15/6/21
 
 
Museus e galerias. O que há para ver na reabertura, de Norte a Sul do país

Museus e galerias. O que há para ver na reabertura, de Norte a Sul do país

Sara Porto 07/04/2021 21:55

A espera terminou. Depois de meses encerrados, museus, monumentos, palácios e galerias de arte puderam finalmente reabrir as portas esta semana. Se tem sede de cultura, aqui ficam oito propostas para a saciar, da reflexão proposta pelo novo Museu do Holocausto, no Porto, à arte contemporânea no Museu de Faro, no Algarve.

Museu Bordalo Pinheiro, Lisboa

Exposição resistente, que já sobreviveu a dois confinamentos, Conversas entre Bordalo e Querubim coloca em diálogo cerca de 170 obras de Rafael Bordalo Pinheiro (1846-1905) e de Querubim Lapa (1925-2016) provenientes do acervo do museu e de coleções privadas, algumas das quais inéditas. Um exercício de constantes comparações e contrastes, que, ao juntar dois mestres – o primeiro eminentemente oitocentista, o segundo que atravessou o século XX e entrou pelo XXI adentro –, permite assistir à evolução e atualização da arte da cerâmica e, mais especificamente, do azulejo.

Centro Mário Dionísio, Lisboa

As Passadas Prolongadas Noutros Passos associa à poesia de Mário Dionísio a pintura de 12 artistas convidados, em torno da temática da resistência. Os poemas, que serviram de ponto de partida para os quadros expostos, todos eles originais, ganham assim uma nova vida e novas leituras. Entre os artistas representados encontram-se Adão Contreiras, Alberto Péssimo, Bárbara Assis Pacheco, Carlos Mendonça, Gonçalo Pena, Isabel Amaral, José Smith Vargas e Margarida Alfacinha, entre outros. 

Galeria de Arte do Convento Espírito Santo, Loulé 

Dos lugares emana o alcatrão e o pólen, o tempo de um grito. Com as mãos e o peito moldo tudo, tudo esmago e reformo; risco no chão a importância das coisas, escrevo o tamanho das sombras na espessura do vento. Da minha cabeça, desce até à crosta da Terra, o alfabeto dos pássaros e das crias, perfumando as árvores, fertilizando os vales, as infindáveis planícies. Cada lugar é um amanhã”. 

Assim se apresenta Cada Lugar/Each Place, de Fernando Gaspar, uma exposição de “gestualismo abstrato” que procura a “coerência entre a profundeza do diálogo que ele estabelece e o ofício que toma a forma da pintura”. Para visitar até 23 de maio.

Museu Municipal de Faro 

O museu algarvio que ocupa o antigo convento de Nossa Senhora da Assunção reabre com duas exposições, do ciclo de arte contemporânea. Trinta e Sete, de Susana de Medeiros, designa uma linha imaginária tomada como ponto de partida a que corresponde um mesmo grau de latitude em ambos os hemisférios: entre 36º a 38º Norte no Algarve e 37º a 40º Sul no Chile.

A Interminável Tarefa Taxonómica, de João Paulo Serafim será uma articulação de fotografias realizadas entre 2009 e o presente, em que se propõe uma leitura contemporânea de realidades distópicas com que nos confrontamos no quotidiano.

Museu e Igreja da Misericórdia do Porto

O edifício da Rua das Flores, que alberga um dos tesouros da pintura renascentista em Portugal, a Fons Vitae, reabre as portas a 15 de abril com uma proposta que junta dois artistas mundialmente celebrados. No total são 110 obras que incluem uma seleção das inconfundíveis figuras esguias em bronze do escultor suíço Alberto Giacometti e as imagens que delas fez o aclamado fotógrafo alemão Peter Lindbergh, falecido em 2019. A mostra conjunta foi apenas exposta, até agora, no Instituto Giacometti, em Paris.

Galeria da Pedra do Museu Santa Joana, Aveiro

Vieira da Silva, Julião Sarmento, Júlio Resende e Armanda Passos, entre outros, são alguns dos artistas representados na coleção de arte contemporânea do Estado Português que se encontra em depósito no município aveirense. A seleção de obras irá sendo renovada ao longo do ano, permitindo mostrar “a riqueza e a diversidade de técnicas, artistas e linguagens que formam a colecção”. Uma aposta na arte contemporânea, para ver no antigo mosteiro da Ordem Dominicana feminina, fundado no século XV.

Museu do Holocausto, Porto

O primeiro espaço museológico da Península Ibérica dedicado ao Holocausto proporciona aos visitantes uma viagem sensorial pelo antes, o durante e o depois desta tragédia. Aqui encontramos uma reprodução dos dormitórios de Auschwitz, imagens e videos de arquivo e ainda objetos relacionados com as comunidades judaicas que passaram pela cidade Invicta durante os anos da II Guerra Mundial. A abertura do espaço estava planeada para o dia 27 de Janeiro, Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, mas a pandemia não o permitiu. Agora, as portas abriram para conhecer, sentir e refletir sobre a tragédia.

Museu Municipal da Vidigueira, Beja

Remodelado e adaptado a espaço museológico, o edifício da antiga Escola Primária Vasco da Gama possui dois núcleos temáticos. Um deles retrata a história do ensino primário no concelho, desde a inauguração do edifício da escola, em 1884, até ao final da sua utilização como estabelecimento de ensino, em 1991; o segundo núcleo dá uma visão da evolução económica da região a partir dos anos de 1930 do século XX, através de uma coleção etnográfica sobre ofícios, comércio e agricultura. Uma oportunidade para conhecer melhor a história do Alentejo.

 

 

Ler Mais


Especiais em Destaque

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×