24/10/21
 
 
Xavier Novell. O bispo espanhol que renunciou à Igreja em prol do amor

Xavier Novell. O bispo espanhol que renunciou à Igreja em prol do amor

DR Sara Porto 08/09/2021 11:20

O bispo da cidade espanhola de Solsona renunciou ao cargo depois de se ter apaixonado por uma escritora de livros eróticos e satânicos. O Papa Francisco já aceitou a sua saída, dando a liberdade a Novell para viver o amor com Silvia Caballol.

Quando pensamos nas restrições que o cargo de bispo acarreta, uma das primeiras coisas que nos invade o pensamento e provavelmente nos custa a perceber é talvez a distância que estes têm de ter de qualquer relação amorosa, seja ela carnal, ou emocional. O amor faz parte da vida. O ser humano, na sua generalidade, precisa dele tal como precisa de água para beber, ou ar para respirar. As exceções estão precisamente neste tipo de situações, onde um homem, ou uma mulher se entregam a Deus e é com ele que mantêm uma relação de fidelidade, amor e servidão, durante toda a vida.

Mas esse não foi o caso de Xavier Novell que renunciou ao cargo de bispo de Solsona por algo tão especial e, ao mesmo tempo, tão mundano, como o amor.

 

AS SUPOSIÇÕES ANTES DO ESCLARECIMENTO

Em agosto passado, o agora ex-bispo surpreendeu tanto espanhóis como estrangeiros, informando o bispado que o Papa havia aceitado a sua renúncia “por motivos pessoais” (o outrora bispo esteve ausente do bispado semanas antes e depois da sua renúncia).

A declaração com a qual a diocese (unidade territorial administrada por um bispo) de Solsona tornou pública a renúncia específica de que Novell se estaria a retirar, está assente no cânon 401 do Código de Direito Canónico que indica que o bispo deve renunciar ou “devido a uma doença ou outra causa grave que diminua a sua capacidade de realizá-la”. Contudo, até ao passado domingo, 5 de setembro, ninguém sabia ao certo as razões por trás desse afastamento. E a surpresa aumentava pelo facto de “ser raro o Papa aceitá-las tão rapidamente”, mesmo em situações onde os prelados atingem a idade de aposentadoria (75 anos). Estes são, em muitos casos, mantidos por mais alguns anos até se encontrar um substituto.

O precedente mais semelhante e recente na Espanha à renúncia de Novell ocorreu em 2019, na diocese de Ciudad Rodrigo: o bispo Raúl Berzosa, de idade semelhante à da Novell (52 nos), também se retirou por motivos pessoais. Pouco depois, soube-se que este se encontrava a ser investigado por “comportamento imoral” e peculato (crime que consiste no desvio ou no roubo de dinheiros públicos por quem os tinha a seu cargo). As acusações acabaram por ser retiradas e, um ano depois, Berzosa publicou um livro no qual narra a “provação” pela qual passou: “Às vezes, para não magoar as pessoas ou por não querer ser firme com elas, cedi ao mal e à maldade, nunca com seriedade, mesmo encobrindo-o com meias verdades ou falsos argumentos”, disse.

O fato de o Papa ter aceite a sua renúncia tão rapidamente só se justifica por “razões imperiosas”, explicou ao El Mundo, Francisco Cardona, doutorado em Direito Canónico, antes de se saber efetivamente as razões da renúncia. “É uma decisão muito surpreendente”, acrescentou o advogado e procurador do Rota Tribunal – o tribunal de apelação da Igreja Católica.

Na altura, o bispado de Solsona não especificou se Novell sofria de uma doença grave, embora os padres, consultados pelo jornal espanhol El País, afirmassem acreditar que não. Até porque também seria “extraordinário” que um bispo renunciasse por motivos de saúde. Normalmente, ficaria temporariamente isento das suas responsabilidades. Um exemplo atual dessa situação é o caso do bispo auxiliar de Barcelona, Antoni Vadell, que sofre de cancro no pâncreas e, apesar disso, não apresentou a sua renúncia.

Segundo fontes episcopais, o Bispo emérito de Solsona reuniu-se várias vezes com o Papa Francisco, em Roma, antes de tomar a decisão final de renunciar ao governo da diocese. Porém, apesar de todos esses encontros – algumas fontes referem dois encontros nos últimos meses – nem a autoridade do Pontífice, nem todo o poder simbólico muitas vezes exercido pela Basílica de São Pedro ou a magnificência das colunas de Bernini, fizeram Novell recuar na sua decisão. Até porque o seu coração já estava longe dali.

