28/01/2022
 
 
São Martinho. Uma tradição celebrada um pouco por toda a Europa

São Martinho. Uma tradição celebrada um pouco por toda a Europa

Dreamstime Daniela Soares Ferreira 11/11/2021 14:49

Para nós, portugueses, falar em São Martinho é associar as castanhas, o vinho e a água-pé. Mas esta tradição celebra-se em várias partes do continente europeu, e há latitudes onde os festejos são outros. Da matança do porco às uvas, do ganso assado ao período de jejum, saiba como o mundo assinala esta festa.

San Martín. Começa em Espanha a época da matança do porco Nuestros hermanos também festejam o São Martinho mas de uma forma diferente da que conhecemos. Em Espanha, este dia tem o nome de San Martín e marca o arranque da época em que se faz a matança do porco. Tradição que deu origem ao tão conhecido ditado espanhol “cada porco tem o seu São Martinho”, que significa que cada pessoa receberá o devido pagamento pelos atos incorretos que cometeu. Apesar de começar no dia de São Martinho, esta é uma época que durará até  17 de janeiro, com destaque para as zonas de Astúrias, Navarra, Salamanca e a Extremadura. A tradição é antiga e tinha como objetivo conseguir comida para atravessar os invernos rigorosos.

Bélgica. Crianças, velas, lanternas e muita música O São Martinho é para todas as idades mas, na Bélgica, o grande espírito desta celebração é vivido pelas crianças, que costumam percorrer as ruas com velas e lanternas, cantando músicas alusivas ao São Martinho. Mas não é em toda a Bélgica que se celebra a data e a tradição diz respeito apenas a uma pequena parte do país, a região Este da Flandres. Castanhas não há mas a tradição existe: aqui, o rei do São Martinho é o ganso. E a festa é um pouco semelhante ao Natal: na noite de 10 para 11 de novembro, o São Martinho, antecipando-se ao Pai Natal, deixa presentes para as crianças.

Alemanha. Uma verdadeira explosão de gastronomia Na Alemanha, o São Martinho é uma boa desculpa para encher a barriga e o grande destaque vai para o ganso assado e para o porco. Antigamente a tradição era levada à regra e não faltavam as fogueiras que tinham como objetivo simbolizar a luz e calor que este santo trouxe aos pobres. Nos tempos modernos, as fogueiras foram maioritariamente trocadas por lanternas e cânticos, um pouco como acontece na Bélgica. Para os adultos, não falta o vinho quente enquanto as crianças aproveitam esta época para poderem ‘abusar’ dos doces. Além disso, organizam-se procissões, as chamadas Martins-Zuge, que têm início com um homem de capa vermelha montado num cavalo, que naturalmente representa São Martinho.

Croácia e Eslovénia. O vinho é rei Países vizinhos e com a mesma tradição para o dia de São Martinho: na Eslovénia e na Croácia, a data – Martinovanje, Martinje – marca o dia em que o mosto tradicionalmente se transforma em vinho. O mosto é geralmente considerado impuro e pecaminoso, até ser batizado e transformado em vinho. O batismo é realizado por alguém que se veste de bispo e abençoa o vinho. E depois existe ainda outra pessoa que é escolhida como padrinho do vinho. Depois desta pequena tradição, come-se. Os alimentos consumidos tradicionalmente no dia de São Martinho nestes dois países são gansos e mlinci – uma espécia de ensopado de pão – caseiros ou comprados em loja.

República Checa. Às 11h11 do dia 11 do mês 11 A República Checa, à semelhança do que acontece em muitos outros países, o dia de São Martinho também é celebrado com ganso. Mas a tradição vai muito para lá disso. A população aproveita o dia para beber a sua versão do Beaujolais nouveau, Svatomartinské vino, que é nada mais nada menos que um vinho jovem da colheita mais recente. Mas há mais: as lojas de vinho e os restaurantes à volta de Praga servem o primeiro vinho de São Martinho às 11h11 em ponto. São muitos os restaurantes que oferecem menus especiais para este dia, apresentando o tradicional ganso assado que faz as delícias de residentes e visitantes.

