20/9/21
 
 
Leituras de verão. Ainda não sabe o que vai ler nestas férias?

Leituras de verão. Ainda não sabe o que vai ler nestas férias?

Dreamstime José Cabrita Saraiva 06/08/2021 19:35

Tem tempo livre em mãos e não sabe como ocupá-lo? Gosta de ler mas não sabe o que escolher? Quer ande simplesmente à procura de uma boa história, quer esteja sequioso de conhecimento, encontrará nestas páginas sugestões que certamente enriquecerão as suas férias. De clássicos como Tolkien e Dostoiévski a livros de história e de ciência, selecionámos um leque de 28 títulos para todos os gostos. Para ler na praia, na esplanada, no comboio ou no banco de jardim.

Clássicos que não envelhecem

Os Irmãos Karamázov
Fiódor Dostoiévski

Editorial Presença

“Embora chame Alexei Fiodorovich de meu herói, eu próprio sei que ele não é nenhum grande homem”, diz o autor logo na página de abertura. Último grande romance de Dostoiévski, Os Irmãos Karamázov combina os contrários como só o autor sabe – a ironia e a amargura, o evidente e o absurdo, os sentimentos mais dignos e a vileza. Tradução do russo com a garantia de qualidade de Nina e Filipe Guerra.

The Shining
Stephen King

Bertrand

Jack Torrence é contratado para fazer a manutenção do Hotel Overlook durante o duro inverno do Colorado. O trabalho parece fácil e deixa-lhe tempo livre para se dedicar à peça de teatro que está a escrever. Além disso estará acompanhado com a sua mulher e o filho. O cenário é paradisíaco, mas foi palco de uma tragédia terrível. E a cidade mais próxima fica a 70 quilómetros…

As Duas Torres – O Senhor dos Anéis, parte II
J. R. R. Tolkien

Planeta

Passados mais de sessenta anos sobre a sua publicação em meados da década de 1950, O Senhor dos Anéis continua a ser o paradigma da literatura fantástica. Neste segundo volume, continuamos a acompanhar as andanças de Frodo pela Terra Média, com as suas florestas, as suas torres e as suas sombras, depois da dissolução da Irmandade do Anel. A criteriosa tradução é de Catarina Ferreira de Almeida.

Peter Camenzind
Herman Hesse

D. Quixote

Publicado em 1904, Sigmund Freud considerava-o, de todos os livros de Hesse, o seu favorito. A história de um jovem idealista que se inspira em São Francisco e no seu amor pela natureza, mas vai progressivamente perdendo a inocência.  

Uma história bem contada

O Dia da Independência
Richard Ford

Porto Editora

Nova Jérsia, década de 80. “Se em 1981 eu pensasse que a Ann ia casar-se outra vez teria lutado como um viquingue em vez de aceitar com a humildade de um santo”, reflete Frank Bascombe, ex-jornalista desportivo. Um clássico americano – o The Times chamou-lhe “a verdadeira História do século XX”, talvez por ter como protagonista um “homem supercomum”, divorciado, que tenta conciliar o passado doloroso com o presente.

A biblioteca da piscina
Alan Hollinghurst

D. Quixote

Uma incursão nos círculos homossexuais da alta sociedade londrina na década de 1980, por um dos escritores ingleses mais aclamados do momento. Uma circunstância acidental leva o jovem William Beckwith a travar conhecimento com um aristocrata caído em desgraça. Quando este o convida a escrever a sua biografia, Beckwith, ao ler os seus diários, descobre uma vida extraordinária de que não suspeitava. Um livro sofisticado, ora subtil, ora picante.

Grande Hotel Europa
Ilja Leonard Pfeijffer

Livros do Brasil

“Tal como o homem é o único ser vivo que tem consciência da sua própria mortalidade, assim a Europa é o único continente que sente a sua própria decadência e prevê a sua trágica ruína”. Outrora visitado por príncipes e milionários, o Grande Hotel Europa é um microcosmo por onde passam viajantes de todas as nacionalidades. Ali instalado, Ilja revisita a história do Velho Continente e, em paralelo, episódios da sua história pessoal.

Casa de Dia, Casa de Noite
Olga Tokarczuk

Cavalo de Ferro

Os polacos que ocupam a pequena cidade de Nowa Ruda vão-se apropriando do que os alemães deixaram para trás. Nas caves, nos móveis, nos sótãos, há objetos e memórias de uma vida anterior. Um romance sobre as facetas ocultas da realidade, onde o sinistro e o virtuoso, o sagrado e o profano, coexistem nem sempre pacificamente.

