13/4/21
 
 
Rodrigo Gonçalves 06/04/2021
Rodrigo Gonçalves

opiniao@newsplex.pt

A Grandeza de Almeida Henriques

A vida consome-se na busca da realização pessoal, mas nela nem todos alcançam os seus objetivos e muito menos a excelência. No entanto há alguns que o conseguem e é por isso que passam a ser referências de todos nós.

Hoje falo-vos de uma dessas referências. Um Homem que nasceu em Viseu a 5 de maio de 1961. Um Homem que teve sucesso porque percebeu com o tempo que a satisfação não surgia apenas porque era muito bom em alguma coisa, mas também porque era um certo tipo de pessoa que transportava com ele um certo tipo de qualidades e condição.

Esse Homem de que vos falo não se contentava em dedicar a sua vida aos pequenos propósitos, embora também fossem importantes. Era um Homem que tinha qualidade até na sua ambição. Não se esforçava em acumular conquistas e objetivos que apenas alimentassem a sua vaidade, ao contrário, fez sempre o possível para se tornar alguém estimado por todos.

Nas suas passagens pelo Associativismo empresarial, pelo Partido Social Democrata, pela Assembleia da República como deputado, pelo Governo de Portugal como Secretário de Estado e pela Câmara Municipal de Viseu (Concelho do seu coração) como Presidente, a sua entrega foi irrepreensível e tudo o que fez deixava antever que era um Homem à frente no tempo.

Este Homem desejava ser, não apenas parecer, o melhor na generosidade, nas relações humanas, no trato, na competência, na simpatia, na classe e na solidariedade para com os outros… esta era a sua marca de qualidade.

Este Homem percebia que a qualidade era algo que existia para além do sucesso… era a excelência que estava na pessoa e não era conferida pela grandeza de nenhum dos cargos que ocupou. Este Homem fez parte do grupo das pessoas de excelência que constroem muito e de forma duradoura.

Assisti e participei em várias das suas batalhas e pude testemunhar a nobreza, a classe, a assertividade, a inteligência com que enfrentava os seus adversários, arrasando, com o seu trato fino e elegante, os mais mesquinhos, egocêntricos e cobardes que o tentavam destratar a ele ou às populações que representava.

Era um guerreiro elegante, mas eficaz, que defendia com firmeza os seus valores e as suas ideias. Era também um homem de família, fator fundamental para o equilíbrio que tinha no seu percurso pessoal e profissional. Era um exemplo em todas as circunstâncias.

Para que percebam a perda que Portugal e Viseu tiveram peço que considerem a grandeza. O paradigma de todas as virtudes. A Grandeza é o que torna os homens melhores e sem eles não pode existir.

Este Homem foi uma das pessoas que percebeu o que torna a grandeza de espírito numa condição essencial para melhorar a vida dos outros. Isso viu-se nas escolhas que fez e que demonstram essa mesma Grandeza.  

Este Homem de que vos falo era Secretário de Estado Adjunto da Economia e Desenvolvimento Regional e a meio do mandato, depois do apelo das suas raízes e gentes que reclamavam por ele, deixou o conforto do cargo no Governo da República e rumou a Viseu para se candidatar a Presidente de Câmara da sua amada terra.

Correspondeu ao maior dos apelos, dando mostras de que era na política de proximidade que se revia, reforçando a principal essência da praxis política que é a de servir o seu povo. Que grande exemplo de Grandeza.

Não esperou por oportunidades extraordinárias. Agarrou as ocasiões comuns e tornou-as em grandes propósitos. Ao contrário dos fracos de espírito que esperam por oportunidades, homens fortes criam-nas e era assim que o fazia o Homem de que vos falo.

Deixou um legado público que fala por si. Tanto na vida Associativa e Empresarial, como no Governo e como em Viseu. Transformou Viseu num cluster tecnológico e na principal referência nacional de “Smart Cities”.  Deixa muito mais do que isto, mas convém não esquecer, no que toca a Viseu, que este Homem de que vos falo conseguiu que fosse considerado o Concelho com mais qualidade de vida em Portugal, segundo estudo da DECO publicado a 26 março de 2021.

Era assim que fazia as coisas, com grandeza e excelência, sempre ao serviço dos outros. Não seria porventura perfeito, mas quem o é? Não era preciso muito para perceber a sua enorme dimensão humana e todos os que com ele privaram podem atestar que era um bom exemplo do comportamento e prática com ética, valores, generosidade, compromisso e muita classe.

Essa pessoa de que vos falo é o António Almeida Henriques, um amigo, uma referência que vimos partir cedo demais, mas a quem devemos a tarefa de não esquecer a sua conduta como Pai, Marido, Profissional, Político, Autarca e acima de tudo como Ser Humano.

Como dizia o escritor Britânico G. K. Chesterton, “Há grandes homens que fazem com que todos se sintam pequenos. Mas o verdadeiro grande Homem é aquele que faz com que todos se sintam grandes.”. O António Almeida Henriques era o verdadeiro Grande Homem!!!

 

Gestor e Mestre em Ciência Política

 

 

 

 

 

 


Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×