28/01/2022
 
 
Pedro Vaz 22/06/2021
Pedro Vaz

opiniao@ionline.pt

Apontamentos do Quotidiano

Na semana que passou António Guterres foi reconduzido para mais um mandato como Secretário-Geral das Nações Unidas. Não se poderá dizer que seja uma surpresa, mas não deixa de ser relevante o facto de termos um português como dirigente máximo da principal organização internacional dos povos e nações do mundo. Sabemos que a ameaça ao multilateralismo é, após a eleição de Biden nos EUA, um pouco menor, mas permanecem grandes pontos de tensão por todo o globo. Aquilo que em Portugal foi apontado como a sua maior fraqueza – a propensão para o diálogo – é nas Nações Unidas o seu maior trunfo. António Guterres, pela sua cultura humanista e espírito dialogante é o homem certo no local certo e, desta vez, que seja também na hora certa. É um grande motivo de orgulho nacional a sua recondução.

Também, na passada semana o Partido Socialista lá acabou a pequena novela, que se arriscaria a tornar num problema caso não houvesse uma resolução célere, relacionada com a sua candidatura autárquica no Porto. A escolha acabou por ser para Tiago Barbosa Ribeiro, atual Presidente da estrutura local do Partido. Não poderia deixar de salientar a coragem e o espírito de missão da sua candidatura. Sabemos todos que as principais e melhores vitórias se obtêm apesar das adversidades e Tiago Barbosa Ribeiro, que para alguns é considerado muito novo (especialmente para aqueles que desde as décadas de 70, 80 e 90 do século passado já exerciam cargos de responsabilidade política aos 20 e aos 30 anos e que continuam a andar por aí), representa hoje, aos 38 anos, um Partido Socialista renovado e um novo Porto, cosmopolita, progressista e solidário, em que todos são prioridade, especialmente aqueles que a burguesa elite portuense teima em esquecer. A cidade do Porto não tem donos, nem predestinados para gerir os seus destinos, a decisão é, como sempre foi em democracia, do povo.

O Sporting Clube de Portugal venceu, no passado fim-de-semana, mais um título desportivo nacional a somar aos muitos títulos nas mais diversas modalidades. Desta feita coube ao hóquei patins em séniores masculinos a consagração.  Com os 2 títulos europeus em modalidades e o campeonato nacional de futebol, para além das muitas outras vitórias, arrisco-me a dizer que o clube terá tido, provavelmente, a sua melhor época desportiva. O Sporting, devido ao seu sempre assumido ecletismo, assume-se, hoje, como uma verdadeira superpotência desportiva nacional. Estão de parabéns.

Pedro Vaz

 

 

Os comentários estão desactivados.


×

Pesquise no i

×
 


Ver capa em alta resolução

iOnline