Conhecer melhor o passado

A mais breve história de Inglaterra
James Hawes

D. Quixote

Por onde começar o estudo da História de Inglaterra? Hawe opta pela madrugada de 27 de agosto de 55 a.C., quando uma frota comandada por Júlio César atravessou o Canal da Mancha. Uma introdução compacta e acessível ao tema – mas não simplista –, desde os romanos até ao Brexit.

Arrancados da Terra
Lira Neto

Objectiva

Perseguidos em Portugal pela Inquisição, milhares de judeus sefarditas procuraram refúgio noutras partes da Europa em finais do século XVI e início do XVII, contribuindo, por exemplo, para a prosperidade de Amesterdão – cidade que “fedia a peixe – seco, defumado e frito”. Não se ficaram por aí: como nos conta Lira Neto, atravessaram o Atlântico, fixaram-no no Brasil e até ajudaram à causa da independência dos Estados Unidos da América. 

A Vida e a Lenda do Sultão Saladino
Jonathan Philips

Desassossego

Líder militar temível, ficou também conhecido pelos seus atos de clemência e generosidade. Criou um império que se estendia do Norte de África ao atual Iraque. Conquistou Jerusalém aos cruzados de Ricardo Coração de Leão e pôs fim ao domínio cristão na Terra Santa. As últimas páginas ajudam a compreender a instabilidade na região.

As conspirações em torno de Hitler
Richard J. Evans

Edições 70

Teria Adolf Hitler conseguido escapar de vida com o bunker e viver sob uma identidade falsa? Richard J. Evans, autor de uma monumental trilogia sobre o Terceiro Reich, desmonta as fantasias e as teorias da conspiração que envolvem o infame líder nazi.

Conhecer melhor a nossa História

História concisa de Portugal
José Hermano Saraiva

Contraponto

O essencial da nossa história condensado em 500 páginas. Equilibrado, sucinto, “ao mesmo tempo ambicioso e elementar”, este livro não se limita a ser um repositório de informação. Estabelece o encadeamento dos factos, as suas relações, as forças vivas que agem nos destinos de um país. E mostra que, além do grande comunicador televisivo que continua a ser recordado, o autor dominava a história de Portugal como poucos e sabia transmiti-la como ninguém.

Apocalipses – Os vários fins do mundo da História de Portugal 
Joaquim Fernandes

Contraponto

“Começaram bem cedo, antes de Portugal ser uma nação independente, os episódios marcantes dos nossos medos e pânicos dos Últimos Dias”, explica o autor, estudioso da consciência, da religiosidade popular e de extraterrestres. Catástrofes naturais, fenómenos astronómicos, superstições, seitas apocalípticas – um inventário dos receios e das profecias de fim do mundo ao longo da nossa história.

Presos por um Fio – Portugal e as FP-25
Nuno Gonçalo Poças

Casa das Letras 

O recuperar de uma história ainda mal assimilada de assaltos, atentados, bombas, homicídios, julgamentos, amnistias e até negócios com contornos suspeitos, tendo como epicentro a figura controversa de Otelo Saraiva de Carvalho. Uma leitura oportuna, que desmistifica um certo romantismo que continua a associar-se à extrema-esquerda. Nas palavras certeiras de Paulo Portas, “constitui um bom serviço à memória”.

DINFO – A queda do último serviço secreto militar 
Fernando Cavaleiro Ângelo

Casa das Letras

 Um mergulho no universo das informações militares, que apresenta novos dados de especial relevo sobre o período conturbado do pós-25 de Abril. Sucessora da DGS (antiga PIDE), a DINFO manobrou para garantir que o país não mergulhava na anarquia, desmantelou grupos terroristas e identificou espiões ao serviço da URSS.

Viajar sem sair do mesmo sítio

Lugares Distantes
Andrew Salomon

Quetzal

Mais do que um livro de viagens, um conjunto de retratos de diferentes geografias que constituem, cada uma delas, um pequeno mundo. Das máfias de Moscovo à Líbia de Kadhafi, Salomon abre-nos as portas de lugares habitualmente inacessíveis.

Viagens ao Outro Lado do Mundo
David Attenborough

Temas e Debates

No final da década de 1950 e início da seguinte, Attenborough fez expedições a paragens remotas, viu povos com hábitos estranhos e animais ainda mais estranhos. Uma viagem pelo espaço e pelo tempo, que permite também conhecer um pouco mais da vida e da personalidade de uma lenda do nosso tempo.

