20/9/21
 
 
"Estamos a dias, ou semanas, de atingir os segundos objetivos" da vacinação, anunciou secretário de Estado da Saúde

"Estamos a dias, ou semanas, de atingir os segundos objetivos" da vacinação, anunciou secretário de Estado da Saúde

AFP Jornal i 03/09/2021 16:26

Segundo o secretário de Estado da Saúde, Portugal está perto de alcançar os 85% da população com a primeira dose e os 75% com as duas, bem como já se notam as “percentagens altas [de vacinação] entre os 12 e os 18 anos”. Quanto ao encerramento dos centros de vacinação, nada ainda está decidido, afirmou. 

Portugal está perto de atingir o marco de 75% da população com as duas doses da vacina contra a covid-19, anunciou o secretário de Estado da Saúde, esta sexta-feira.

"Estaremos razoavelmente perto de atingir os 85% de população vacinada com a primeira dose, sendo que estaremos, nas duas doses, muito perto dos 75%", apontou Diogo Serras Lopes aos jornalistas durante a visita ao Centro de Vacinação de Paredes, em Lordelo.

Segundo o governante, "estamos a dias, ou semanas, de atingir os segundos objetivos” que foram definidos pela task-force e pela Direção-Geral da Saúde (DGS).  A primeira meta de ter 70% da população com a vacinação completa "já foi atingido há algum tempo", assinalou o governante.

Diogo Serra Lopes afirma que “não há grandes dúvidas” sobre alcançar os 85% de vacinação completa até ao final de setembro. Quando houver “85% [da população] com a primeira dose, os 85% com duas doses serão atingidos certamente [até setembro] porque o prazo de toma das vacinas que têm duas doses é no máximo de quatro semanas e, portanto, é uma questão matemática".

Quanto à adesão dos jovens à administração da vacina, o governante indicou que Portugal está perto de atingir “percentagens altas entre os 12 e os 18 anos”, ao evidenciar a “clara vontade das pessoas” receberem a vacina.

Questionado sobre uma possível data limite para o encerramento dos centros de vacinação, Diogo Serra Lopes disse que nada está decidido, mas “ao que sabemos hoje”, a necessidade de vacinar a população em massa deixou de existir.

“É normal que os centros de vacinação deixem de existir e a vacinação passe a ser feita” onde começou, nos centros de saúde.

O secretário de Estado de Saúde também realçou que "o processo de vacinação e as metas que foram sendo estipuladas foram cumpridas, embora tenham sofrido alguns atrasos com a entrega de vacinas".

Mesmo assim, Diogo Serra Lopes sublinhou o “trabalho excecional do Serviço Nacional de Saúde” na campanha de vacinação. “A grande lição que se pode tirar daqui é que, quando trabalhamos juntos, todas as coisas são possíveis", frisou.

Ler Mais


Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×