5/8/21
 
 
Mais de 400 alunos de 16 turmas do ensino secundário em casa por possível infeção de professor em Évora

Mais de 400 alunos de 16 turmas do ensino secundário em casa por possível infeção de professor em Évora

Mafalda Gomes Jornal i 27/05/2021 14:20

Os alunos estão em regime de ensino à distância, enquanto a escola está à espera do resultado do teste do professor.

Desde esta quinta-feira, 410 alunos de 16 turmas do 10.º ao 12.º ano da Escola Secundária Severim de Faria, em Évora, estão em regime de ensino à distância devido a uma possível infeção de um professor.

De acordo com a representante da Comissão Administrativa Provisória (CAP) da escola, Marta Rebocho, o professor fez o teste à covid-19, “cujo resultado ainda não chegou”, indicou à agência Lusa.

Devido a este caso suspeito, "a autoridade de Saúde e a delegada regional" da Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares (DGEstE) "indicaram que era melhor enviar para casa todas as turmas do ensino secundário", afirmou Marta Rebocho.

"Não havia hipótese de estarem aqui a ter aulas e decidiu-se que deviam ir todas as turmas do secundário. Será mesmo só por precaução, até termos o resultado do teste" feito ao professor. Porém, a responsável destaca que “a escola não está fechada”.

Além destes alunos, a Escola Secundária Severim da Faria tem um total de 801 estudantes, lecionando desde o 7.º ano até aos cursos profissionais.

Antes do recente caso, uma outra turma do 8.º ano já estava confinada. "Temos uma turma do 8.º que está confinada, até ao próximo dia 04 de junho, porque tem um caso positivo [de covid-19] de uma criança", confirmou Marta Rebocho.

De realçar que este não é o primeiro contágio confirmado numa escola em Évora esta semana. A escola Secundária Gabriel Pereira encerrou, dado que sete turmas estão em isolamento profilático devido a um surto de covid-19 entre os alunos.

Agora há "três casos confirmados" de infeção entre alunos do ensino secundário, nas turmas que foram colocadas em isolamento "até aos dias 01, 03 e 04 de junho", porém foram encontrados contactos de alto risco com os infetados em, pelo menos, mais quatro turmas, indicou o diretor da Secundária Fernando Martins à Lusa.

"Considerando a necessidade de manter as condições de segurança a todos os utentes, ficou determinada a passagem do 9.º ano e do ensino secundário, regular e profissional, para o ensino à distância durante os próximos dias", informou a DGEstE num comunicado enviado aos encarregados de educação.

Os alunos manter-se-ão com o ensino à distância até serem conhecidos os resultados de todos os testes das turmas em isolamento, incluindo professores, após uma reavaliação do caso.

Ler Mais


Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×