A amizade leva-nos mais longe
Kevan Chandler

Casa das Letras

Diagnosticado em jovem com uma doença neuromuscular, Kevan Chandler passa a quase totalidade dos seus dias numa cadeira de rodas em casa dos pais, na Carolina do Norte. Isso não o impediu de em 2016 partir com cinco amigospara uma viagem pela Europa. E a cadeira de rodas não foi na bagagem.

Mundo Subterrâneo
Robert Macfarlane

Elsinore

Um livro originalíssimo, que traz para a luz do dia o mundo desconhecido das grutas e subterrâneos. “O que todas estas narrativas sugerem é aparentemente paradoxal: que a escuridão pode ser um meio de visão e que a descida pode ser um movimento em direção à revelação, mais do que à privação e à perda”, nota o autor. “O verbo inglês «to understand» (entender, compreender) possui em si um sentido antigo de passar por baixo (under) de qualquer coisa para a compreender totalmente. “Descobrir” é “revelar destapando”, “descer para trazer à luz”, “resgatar às profundezas”. 

Para mentes curiosas

Vida, a grande história
Juan Luis Arseaga

Temas e Debates

A evolução da vida no planeta desde a noite dos tempos às expectativas (no caso de Arseaga marcadas pelo otimismo) para o futuro. Os fósseis, as teorias de Darwin e Lamarcke, os nossos antepassados, tudo explicado passo a passo, em quinze jornadas. 

A Eloquência da Sardinha
Bill François

Quetzal

Uma ótima leitura para quem tem curiosidade pelo que se passa no fundo do mar. Da baleia solitária às sardinhas invisíveis, o autor leva-nos a conhecer os sons, perfumes, hábitos e características dos fantásticos habitantes dos oceanos.

Sobre o Futuro
Martin Rees

Desassossego

“Quaisquer criaturas que testemunhem a morte do sol não serão humanos – serão tão diferentes de nós como nós somos de um inseto”. Astrónomo real – e não astrólogo... – Martin Rees não faz horóscopos. Mas, neste livro, parte dos dados estabelecidos para tentar antecipar o futuro. O resultado, mais do que um exercício de adivinhação, é uma estimulante janela para um tempo distante.

As pedras na ciência e na cultura
Galopim de Carvalho

Âncora

“Sem que muitos deem por isso, as pedras ocuparam, desde sempre, um espaço importante no quotidiano do homem”. Das lavas às minas de sal, passando pelos monumentos megalíticos, o professor Galopim de Carvalho faz-nos uma visita guiada pelo fascinante mundo das pedras e dos minerais, combinando um espírito sistemático com um espantoso conhecimento da história e da cultura.

Em bom português

O país do solidó
J. Rentes de Carvalho

Quetzal

Coleção de pequenas histórias, de fragmentos do quotidiano, de observações da vida em sociedade, apresentadas como “crónicas de um país habitado por um povo estranho: os portugueses”. Uma escrita sem complicações, irónica, dotada daquela sabedoria sólida (cada vez mais rara) do bom senso e temperada pela desconfiança que o mundo contemporâneo merece. 

Os meus problemas
Miguel Esteves Cardoso

Bertrand

Esteves Cardoso tem o dom de transformar a coisa mais banal num tema que nos interessa e interpela. Veja-se ‘A pinta dos portugueses’: “A pior coisa que se pode ter, pior que ser feio, pior que ser mal-encarado, pior que ter cara de parvo, pior até que parecer desgrenhado e deslavado, pior que ter pinta de assassino ou de político, a pior coisa que se pode ter é mau aspeto. E o pior é que o mau aspeto não tem cura. Não sai com o sabão, não se consegue esconder com a melhor roupa do mundo”. 

Os Canibais e outros contos
Álvaro do Carvalhal

Livros do Brasil

Tido como escritor maldito, atormentado por padecimentos e fantasmas, Álvaro do Carvalhal foi dos raros cultores do sobrenatural, do bizarro e do humor negro no Portugal de oitocentos. Morreu aos 24 anos, mas, como disse um amigo e biógrafo, “deixou-nos aqui toda a sua alma”.

Elogio da Dureza
Rui de Azevedo Teixeira

Gradiva

Primeiro volume de uma trilogia, acompanha a juventude de Paulo de Trava Lobo Ferreira, que, depois de uma descoberta traumatizante, promete a si mesmo nunca se queixar ou desabafar, e “muito menos chorar”. Viril, “ferozmente individualista”, faz-se comando e combate em Angola, onde os horrores da guerra não o vergam, embora o deixem a pensar.

Ler Mais


Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×