preços reduzidos. Chocolates, vinhos, perfumaria, livraria, brinquedos e pequenos eletrodomésticos, a par dos tradicionais bacalhau e bolo-rei, estão entre os produtos que serão alvo de descontos por parte das grandes superfícies.

Vestuário e calçado

Não se espante se entrar numa loja ou sapataria e os preços estiverem mais baixos. Muitas lojas estão a aproveitar esta altura para escoarem os seus produtos. As reduções de preço variam consoante as marcas. 

Viagens

Se quer comprar ou oferecer uma viagem como presente  dê uma vista de olhos pelas agências de viagens ou faça uma ronda pela internet. É provável que encontre promoções interessantes e ofertas para todas as carteiras. Mas em tempos de pandemia conte com muitas incertezas e obstáculos.

Telecomunicações e tecnologias 

As consolas de videojogos são, por norma, uma das prendas mais requisitadas, principalmente pelos mais novos. A escolha natural recai quase sempre numa das três famosas consolas, mas nem sempre é fácil decidir e este ano, devido à crise dos chips, poderá não ser uma compra tão fácil. Ainda assim, vale a pena olhar com atenção para as promoções e os pacotes em que muitas lojas apostam nesta época. Também a maior parte das operadoras de telecomunicações e retalhistas lançam nesta altura descontos nos diversos equipamentos.

Ler Mais

Os comentários estão desactivados.


×

Pesquise no i

×
 


Ver capa em alta resolução

iOnline