 

O BISPO E A ESCRITORA DE CONTOS ERÓTICOS E SATÂNICOS

Depois de muito se especular, o mistério foi revelado quando se soube que o bispo, agora emérito, se apaixonou por uma mulher e decidiu que queria viver essa relação. Mas quem foi a responsável por essa mudança radical na vida de Novell? A psicóloga e escritora, Sílvia Caballol, de 38 anos, que atualmente trabalha numa ONG, e, por ironia ou destino, é autora de romances – alguns eróticos e outros satânicos. Caballol é divorciada, tem dois filhos, é também ex-professora de ioga e especialista em técnicas de relaxamento. E a história destes dois amantes podia muito bem ser vista numa sala de cinema, ou lida num romance, já que a relação nasceu precisamente em torno do “exorcismo e do satanismo”. Novell era o exorcista titular da diocese de Solsona desde 2015 e conheceu Silvia Caballol como resultado desse trabalho, já que ela é também uma especialista em satanismo.

Xavier Novell assumiu o ministério de exorcista titular da diocese de Solsona devido à falta desta figura e à ausência de um candidato para o cargo em 2015, conforme previsto. O assunto despertou um interesse especial em Novell, além do trabalho “normal” inerente ao cargo. Embora tenha começado com casos menos complexos, cuja atuação se limitava à aplicação do procedimento estipulado pela Igreja, baseado na oração e no uso de água benta, o seu envolvimento aumentou ao ponto de assumir as possessões que exigiam várias sessões e que podiam ser adiadas durante meses.

 

AS CONTROVÉRSIAS EM TORNO DO ROMANCE

Obviamente que essas ligações começaram a levantar suspeitas no meio religioso de que Novell poderia estar a ser “possuído”. Segundo o jornal especializado em religião, Germinans, “está comprovado que a relação entre os dois começou com a questão do exorcismo e do satanismo”. O mesmo jornal indica que a relação despertou suspeitas, a ponto de alertar Novell de que Caballol o estava a submeter a uma “ação satânica”.

Além disso, nos últimos dias, vozes foram ouvidas na diocese de Solsona e algumas apontam para esta versão que é pelo menos surpreendente para aqueles que não estão familiarizados com os setores mais tradicionais da Igreja. De acordo com vários padres com responsabilidades curiais, o caso de Novell não é típico de uma rutura do celibato por se apaixonar, mas sim uma “infestação por possessão demoníaca” dada a sua alta responsabilidade e o próprio perfil de Caballol. Resumindo: Novell foi “possuído” pelo maligno e terá de ser exorcizado para que seja possível libertá-lo “das garras de Satanás”.

As fontes diocesanas que asseguram esta ligação estão ancoradas no interesse por parte da escritora pelos temas satânicos e eróticos. Caballol publicou dois livros: Amnesia Trilogy e Gabriel’s Hell in Lust, ambos editados pelas Ediciones Lacre, do grupo editorial Altera. O tema do primeiro deles está longe do satanismo. Além disso, mais do que erótico, é explícito, e na própria capa é recomendado a maiores de idade. Por outro lado, Hell in Gabriel’s Lust é um livro difícil de encontrar. Descontinuado e de muito pouca difusão, as cópias disponíveis limitam-se a portais de segunda mão, onde o seu preço dispara. No entanto, a sinopse do livro explica o aprofundamento do tema demoníaco da sua autora: “O leitor será transportado pelo mundo da prisão, psicopatia, seitas, sadismo, loucura, luxúria e, aos poucos, conforme a história avança, também para a irrealidade da imortalidade e a luta crua entre o bem e o mal, entre Deus e Satanás e entre anjos e demónios”, lê-se.

Contudo, o interesse de Novell, não está assim tão distante da posição do Vaticano. Em várias ocasiões, Roma lembrou-nos de “não baixar a guarda quando se trata do diabo”. Paulo VI surpreendeu todos quando, em 1972, disse literalmente que “por algum crack o fumo de Satanás entrou na Igreja”. De outra forma, o Papa Francisco vai relembrando a importância de “sermos vigilantes com o maligno”. Em março de 2017, pediu aos confessores que consultassem os exorcistas caso encontrassem casos de “distúrbios espirituais”. Fontes eclesiásticas especularam sobre a possibilidade de que, no decorrer das suas reuniões, o Santo Padre tenha sugerido a Novell de que este se submetesse a um exorcismo para se “redirecionar”. Mas em resposta a isso, o bispo emérito de Solsona assegurou, ao jornal El Mundo, que a Santa Sé lhe ordenou que não desse explicações enquanto se levantam essas “vozes diocesanas que apontam para uma ‘possessão demoníaca” e que aconselham um exorcismo.

