14/6/21
 
 
Mergulhadores encontram osso de mamute de mais de um metro

Mergulhadores encontram osso de mamute de mais de um metro

Sara Porto 07/05/2021 11:26

O animal terá vivido durante a Idade do Gelo, há mais de dois milhões de anos.

No início desta semana, numa tarde em que realizavam a sua atividade preferida, o mergulho, dois moradores do sul do estado da Califórnia, EUA, foram surpreendidos por um achado invulgar: um osso de mamute. O osso do animal extinto tem 1,2 metros de comprimento e pesa 22,6 quilos. Os dois mergulhadores acreditam que corresponde a um fémur, ou qualquer outro osso da coxa.

“O Henry é meu companheiro de mergulho. Nessa tarde ele gritou: “Ei, Derek! Acho que encontrei alguma coisa. Foi um momento muito emocionante”, descreveu Derek Demeter, diretor do Semiole State Planetarium, em declarações à Fox News. Não foi preciso analisar muito para perceberem que aquele osso não era um fóssil comum.

A descoberta surpreendente espicaçou a vontade dos dois amigos de mergulhar e cavar no fundo do mar da Florida. Nessa mesma tarde, Henry e Derek encontraram partes de um tubarão extinto e a ponta de um dente de um tigre dente-de-sabre pré-histórico. Para Demeter, encontrar partes de seres vivos de outras eras é “uma viagem no tempo”.

O mergulhador garantiu que o osso está muito bem preservado, pois encontrava-se coberto com areia. Depois da descoberta os amigos decidiram em conjunto que o osso permaneceria na sala de aula onde Henry Sadler leciona. Juntos partilharam esta história com os alunos que têm a oportunidade de “ver, tocar, sentir e realmente entender a história do mundo natural”, contou Henry. “Estamos muito felizes por saber que podemos descobrir coisas que realmente entusiasmam as pessoas”, acrescentou Derek.

 

Outras descobertas

Em agosto de 2019, o estudante Harrison Duran e o seu professor Michael Kjelland saíram à caça de fósseis numa área remota no estado da Dakota do Norte, perto da fronteira com o Canadá. A dupla encontrou algo que parecia madeira petrificada. Acabaria por revelar-se um fragmento de crânio com um metro e meio. O osso estava no Hell Creek Formation, repleto de formações rochosas e um dos mais famosos sítios paleontológicos de fósseis de dinossauros do mundo.

Com cerca de 65 milhões de anos, o crânio pertenceu a um triceratops, um enorme dinossauro herbívoro e quadrúpede.

No ano passado, também um fóssil invulgar foi descoberto no Petrified Forest National Park, no Arizona. Pertencia a uma espécie de réptil escavador pré-histórico conhecido como drepanossauro, um mistura entre tamanduá e camaleão.

Ler Mais


Especiais em Destaque

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×