Itália. Bom vinho e bons alimentos “No dia do São Martinho, o mosto transforma-se em vinho”: o ditado podia ser português mas é italiano e mostra bem como esta tradição é celebrada no país. Na ocasião brinda-se com vinho novo, o que acaba também por coincidir com o fim do trabalho nos campos e com o regresso dos agricultores a casa. É daqui que vem a expressão “fazer um San Martino” que, para os italianos significa “partir”. A data celebra-se por todo o país de várias maneiras com destaque para o convívio, a degustação do vinho e, sendo uma tradição muito associada ao mundo rural, comem-se os produtos que a terra dá. Come-se o tradicional zeppole ou frittelle di San Martino e as crianças andam pela rua a pedir dinheiro ou doces.

Hungria. Ou come ou passa fome Nascido na cidade mais antiga da Hungria – Szombathely, antes conhecida por Savaria, Martinho era o filho de um tribuno militar, que se mudou com a família para Itália. E no país natal também se celebra em sua homenagem. Tal como noutros pontos da Europa, o prato de eleição é o ganso, tradição profundamente enraizada desde a Idade Média. Na Hungria há até um ditado muito conhecido que diz que “quem não come ganso no dia de São Martinho fica com fome todo o ano”. Se é verdade ou não, não se pode provar. Mas o melhor é não arriscar e por isso os habitantes não quebram a regra e reúnem a família para, neste dia, comer o ganso assado. Seja em casa ou no restaurante.

Grã-Bretanha. Venha de lá esse jejum Na Grã-Bretanha, o Saint Martin’s Day é assinalado como o dia onde as pessoas normalmente entram num período de jejum, que dura 40 dias, chamado Quadragesima Sancti Martini. Significa “Os Quarenta Dias de São Martinho”. E se é para entrar em período de jejum, o melhor é comer bem antes. Por isso, as pessoas costumam fazer grandes manjares e grandes festas na véspera do São Martinho, assim como no próprio dia. Considerado uma prática de preparação espiritual para o Natal, o jejum vai-se tornando cada vez menos comum nos dias de hoje, mas ainda há quem o faça. E com ou sem jejum, os grandes banquetes continuam a fazer-se por esta altura.

Eslováquia. O presságio para o Natal Na Eslováquia não se preocupam muito com o ‘verão de São Martinho’. Aliás, até é bom que não haja. Explicamos melhor. A tradição diz que se nevar na festa de São Martinho, significa que o santo veio num cavalo branco e, por isso, haverá neve no dia de Natal. Se não nevar neste dia, então não vai haver neve no Natal. E por serem tão fãs desta pequena tradição, os eslovacos aproveitam esta ocasião para oferecer entre si pequenos presentes ou até pequenas quantias de dinheiro. Uma espécia de Natal mas em ponto pequeno. A tradição estará relacionada com o facto de São Martinho ter oferecido parte da sua manta a um mendigo que lhe pediu esmola.

Malta. Fruta, crianças e pão de São Martinho Na ilha de Malta, o São Martinho é para todos mas com grande destaque para as crianças. Nesta altura, os mais novos recebem um saco cheio de frutas e doces associados à festa, conhecido tradicionalmente pelos malteses como Il-Borża ta San Martin, ou, traduzido à letra, a bolsa de São Martinho. O saco vai recheado de frutos secos como nozes, avelãs, amêndoas, castanhas, figos secos ou processados, frutas da época, como laranjas, tangerinas, maçãs e romãs. Destaque ainda para o pão de São Martinho, que é servido nesta altura.

Ler Mais

Os comentários estão desactivados.


×

Pesquise no i

×
 


Ver capa em alta resolução

iOnline