16/5/21
 
 
Caso Cashball. Sporting e André Geraldes ilibados da acusação de corrupção desportiva

Caso Cashball. Sporting e André Geraldes ilibados da acusação de corrupção desportiva

Jornal i 13/04/2021 09:01

O Cashball fez correr muita tinta mas o principal acusado acabou ilibado. André Geraldes diz que se fez justiça.

Três anos depois, o caso Cashball, um escândalo de corrupção que abalou o mundo do andebol, foi arquivado, esta segunda-feira. André Geraldes, à época dos factos team manager do Sporting, hoje presidente da SAD do Estrela da Amadora, que era acusado de corrupção desportiva, acabou ilibado por falta de provas. O Sporting também não foi pronunciado arguido, como se sabia desde novembro, quando a investigação foi terminada. Já Paulo Silva, empresário, foi acusado formalmente pelo Ministério Público. Além deste, vão também responder em tribunal o empresário desportivo José Manuel Mira Gonçalves e Gonçalo Nuno Esteves Rodrigues, antigo funcionário do Sporting.

“Como sempre disse, aguardava serenamente o dia em que a Justiça fizesse... justiça. Tenho pena que se tenha escrito e falado tanto sem saberem que efetivamente se tratou de um circo, que não se percebe por que razão foi montado”, declarou André Geraldes ao Jogo. “Foi uma vitória para mim, para a minha família e para os meus que sofreram comigo, mas sobretudo para a democracia portuguesa, que prova que a Justiça funciona”, acrescentou.

De acordo com a investigação, Paulo Silva terá abordado dois árbitros de andebol, em 2017, oferecendo 2500 euros para que beneficiassem o Sporting em jogos contra o ABC de Braga e o FC Porto, além de oferecer a Leandro Freire, jogador do Desportivo de Chaves, 25 mil euros para que prejudicasse o seu clube contra o Sporting, o que este terá recusado. Foi algo que Paulo Silva assumiu na sua entrevista de 2018, dizendo ter sido mandatado por intermediários.

Ao assistir às denúncias de Paulo Silva na televisão, a PJ lançou a Operação Cashball, fazendo buscas no estádio Alvalade XXI, detendo André Geraldes e Paulo Silva, bem como o empresário João Gonçalves e funcionário do Sporting Gonçalo Rodrigues, sob suspeita de corrupção desportiva. Encontraram vários envelopes com mais de 60 mil euros num cofre do gabinete do team manager do Sporting, reforçando as suspeitas – afinal, é plausível que o dinheiro viesse da venda de bilhetes às claques do clube leonino, admitiu o Ministério Público.

 

Ler Mais


Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×