16/10/21
 
 
João Antão. Uma aldeia da Guarda que passa a plenário

João Antão. Uma aldeia da Guarda que passa a plenário

DR Jornal i 16/09/2021 09:10

João Antão, com 126 habitantes, elege o seu executivo de ‘braço no ar’. Ultimamente, tem-se virado para o PSD.

Cá estamos, mais uma vez, pela Guarda. Depois das freguesias da Granja, Pega e Guilheiro, segue-se-lhes uma com um nome caricato: João Antão. João Antão, concelho da Guarda, distrito da Guarda, tem 126 habitantes e é uma das freguesias mais pequenas do país. É, desde 2013, governada pela direita, que tem rosto e é de mulher: Eugénia Maria Félix Nunes. Em 2013, ano em conquistou a autarquia, Eugénia argumentava que já há “muitos e longos anos” não conhecia mudança na freguesia, que esta “ficou para trás no tempo” e que não aproveitou os “bons tempos dos apoios comunitários, nacionais e municipais”, desta forma “perdendo a oportunidade de fixar pessoas e, acima de tudo e de todos, não conseguir atrair gente”. O manifesto concluía com a seguinte frase, em maiúsculas: “COM CORAÇÃO POR JOÃO ANTÃO”. A verdade é que, contas feitas, Eugénia Nunes, numa coligação PSD-CDS, acabara mesmo por conseguir conquistar a junta em 2013.

Nas seguintes eleições, as de 2017, Eugénia dispensara o apoio do CDS e recandidatara-se sozinha pelo PSD, sendo eleita com 76 votos, que significaram 62,3% dos votantes. Em segundo, como seria de esperar, ficou o PS – com 39 votos e 31,9% dos votantes. Empatados com um voto, seguiu-se-lhes o BE e uma coligação CDS-MPT-PPM. A abstenção, profundamente baixa – 25,1% –, simboliza a elevada participação cívica que os habitantes de João Antão têm. Chegados a 2021, e com pouca informação na internet, o i teve que recorrer às páginas brancas para confirmar o que já esperava: Eugénia Nunes avançará para o seu terceiro e último mandato em João Antão, "sem qualquer cor partidária, apenas COM CORAÇÃO POR JOÃO ANTÃO como sempre fez, em plenário não é necessário haver partidos, o importante é a freguesia, e o seu desenvolvimento", afirmou a candidata.

“Corre tudo de bem. Nada de mau a apontar. Ela é boa senhora”, diz-nos Patrocínia Gil, de 68 anos, residente na freguesia. Quanto a outras candidaturas – sendo que se espera, pelo menos, a do PS – Patrocínia Gil não confirma: “Dizem que sim [que haverá outra lista], mas não sei quem é”.

João Antão vira plenário Os fregueses de João Antão, em vez de irem às urnas, votam em plenário – algo que se deve ao seu reduzido número de habitantes. O plenário deverá ocorrer depois de dia 26 de Setembro e os cidadãos apenas votam para a Câmara e Assembleia Municipais (excluindo-se assim o voto para a Assembleia de Freguesia). A Assembleia de Freguesia, essa, é substituída por um plenário de cidadãos eleitores que elegem os três elementos que ficarão à frente da junta. Esta votação pode ocorrer de braço no ar, ou seja, à velha maneira ateniense – razão pela qual João Antão virará ágora por um dia (basta a presença de apenas 10% dos eleitores inscritos no plenário para que este seja válido), ou por voto. Não obstante esta “democracia à antiga” entusiasmar os aficionados de ciência política, parece que os fregueses de João Antão não se deixam deslumbrar.

Notícia corrigida às 14h10 do dia 17/09/2021.

Ler Mais


Especiais em Destaque

×

Pesquise no i

×