 

A ANTIGA RELAÇÃO DE NOVELL COM O AMOR

Por outro lado, não é a primeira vez que Xavier Novell fala sobre amor e relações. Numa das muitas entrevistas que cedeu após a sua nomeação como bispo aos 41 anos (o mais jovem em Espanha, de então), afirmou: “Há sempre uma pequena ferida aberta, um desejo, e ainda mais vivendo no mundo. Se eu vivesse num claustro seria diferente. Há mulheres bonitas e, no verão, estão ainda mais descobertas. Temos de fazer o exercício de nos educarmos para olhar e respeitar. Mas com a ajuda de Deus vivo em paz ”, disse ao El Mundo, em agosto de 2011. No mesmo encontro, o ex-bispo revelou que “sempre lhe bajularam pelo seu olhar e a sua fala”: “Tive algumas namoradas. Aquela que gostei mais conheci na estação de metro. Tinha 25 anos. Tenho que admitir que quando a vi senti algo por dentro”, contou. Também é surpreendente o que foi afirmado numa entrevista ao jornal El País no mesmo ano. Questionado sobre a possibilidade de um dia se apaixonar, Novell assegurou que “se um dia eu encontrar uma mulher que me atrai pelo seu jeito de ser, pensar ou fazer, e despertar em mim um sentimento de afeto conjugal, de paixão, não o alimentaria”.

 

OUTRAS OPINIÕES

Há ainda aqueles que têm outra opinião relativamente ao afastamento de Novell: a sua forte personalidade e a forma como dirigiu a diocese, realizando profundas reformas na sua estrutura, renderam-lhe numerosas inimizades entre os reitores do seu apostolado. Por isso, há quem especule que o seu recuo se deva ao desânimo e à frustração por não ter a simpatia da cúria, e também à constatação de que os seus ambiciosos objetivos de aumentar o número de fiéis não estavam a ser cumpridos.

A possibilidade de manter as diferenças intransponíveis com a linha mais progressista marcada pelo Papa Francisco na Igreja Católica também foi considerada. Foi até proposto que esta foi uma manobra para fundir o pequeno bispado de Solsona com o de Vic. O Papa nomeou o bispo de Vic, Romà Casanova, como administrador apostólico da diocese enquanto o cargo deixado por Novell estiver vago.

 

UMA PERSONALIDADE COMPLICADA

Segundo as fontes consultadas pelos jornais espanhóis, Xavier Novell sempre teve uma personalidade “muito complicada e errática”. Na sua carreira, passou de posições muito progressistas na década de 1990 (a favor do fim do celibato e da ordenação das mulheres) para posições muito conservadoras, após os seus estudos em Roma. Jovem e impetuoso, foi conquistado pelo bispo Jaume Traserra, que o nomeou secretário, cónego e o recomendou com sucesso para sucedê-lo em Solsona.

E no ano 2010 (quando assumiu o cargo) a sua figura incomodou desde o início os seus companheiros episcopados, principalmente pela “sua ânsia de aparecer os meios de comunicação” e pelas polémicas nas suas declarações: mantendo sempre um discurso muito intransigente sobre a moralidade sexual , como quando dizia que a ausência de uma figura paterna forte era um dos elementos que explicava a homossexualidade. Na verdade, Novell tem sido a favor de “tratamentos” para combater a homossexualidade, que endossam os setores mais atrasados ​​a Igreja espanhola, como o bispo de Alcalá de Henares e José Ignacio Munilla, deSan Sebastián. O Vaticano e o Papa Francisco sempre se opuseram abertamente a essas declarações.

Na Igreja Catalã, muitos acreditam que Novell nunca deveria ter sido ordenado bispo, pois “sempre lhe faltou equilíbrio e maturidade pessoal suficiente”. Existem até vozes episcopais que consideram que este nem deveria ter sido ordenado sacerdote.

Segundo Francisco Cardona, Novell continuará como bispo emérito de Solsona. Muito provavelmente, indica Cardona, o ex-bispo pedirá à Santa Sé uma dispensa da promessa de celibato e obediência e isso devolveria o prelado ao status de leigo, sem deixar a Igreja. Contudo, esse processo é longo porque requer um estudo detalhado dos fatos e a declaração das pessoas envolvidas.

Como está visto, Novell foi “atrás do demónio” mais do que uma vez e há capelães que argumentam que praticar exorcismos e aproximar-se deles pode acabar numa “contaminação”. “Vou surpreendê-lo”, prometeu Novell referindo-se ao diabo, no dia em que assumiu o cargo na diocese de Solsona, em 2010. Certamente o fez. Contudo, nem ele estava à espera até que ponto.

Já fixado em Manresa com a sua namorado, Novell pretende procurar emprego como engenheiro agrónomo.

Ler Mais


Especiais em Destaque

×

Pesquise no i

×