7/12/21
 
 
Vítor Rainho 19/11/2021
Vítor Rainho

vitor.rainho@ionline.pt

Os animais comunitários têm mais direitos do que as pessoas sem-abrigo

São estes novos ditadores que querem pôr os animais à frente das pessoas, e, repito, porque não se lembraram de fazer projetos de lei sobre os sem-abrigo?

O PAN é tão fundamentalista que até quer acabar com os cães e gatos vadios, dando-lhes o nome de animais comunitários. Já nem os bichos se livram desta fúria legislativa do partido Pessoas-Animais-Natureza, que, por acaso, não se lembrou de acabar com as pessoas sem-abrigo, dando-lhes o nome de pessoas comunitárias.

Segundo uma notícia do Público, o projeto lei do PAN que foi aprovado na generalidade reconhece como animais comunitários “todo o animal autorizado a permanecer em espaço e via públicos limitados, a que o animal esteja habituado e onde esteja integrado, cuja guarda, alimentação e cuidados médico-veterinários são assegurados por uma pessoa, singular ou coletiva, ou por um grupo de pessoas integradas numa comunidade local de moradores, residenciais ou profissionais, comunidades escolares ou entidades públicas”. Não se percebe muito bem como o PAN quer fiscalizar quem não levar os referidos animais ao veterinário ou que não cuide da sua alimentação. Não é embirração, mas o PAN acha, de facto, que os animais são mais importantes do que as pessoas.

O partido liderado pela porta-voz que gosta de túneis, não de vento, mas de plástico, tudo fará para nos obrigar a viver de acordo com as suas crenças, obrigando-nos a comer só vegetais e frutas, muitos deles embalados em plástico, desde que provenha de pequenas produções agrícolas.

São estes novos ditadores que querem pôr os animais à frente das pessoas, e, repito, porque não se lembraram de fazer projetos de lei sobre os sem-abrigo? Gosto de animais de estimação, nunca tratei mal algum, mas tenham juízo e percebam que não vivemos na República afegã portuguesa. Alguns dos novos talibãs ainda por cima apregoam uma coisa e fazem outra.

Por este caminho, os fundamentalistas do Estado Islâmico nem precisam de fazer atentados na Europa. Os europeus tratarão de se destruir a si próprios. Só falta criarem exércitos para irem para a selva proibir os animais de se comerem uns aos outros e para o mar afastar os tubarões e orcas que comem diariamente toneladas de peixinhos.

P.S. O que se passa na Alemanha é preocupante. Então a economia mais robusta da Europa não tem cama para os seus doentes covid e tem que mandar alguns para os países vizinhos?


×

Pesquise no i

×