6/5/21
 
 
Fotógrafo português entre os premiados do World Press Photo

Fotógrafo português entre os premiados do World Press Photo

Facebook/World Press Photo Sara Porto 16/04/2021 10:10

A 64º edição fez uma viagem que percorreu o mundo marcado pela pandemia da covid-19.

“O Primeiro Abraço” venceu o prémio de “Fotografia do Ano”, na 64ª edição do concurso World Press Photo: a imagem mostra Roza Luzia Lunardi, de 85 anos, a ser abraçada por uma enfermeira (Adriana Silva da Costa Souza). Apenas uma cortina de plástico transparente, que permite o contacto sem contágio, as separa. Captada pelo fotógrafo dinamarquês Mads Nissen a 5 de agosto de 2020, no lar de idosos Viva Bem, em São Paulo, no Brasil, a fotografia documenta este novo “normal” do contacto físico e mais do que um gesto afetuoso, o primeiro abraço que a idosa recebeu em cinco meses. A imagem também venceu o primeiro prémio na categoria de Notícias.

Entre os premiados está também o fotojornalista Nuno André Ferreira, da agência Lusa, que ficou em 3º lugar na categoria de Notícias Locais, com uma fotografia tirada em setembro de 2020.

Na imagem captada durante o incêndio que começou em Oliveira de Frades (Viseu) e se estendeu pelos concelhos vizinhos, vê-se uma criança dentro de um carro, e ao longe as grandes chamas.

“Escolhi esta fotografia, porque há nela um contraste entre a ternura de uma criança e o terror de um incêndio [...]”, explicou à Lusa o fotojornalista. “Vemos uma criança dentro do carro, que parece estar imune àquilo tudo, porque também ela não percebe o que se passa”.

A reportagem foi realizada numa aldeia do concelho de Oliveira de Frades, num incêndio em que, durante a tarde, tinha morrido um bombeiro. Embora já tivesse terminado o serviço, Nuno André decidiu ficar “porque havia aldeias ameaçadas [...]. E, estando em risco, a gente fica para ver até que ponto aquilo tem alguma gravidade ou não”, recordou.

Para o fotógrafo essa é uma das missões da sua profissão: “É quase como ter uma guerra e não ter ninguém a cobri-la, porque ficámos em casa com medo [...]. Podemos ter medo, devemos tê-lo, pois acaba por ser um aliado para nos salvaguardarmos, mas a nossa missão é tentar chegar às pessoas que não estão lá, tentar transmitir alguns sentimentos, levar as emoções, mostrar no dia a seguir aquilo que tu viste e presenciaste”, argumentou.

Para esta edição do concurso internacional de fotografia e fotojornalismo, promovido pela organização sem fins lucrativos com sede em Amesterdão, nos Países Baixos, foram submetidas em candidatura mais de 70 mil fotografias de mais de quatro mil fotógrafos, provenientes de 130 países.

Nascido em 1979, Nuno André Ferreira vive em Viseu e trabalha com a agência Lusa desde 2009.

 

Ler Mais


Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×