29/11/21
 
 
Vítor Rainho 29/09/2021
Vítor Rainho

vitor.rainho@ionline.pt

O comentador Marcelo não resiste aos factos políticos

Ao insinuar ao Público que Moedas pode criar um ciclo novo, que poderá, eventualmente, começar com eleições intercalares na Câmara de Lisboa, o comentador Marcelo Rebelo de Sousa está a querer intervir no xadrez político.

Marcelo Rebelo de Sousa não resiste mesmo a agitar as águas da política nacional e, por isso, não se coíbe de lançar recados pelos jornais – numa televisão é mais difícil alguém dizer que ouviu em Belém ou que fontes próximas disseram. Aliás, essa é uma, entre muitas, diferenças do papel (e dos sites) para as televisões.

Ao insinuar ao Público que Moedas pode criar um ciclo novo, que poderá, eventualmente, começar com eleições intercalares na Câmara de Lisboa, o comentador Marcelo Rebelo de Sousa está a querer intervir no xadrez político.

Era sabido que Paulo Rangel tinha tudo preparado para anunciar ontem a sua candidatura à liderança do PSD, mas com o resultado das autárquicas preferiu utilizar o seu espaço semanal no Público para dizer que ainda estamos em tempo de rescaldo das autárquicas e que o partido pode esperar por melhores dias.

E, calculo, não foi por acaso que termina o seu artigo com uma bicada que cabe na perfeição no fato de Rui Rio, afirmando que o PSD deve fazer várias coisas no futuro, entre as quais “hoje mais importante do que nunca, o respeito pela independência judicial, pela liberdade de imprensa, pela separação de poderes e pela capacidade de escrutinar os executivos”.


×

Pesquise no i

×