23/10/21
 
 
Bola de Ouro. Avizinham-se os prémios, e já há favoritos

Bola de Ouro. Avizinham-se os prémios, e já há favoritos

AFP José Miguel Pires 13/10/2021 19:59

A 29 de novembro, a revista desportiva France Football revelará quem será o vencedor da Bola de Ouro. São 30 os candidatos, e os murmúrios já começam a perfilar os favoritos a um dos principais prémios do futebol internacional.

Está quase aí um dos principais galardões do futebol internacional, e todos os adeptos da mais popular modalidade desportiva no mundo estão já a preparar as opiniões, críticas e sugestões sobre quem deverá ser o jogador galardoado com a Bola de Ouro.

O prémio é entregue pela revista desportiva France Football, e a corrida neste ano está renhida. Cristiano Ronaldo e Lionel Messi são os principais detentores deste troféu, sendo que o internacional madeirense possui cinco, e o argentino seis. Desde 2008, aliás, que o Ballon d’Or vai exclusivamente para um destes dois jogadores, com exceção do galardão de 2018, que caiu nas mãos do croata Luka Modric.

Este ano, no entanto, contam-se 30 candidatos ao prémio, e o diário L’Équipe fez questão de escolher os seus cinco favoritos, colocando-os na capa da edição de terça-feira do jornal. Lionel Messi, Cristiano Ronaldo, Robert Lewandowski, Karim Benzema e Jorginho são as figuras que aparecem rodeadas do brilhante dourado do Ballon d’Or, simbolizando o seu estatuto como grandes favoritos a vencer este prémio, num ano de grandes mudanças no futebol internacional, muitas das quais envolvendo alguns jogadores aqui mencionados.

Tome-se em conta, por exemplo, a polémica mudança de Messi do FC Barcelona, clube que o acolheu deste a sua adolescência, para o Paris Saint-Germain, onde se juntou a outras estrelas futebolísticas como Neymar Jr. e Kylian Mbappé.

Já Cristiano Ronaldo, principal rival de Messi na luta pela Bola de Ouro, que procura a oportunidade de igualar o argentino no número de galardões, foi também o protagonista de uma curiosa mudança de ares. O internacional da ilha da Madeira deixou para trás a vecchia signora, e regressou ao Manchester United, 12 anos depois da sua saída de Old Trafford.

Se o argentino (que venceu a última edição do prémio, em 2019) se pode gabar de ter ajudado a seleção nacional azul celeste a conquistar o título da Copa América, em julho deste ano, Ronaldo não ficou atrás nos feitos, conquistando o recorde de maior goleador de sempre ao serviço de uma seleção nacional, quando atingiu a marca dos 111 golos marcados ao serviço das ‘quinas’, em setembro deste ano, para além de ter sido o maior goleador da liga italiana na temporada anterior, com 29 golos em 33 jogos.

Marcação fechada

Este ano, ainda assim, a luta pela Bola de Ouro está renhida, e poderá ver-se quebrada a hegemonia de Lionel Messi e de Cristiano Ronaldo. Tome-se o exemplo de Robert Lewandowski, um dos 30 candidatos ao prémio, que muitos apontavam como o mais provável vencedor em 2020, ano em que a entrega do galardão acabou por não se realizar, devido à pandemia da covid-19.

O polaco do Bayern de Munique, que venceu a Bota de Ouro europeia em 2021 e que foi considerado o Melhor Jogador do Mundo, pela FIFA, em 2020, é uma aposta sólida para vencer o galardão da France Football, até porque foi uma peça fundamental na temporada praticamente perfeita do Bayern de Munique. Lewandowski levantou, na temporada anterior, os troféus da Bundesliga, do Mundial de Clubes e da Supertaça alemã. E os registos falam por si: o polaco bateu o recorde instalado por Gerd Müller na temporada 1971-72, ao marcar 41 golos em 29 jogos da liga alemã.

Quem está também na luta, nos principais lugares das apostas, é o ítalo-brasileiro Jorginho. Campeão europeu em 2021 com o emblema italiano ao peito, bem como com as cores do Chelsea, na Liga dos Campeões, Jorginho contou já com o apoio e a fé de vários pesados nomes do futebol internacional nesta corrida pela Bola de Ouro.

Thomas Tuchel, por exemplo, que lidera as tropas dos blues, não deixou dúvidas sobre a sua opinião. “Jorginho merece ganhar a Bola de Ouro. É um jogador muito inteligente e é um prazer ser seu treinador”, disse o alemão, em declarações no Sports Festival, em Trento. 

A Tuchel juntou-se Roberto Mancini, treinador do emblema nacional italiano, que garantiu que “Jorginho deveria ganhar a Bola de Ouro”. “Ele ganhou tudo e merece muito. Seria estranho para mim se fosse de outra forma”, concluiu o técnico.
Até Fabio Cannavaro, antigo jogador do Real Madrid, Juventus e Inter de Milão que venceu a Bola de Ouro em 2006, deixou as suas palavras de apoio a Jorginho, apesar de ter um embrulho menos positivo. “O Jorginho merece, mas o Messi vai ganhar”, disse Cannavaro, em entrevista ao jornal La Gazzetta dello Sport.

Subidas de última hora

Cristiano Ronaldo e Lionel Messi são candidatos favoritos sedimentados, graças ao seu elevado estatuto, ao passo que Lewandowski e Jorginho vão beneficiar fortemente dos resultados da última temporada, mas há quem, no entanto, tenha vindo a surgir mais recentemente na mira dos seguidores deste prémio.

É o caso de Karim Benzema, o jogador francês que recentemente levou a seleção gaulesa à vitória na Liga das Nações, ao marcar o primeiro golo da final da competição, frente à Espanha.

Benzema foi nomeado para este prémio, até agora, um total de 10 vezes, mas nunca alcançou um lugar melhor do que o 16.º posto em 2014. Caso vença, será o primeiro francês a fazê-lo desde que Zinedine Zidane venceu o galardão em 1998.

Ler Mais


Especiais em Destaque

×

Pesquise no i

×